•  
     

Sarkozy irá à América do Sul agradecer por libertação de ref

Sarkozy irá à América do Sul agradecer por libertação de reféns


Paris, 4 jul (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse hoje que irá à América do Sul para agradecer aos governantes de Colômbia, Venezuela, Equador e Argentina pela libertação de Ingrid Betancourt e "falar do futuro".



Ao lado da ex-candidata presidencial, o presidente prometeu que a França continuará a luta pela libertação dos outros reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e que "está disposta a estender a mão" para os guerrilheiros que "abandonem as armas e se comportem, respeitando a dignidade das pessoas".



"Sempre haverá um lugar na França para os que respeitam os direitos humanos e se dissociem do combate destes torturadores medievais. Sempre uma esperança e sempre um lugar", disse Sarkozy, em uma recepção de boas-vindas para Betancourt no Palácio do Eliseu.



Por outro lado, acrescentou, "para os que continuem solidários aos seqüestradores não há esperança. É necessário escolher: se é a melhor opção, a França responderá a favor. Se é a pior opção, então a França não poderá (fazer) nada".



Há dois dias, quando Betancourt foi liberada com outros 14 reféns das Farc em uma operação do Exército colombiano, Sarkozy tinha reiterado sua oferta de receber na França os que abandonassem a luta armada e os seqüestros.



O chefe de Estado francês, acompanhado de sua esposa, Carla Bruni, deu hoje as boas-vindas a Betancourt, após essa chegar, em um avião oficial francês, ao aeroporto militar de Villacoublay, nos arredores de Paris.



Depois, Sarkozy e sua esposa organizaram uma recepção para Betancourt e seus parentes, na qual a ex-candidata à Presidência da Colômbia agradeceu aos membros de seus comitês de apoio e outras personalidades que lutaram por sua libertação durante os mais de seis anos durante os quais esteve seqüestrada.



Betancourt pediu a todos eles que permaneçam mobilizados pela libertação dos reféns que ainda estão em poder das Farc e solicitou a Sarkozy a continuar com seus esforços, o que este prometeu.



Disse que, com seu ministro de Exteriores, Bernard Kouchner, "terá a ocasião" de ir à América Latina para "falar de tudo isso" e para agradecer aos presidentes de Colômbia, Álvaro Uribe, Venezuela, Hugo Chávez, Equador, Rafael Correa, e Argentina, Cristina Kirchner.



"É todo um continente que se mobilizou por Ingrid Betancourt", afirmou Sarkozy. EFE


Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,M ... 02,00.html