•  
     

Tribo perdida da Amazónia avistada pela primeira vez

29_MHG_pais_indios_isolados.jpg


Investigadores brasileiros fotografaram, pela primeira vez, uma das últimas tribos da Amazónia que nunca tiveram contacto com o mundo exterior.

As fotografias aéreas foram captadas em Acre, na fronteira entre o Brasil e o Peru, durante uma expedição organizada pela Frente de Proteção Etnoambiental da Fundação Nacional do Índio (Funai) com o objectivo de alertar sobre o perigo que a desflorestação representa para os povos selvagens.

«Sobrevoámos a região para mostrar as suas casas, para mostrar que eles estão lá, para mostrar que eles existem», afirmou José Carlos dos Reis Meirelles Júnior, responsável da Funai.

«Isto é muito importante porque existe quem duvide da sua existência», acrescentou.

Numa das fotos é possível ver vários índios com o corpo pintado de vermelho no exterior das suas cabanas preparando-se para disparam flechas contra o avião da Funai, enquanto os outros indígenas observam.

Meirelles Júnior disse que a tribo vive em seis pequenas comunidades, cada uma com cerca de seis cabanas comuns, numa região conhecida como Terra Indigena Kampa e Isolados do Envira.

«O que está a acontecer nesta região é crime monumental contra a natureza, as tribos, a fauna e mais uma prova para a completa irracionalidade com que nós, os "civilizados", tratamos o mundo», observou em comunicado a ONG Survival Internacional.

A organização sustenta que as tribos sem contacto com o mundo exterior correm o risco de ficar sem as suas terras, de serem assassinadas ou dizimadas por epidemias.

«O mundo precisa de acordar para esta situação, e garantir que o território das tribos é protegido de acordo com a lei internacional», afirmou Stephen Corry, director da Survival International.

«De outra forma ficarão extintas», alertou.

1.jpg


tribo2.jpg
tribo2.jpg (30.55 KiB) Visto 2498 vezes


tribo3.jpg
tribo3.jpg (26.68 KiB) Visto 2487 vezes


Fonte: http://ciberia.aeiou.pt/?st=9275
 
Vejam como eles recebem os visitantes, a flechadas!
 
Anderson Escreveu:Vejam como eles recebem os visitantes, a flechadas!

Isso é porque é uma forma deles se defenderem, mais eles tão parecendo capetinhas uahuahaua
 
O que aconteceria se um homem branco fosse visitar a aldeia deles?
 
Anderson Escreveu:O que aconteceria se um homem branco fosse visitar a aldeia deles?

Iria ser morto conserteza, tipo eu acho que é uma defeza deles pela Amozania e por eles mesmos estão certos..
 
Nossa realmente impressionante. Mas para eles terem um comportameto assim, na defensiva é porque eles podem não ter recebido bons tratamentos do homem branco. Ou talvez eles não entendam o que é um avião, já que não tiveram contato com o homem branco...
 
Os índios passaram por tempos de matança, escravismo, catequização forçada ou mera indiferença das autoridades. Em 1500, quando os portugueses chegaram ao Brasil, estima-se que haviam por aqui cerca de 6 milhões de índios. Nos anos 50, segundo os antropólogos, a população indígena brasileira estava entre 68.000 e 100.000 habitantes. Atualmente, há cerca de 280.000 índios no Brasil, contando os que vivem em centros urbanos ultrapassam os 300.000.


Será que eles tem motivos para ficaram bravos?
 
esta tribo é um patrimônio da humanidade ! tomare que os brancos,não contaminem eles -.-
 
concordo plenamente com o destemido :P
e _____ pq tudo o branco (nós) quer "melhora"
mais eles nao intendem que eles invadindo isso estao excluindo mais uma cultura
que ver jaja essa tribu estara sendo visitada por brancos
para os brancos ter a cara de pau e dizer "nos estamos protegendo as pessoas"
e sempre isso que eles falam
 
acho que a funai deveria proteger essa tribo como o bem do brasil,pois bem como foi dito nas mensagens a cima os bracos estao acabando com a nossa cultura a nossa identidade a nossa formação porque tudo começou apartir dos indios e dai que eles nao tem tecnologia,carros aquelas coisas que acabam destruindo,poluindo acabando com o nosso meio de sobrevivencia entao deveriam proteger essa tribo daqueles homens que dizem querer fazer o bem mas agindo ao contrario. não concorda?