•  
     

‘Rio é o cenário mais bonito do mundo’, diz organizador da F

Competição acontece no sábado na Praia de Botafogo.
Pilotos fazem treinos e empolgam o público.


Doze pilotos participam da competição.jpg
Doze pilotos participam da competição
Doze pilotos participam da competição.jpg (12.16 KiB) Visto 1485 vezes


Pela primeira vez na América Latina, a 2ª etapa do campeonato mundial de corrida de avião acontece este sábado (21) no Rio de Janeiro. A cidade foi escolhida com unanimidade pelos próprios organizadores do evento. “O Rio é o cenário mais bonito do mundo e isso foi dito pela própria organização internacional”, disse Ricardo Gertrudes, um dos responsáveis pelo projeto no Brasil. O campeonato é conhecido como a Fórmula 1 dos ares e acontece na Praia de Botafogo, Zona Sul do Rio.

Os melhores pilotos de avião do mundo estarão no ar, voando a 400 km por hora. O percurso é de 1,4 km e vence quem completar a prova no menor tempo possível. Doze pilotos participam da competição, sendo que apenas oito ficam até o final. Já no início da prova, os quatro pilotos que tiverem os piores tempos são eliminados. “Para você ter uma idéia, no campeonato anterior, a diferença entre o primeiro e o segundo colocado foi de 1’03 segundos”, informou Ricardo.

BoM-piloto.jpg
Os melhores pilotos de avião do mundo estarão no ar, voando a 400 km por hora.
BoM-piloto.jpg (6.76 KiB) Visto 1474 vezes


A experiência dos pilotos é uma história à parte. Ricardo diz que juntando todas as horas de vôo dos pilotos que participam da competição é como se voássemos por 15 anos seguidos. “A maioria dos pilotos é de ex-top gun, ex-integrantes das Forças Armadas de seus países. Eles são campeões mundiais em acrobacia e, mesmo assim, passam por uma academia que fica no Arizona (EUA) para tirar uma superlicença. Eles levam até 2 anos para serem chancelados para poder participar da competição”, explica Ricardo.

Além de pilotos experientes, uma equipe de mais de 4 mil pessoas trabalha para que tudo esteja pronto no dia. Mais de 400 toneladas em equipamentos de última geração já chegaram. Os aviões estão sendo guardados em uma pista auxiliar do Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio. A estrutura do evento é grande. Haverá 300 banheiros químicos ao longo da orla para atender o público; 16 postos de vigilância da PM; 350 policiais comandando a segurança no local; quatro postos de atendimento médico; 2 mil seguranças particulares e 100 homens do Corpo de Bombeiros. “Tudo é pensado para que não tenhamos falhas. Esse evento é para adultos e crianças. A segurança será reforçada”, garante Ricardo.

A estrutura para a corrida está toda montada em Botafogo.jpg
A estrutura para a corrida está toda montada em Botafogo
A estrutura para a corrida está toda montada em Botafogo.jpg (10.56 KiB) Visto 1473 vezes


Quem passa pelo local se empolga
Há poucos dias do evento, curiosos já tiveram uma prévia do que será visto. Em treinamento, os pilotos empolgam quem passa pelo local. O estudante de engenharia Pedro Esteves, de 19 anos, morador de Botafogo, assistiu do seu próprio prédio ao show dos pilotos e ficou fascinado. “O evento está sendo muito bem produzido. Corro todos os dias na Praia de Botafogo e vejo a infra-estrutura que está sendo montada. Nunca vi nada igual no Brasil”, declarou.




A estrutura para a corrida está toda montada em Botafogo (Foto: Cláudia Loureiro)Pedro acredita que as manobras são a melhor parte do espetáculo que promete reunir mais 300 mil pessoas. “Meu pai é piloto de aeromodelo e, proporcionalmente, sei como é a estrutura para suportar as manobras. Os aviões que estão sendo pilotados parecem de brinquedos”, lembra.

Outro estudante, Felipe Daniel Barros, de 23 anos, disse que os treinos são emocionantes e a melhor parte são os loopings. “Quando eles viram de cabeça para baixo é emocionante. Tem uma hora que eles desligam o motor e ficam alguns segundos assim. O coração vai na boca. É tudo muito lindo.”

Girlene Farias, de 25 anos, também mora em Botafogo e adorou as manobras que são feitas entre os pilões que ficam sobre a água. “A manobra entre os pilões é maravilhosa. Você olha e não acredita que eles estão fazendo isso”, falou. Girlene já garantiu sua presença no sábado e avisou que até os amigos já se comprometeram a comparecer. “No sábado, isso vai ficar lotado. Tenho um amigo de Jacarepaguá que já avisou que vem assistir”, disse.

A professora aposentada Maria de Jesus Sousa não assistiu aos treinos, mas sabe que eles aconteceram. “Ouvi o barulho dos aviões. Mas no sábado, quero dar uma espiadinha na competição. Acho que vai ser muito legal.”

Na competição, não há nenhum piloto brasileiro, mas para Ricardo Gertrudes, isso é apenas uma questão de tempo. “O esporte envolve três habilidades: ser bom em velocidade, em manobras e em vôos próximos ao solo. Não temos nenhum brasileiro, ainda. Mas quem sabe no futuro?”, fala esperançoso o organizador.

Faltando menos de dois dias para o evento, agora é rezar para não chover. “Tenho certeza que não vai chover. São Pedro está do nosso lado. Mas se chover, adiamos para domingo”, finalizou Ricardo.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL ... 06,00.html