•  
     

QI nota 10!

QI nota 10.jpg
QI nota 10!
QI nota 10.jpg (13.57 KiB) Visto 81 vezes


Renato Oliveira de Mello não gosta do ritmo lento da terceira série. Aos 10 anos, prefere falar sobre política mundial. Muito bem informado, soube responder várias perguntas sobre as eleições presidenciais realizadas há pouco nos Estados Unidos.

Ele comenta a divisão geográfica do mundo e mostra as três músicas que já compôs: todas em partituras. “Eu admiro muito, mas muito mesmo... São meus quatro ídolos: Mozart, Betoven, Vivald e Bach”, afirmou o garoto.

Outro tema preferido é o corpo humano. “Uma curiosidade que eu tenho é saber como se forma a cor da íris, nos olhos”, revela.

A mãe descobriu que Renato era superdotado quando ele tinha três anos e meio. O teste com psicopedagogos apontou inteligência para um menino de sete anos e meio. “Foi feito um teste com ele. O teste só era realizado com crianças acima dos cinco anos. Mas como me pediram, foi feito com ele nessa idade. Foi diagnosticado que ele tinha uma idade mental de sete anos”, lembra Vilma Maria Oliveira, dona de casa.

A criança é considerada superdotada quando tem um QI - Coeficiente Intelectual - acima dos cem pontos. De acordo com o Conselho Brasileiro para Superdotação, 10% dos brasileiros são super inteligentes. Mas a maioria não foi descoberta, e por isso não é incentivada a desenvolver o talento que tem.

Especialistas em superdotação do Brasil e do exterior estão em Brasília com uma missão: ajudar os professores a identificar o aluno super inteligente. O outro desafio é envolver a família, fazer com que os pais estimulem a inteligência desses brasileiros que poderiam ajudar, e muito, o nosso país.

O congresso sobre superdotação está sendo realizado na Escola Americana, até o dia 10 de novembro. Qualquer pessoa pode participar.

Fonte: http://dftv.globo.com/Jornalismo/DFTV/0 ... 41,00.html