•  
     

'Teve briga para ficar com ele', diz dono do cão que viajou

Cachorro foi adotado por funcionário da oficina e foi chamado de Fox.
'Ele não come ração, só carne e outras comidas', diz dono.


Fox, que não gosta de ração, foi adotado por funcionário da oficina mecânica.jpg
Fox, que não gosta de ração, foi adotado por funcionário da oficina mecânica


“Do jeito que ele veio, não dá para acreditar que sobreviveu”, diz o mecânico Luzimar Albini Júnior, de 44 anos. Ele foi um dos funcionários de uma oficina mecânica em Curitiba que, na última quarta-feira (24), encontraram o cachorro que viajou cerca de 300 quilômetros escondido em um espaço na suspensão dianteira de um carro.

Segundo o mecânico, que é conhecido na oficina como “Totó”, o cachorro ficou preso entre o semieixo e a balança, peças da suspensão. “Essas partes se movimentam a todo instante, ele poderia ter caído na estrada. Só conseguiu se manter lá porque se firmou mordendo uma peça de plástico que protege o para-lama”, afirma Albini.

O cachorro, que recebeu o nome de Fox, foi encontrado enquanto os mecânicos faziam a manutenção do veículo, após a viagem de Guarapuava (PR) a Curitiba. “Ele estava bem quieto, não dava para saber se estava vivo. Depois foi levantando aos poucos e começou a se firmar nas patas. No começo teve dificuldade, porque estava bem fraco.”

Adoção
Funcionários da oficina levaram Fox a um veterinário, que examinou e medicou o animal. Depois começou a disputa para levá-lo para casa. “Teve briga para ficar com ele, mas a maioria dos que queriam morava em apartamento. Como eu moro em casa, ficou decidido que eu iria levar. Mesmo assim, depois, quiseram sequestrar o Fox”, diz o instalador de acessórios Emerson do Nascimento, de 30 anos, que se tornou dono de Fox.

O dono diz que o cachorro já se acostumou com a nova casa. “Ele é bem inteligente. Quando escuta o barulho do meu carro chegando, começa a latir e, assim que eu entro, vem abanando o rabo, querendo brincar. Se eu não brincar, o bicho não dorme”, afirma.

Além de pedir a atenção do dono, Fox já deu outro recado: não come qualquer coisa. “De preferência carne, e outros tipos de comida, mas nunca ração. Tentei misturar ração à comida para ver se passava, mas ele separou a ração e comeu o resto”, diz Nascimento.

O dono ainda não sabe se Fox deve ficar em sua casa. Ele diz que pretende levar o cachorro para o sítio da mãe. “Lá vai ter bastante espaço para ele correr e brincar. Por mais que ele tenha espaço na minha casa, não é a mesma coisa. Mas ainda não tenho certeza. Se ele se acostumar na minha casa, vai ficar por lá, mesmo”, afirma.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,, ... DE+CA.html