•  
     

Renove o gás empreendedor

Todo mundo conta – eu também já falei! – a tal história de que no ideograma chinês, crise é igual a oportunidade, ou algo assim e que, portanto, temos que ficar de olho, atentos para os “trens” que possam estar passando em nossas frentes, blábláblá.

Parece algo fácil de acreditar, bonito de falar, mas complicado de executar.

Algumas coisas que nos distraem e que procuro ficar muito atento:
1. Notícias - Ler os jornais e os sites pela manhã se tornou um banho de mau humor, pessimismo e notícia ruim. Tem que ficar atento, pois além destas péssimas notícias diárias, tem coisas boas acontecendo por aí, mas como as pessoas estão no “mood” CRISE, os filtros acabam se voltando exageradamente para esse lado.

2. Informações - É muito complicado entender uma crise como esta, estando no meio dela. Em todas as crises é assim. Black Swan é uma teoria interessante que já comentei aqui e que vale para refletir. Tentar olhar “de fora” é um bom exercício também.

3. Papos - As conversas no mundo dos negócios, em muitos casos, são outro banho de pessimismo e de notícias ruins. Novamente, tem que ter cautela com o que se ouve, pois é difícil dizer se os fatos narrados correspondem ao que está acontecendo realmente já que o feeling é ruim e conduz tudo assim.

4. Sinais - Em momentos como o que estamos vivendo fica mais difícil ler os sinais que nosso negócio nos dá. Podemos estar acertando na estratégia, mas sofrendo com a crise. Podemos também estar errados no foco e na estratégia e simplesmente justificando tudo com a crise. É preciso uma autocrítica muito forte. Tanto pro bem quando pro mal.

5. Ação e reação - Como não dá pra não agir, sempre fica a dúvida se ao agir ficamos mais precavidos contra a crise ou se passamos justamente a nos mover em função dela.

6. Mudanças - Tocar um negócio é estar em constante alerta e sempre trabalhando com a mudança. No momento atual, é preciso ainda mais atenção, pois a crise está mudando radicalmente muitas indústrias, quebrando paradigmas na marra e criando novas oportunidades. Difícil é conseguir enxergar tudo isso em meio a essa enorme neblina.

7. Automotivação - Empreendedor é automotivado, ou seja, tem que se auto-alimentar com otimismo, energia, gás, pique, etc... E neste momento, tem dias que fica difícil mesmo. Mas não podemos desistir, nem nos deixar tomar pelas coisas que listei aí em cima. A “volta por cima” tem que acontecer e depende, mais do que nunca, de cabeças empreendedoras, motivadas, inovadoras, com filtros das informações do mundo bem regulados e, claro, com uma boa dose de otimismo, apesar de todos os pesares.

Por mais lugar comum e auto-ajuda que isso seja, tem horas que a gente tem que dizer pra gente mesmo (e pra quem está à nossa volta): Hey ho, let’s go!

Fonte: http://wnews.uol.com.br/site/colunas/ma ... nteudo=593