•  
     

VALORIZAÇÃO DO ÁLCOOL AFETA MERCADO DE AÇÕES

Papéis da Cosan, primeira empresa do setor a abrir capital na Bovespa, subiram 130% em quase um ano

O bom desempenho do mercado de álcool brasileiro pode ser medido também pela bolsa de valores. Quem comprou ações na oferta pública da Cosan, por exemplo – primeira empresa do setor a abrir capital, em novembro do ano passado – já viu seus papéis valorizarem mais de 130% em quase um ano. No mesmo período, o Ibovespa, índice das principais empresas listadas na Bovespa, valorizou 27%.

Em maio, os papéis da companhia chegaram a ser vendidos por R$ 63,00 – quase 300% a mais do que os R$ 16,00 fixados no dia em que foram vendidos pela primeira vez.

Segundo o analista da corretora SLW, Carlos Nunes, a valorização do setor na Bolsa é reflexo do aumento da produção e da rentabilidade dos produtores de açúcar, que dispararam. Para ele, as perspectivas para o investimento no longo prazo são promissoras. “O mercado de álcool é grande, mas ainda é embrionário perto do potencial que tem”, diz.

Entre os pontos favoráveis da empresa, ele destaca as intenções da Cosan de investir no setor de biomassa – que gera energia a partir do bagaço da cana que sobra na produção do açúcar e do álcool.

“Se a Cosan aproveitasse todo o potencial que tem de bagaço de cana, poderia produzir entre de 700 a 800 MWZ por ano – o que equivale a 10% de uma Itaipu”, compara.


Segundo ele, investir no setor de álcool pode ser muito vantajoso no longo prazo, já que os preços tendem a oscilar. “Pode matar alguém do coração no curto prazo – ou de alegria ou de tristeza”, diz.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Economia_N ... 56,00.html