•  
     

Veterinária denuncia abusos sexuais contra orangotangos na Á

Morro e não vejo tudo 8392. Sei que, assim como eu, demorarão a crer no que vão ler. A prostituição de orangotangos é uma prática corrente em alguns países da Ásia, onde é bastante comum encontrar exemplares fêmeas destes animais amarrados e abusados por seres humanos, declarou uma veterinária espanhola que se dedica a estes grandes símios em Bornéo.

orangotango.jpg
orangotango.jpg (46.25 KiB) Visto 2503 vezes


A veterinária Karmele Plano, de 27 anos, denunciou ter encontrado em Bornéo uma orangotango de 12 anos chamada Pony, que havia sido completamente depilada, lavada e perfumada, e que inclusive estava com os lábios pintados.

O animal estava acorrentado a uma cama, para permitir que os clientes do bordel, do povoado Keremgpangi - Indonésia, pudessem abusar do animal. O local é freqüentado sobretudo por trabalhadores de empresas madeireiras e das plantações do dendezeiro.

Karmele assegura que a prostituição destes animais é uma prática muito difundida também na Tailândia.

- "Quando tentamos libertá-la, enfrentamos uma revolta, nos ameaçaram com facas e machadinhas. Tivemos que recorrer à polícia, que enviou 30 agentes para podermos levar Ponydali", recordou a veterinária espanhola.

- "Levamos a coitada para o nosso centro de reabilitação de Nyaru Menteng, onde concentramos os orangotangos com necessidade de cuidados que recuperamos das pessoas que tem a mania de adotá-los como animais de estimação", agregou.

No centro, controlado pela Bornéo Orangutan Survival (BOS), vivem 400 primatas, a maior parte muito jovens. O centro, onde trabalha Karmele, dispõe de uma clínica, uma escola para orangotangos bebê e grandes jaulas onde os animais adultos são reinseridos a uma existência normal.

Após um período no centro, Pony foi levada no ano passado à ilha fluvial de Bangamat, onde ainda vive junto com outros seis orangotangos.

Bangamat é uma das três ilhas utilizadas para dar nova vida aos grandes macacos, em espera de uma futura libertação em uma zona protegida. Ali vivem atualmente 70 orangotangos.

- "O caso de Pony não é isolado -assegurou a veterinária espanhola-, sabemos que na Tailândia é freqüente a utilização de fêmeas da espécie em bordéis como diversão _____ para os clientes, ou para exibição nos circos, ou em espetáculos de rua".

Os orangotangos, contrariamente a outros grandes macacos (como chimpanzés e gorilas) só existem na Ásia, em Sumatra e em Bornéo. Segundo a Orangutan Conservancy norte-americana, restam somente 20.000 exemplares e estão em risco de extinção em 10 anos.

Este grande mamífero compartilha com o homem 97 por cento de seu código genético. Em malaio, seu nome significa "povo da selva", e no passado a população local respeitava-o, considerando-o como uma pessoa que se ficava sobre as árvores para não trabalhar ou não ser convertido em escravo.

Além de Tailândia, os orangotangos são importados a outros países da Ásia, em particular Taiwan, onde são usados sobretudo como animais de estimação.

Ademais, outro grande perigo para os orangotangos é a destruição das selvas onde vivem, sobretudo devido ao avanço das plantações de dendezeiro, usado no setor alimentício e cosmético.

- "Para criar estas plantações matam os macacos e destroem a selva, seu único habitat", conclui Karmele, que agora quer criar um centro de recuperação para os macacos e outros primatas que não gozam de nenhuma proteção na Indonésia.

Fonte: http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=4979