•  
     

Secretaria prepara operação para implosão de diques em Campo

Diques foram construídos próximos ao Rio Ururaí e Lagoa Feia.
Defesa Civil de Campos contabiliza 30 mil afetados pela chuva.

A Secretaria estadual de Saúde prepara uma operação para a implosão, ainda nesta quinta-feira (4), de dois diques em Campos , no Norte Fluminense.



Segundo a Secretaria, os diques foram construídos de forma irregular. Especialistas da Fundação Superintendência estadual de Rios e Lagoas (Serla) estão no local para garantir que moradores do entorno não sejam prejudicados, e para minimizar os efeitos da implosão.



Com a implosão, a Secretaria espera baixar os níveis do Rio Ururaí, que deixou alagadas várias regiões de Campos. Segundo a Secretaria, a água não está escoando por causa da construção dos diques.



Também nesta quinta-feira (4), o superintendente de Vigilância em Saúde, Victor Berbara, vai a Campos para fazer uma avaliação epidemiológica da região para saber se há risco de contaminação causadas por doenças como a leptospirose.



Segundo a Secretaria, 115 homens do Corpo de Bombeiros do Rio trabalham em conjunto com 254 bombeiros de Campos. Médicos da corporação dão assistência aos desabrigados.



Campos tem 30 mil prejudicados

Depois de mais um dia de chuva, a cidade de Campos amanheceu com sol fraco nesta quinta-feira (4). Meteorologistas dizem que o nível de chuva em novembro é um dos maiores dos últimos anos. A Defesa Civil de Campos estima que mais de 30 mil pessoas tenham sido afetadas pela chuva no município.



Segundo a assessoria do órgão, 60 famílias de Ponta Grossa dos Fidalgos foram atingidas pelas águas de Lagoa Feia. Moradores da Baixada Campista também foram atingidos pela cheia da Lagoa Feia, que recebe água do Rio Ururaí.



Já o balanço divulgado pela Secretaria estadual de Saúde na tarde de quarta-feira (3) contou 484.405 pessoas atingidas pela chuva em todo o estado do Rio. Segundo o documento, dois municípios registraram novos problemas: Santa Maria Madalena, na Região Serrana, e Macaé, no Norte Fluminense. A cidade mais prejudicada continua sendo Campos.



Trânsito complicado

O trânsito segue complicado na BR-101. Com a ponte liberada apenas para carros, ônibus e microonibus e o desvio pela Estrada dos Ceramistas inundado, caminhões têm que dar meia-volta.



Por causa do bloqueio, a Polícia Rodoviária Federal orienta o caminhoneiro que vai do Rio em direção a Campos a pegar a BR-116 até Teresópolis, Além Paraíba, ou a RJ-116 até Friburgo e depois as rodovias estaduais.


Investimento

O governo do estado prometeu investir de R$ 30 a 40 milhões em obras emergenciais no município de Campos. O anúncio foi feito pela primeira-dama do estado, Adriana Ancelmo Cabral, que visitou a cidade na terça-feira (2).