•  
     

Por que não assistir?

Comédias hoje não têm mais o sabor dos filmes hilários de antigamente

Adoro uma boa comédia. Mas aquelas comédias inteligentes, que nos anos 80 os americanos sabiam fazer muito bem. Quem não se divertiu e ainda ri quando assiste ao "Curtindo a Vida Adoidado", "Trocando as Bolas", "Um Peixe Chamado Wanda", entre outros? Comédias de sessão da tarde, leves, mas com um roteiro legal, que não nos chama de idiotas.

As comédias mudaram muito. Infelizmente o público de hoje quer isto. Como achar bom e rir de um filme como "Norbit", do Eddie Murphy (ai que saudades do tempo de "Um Tira da Pesada") ou "O Pequenino" (dos irmãos Wayan, os mesmos de "As Branquelas")? Filmes apelativos, com piadas grotescas, palavrões, sem criatividade e tiradas manjadas. A lista não pára aí: tem "Zohan", com Adam Sandler, os filmes batidos e sempre com as mesmas caras e bocas de Jim Carrey, entre outros.

Tudo faz parte deste mundo que vivemos. Ninguém mais lê, ninguém mais aprecia uma boa música ou o próprio CD do artista. Tudo é "baixado" em segundos e devorado sem pensar. Ainda bem que existem seres pensantes no planeta e que conseguem, apesar de tudo, fazer um humor inteligente e renovado.


Anos atrás me pediram para assistir ao "O Barato de Grace". "Uma comédia inglesa? Eca!", pensei. Euzinha acostumada a filmes americanos, não sei se acharia graça. Mas resolvi tentar. E não é que era boa mesmo? Recomendo para todo mundo. Depois dessa, comecei a reviver os bons filmes de antigamente. Procurem na locadora outra comédia inglesa ótima: "Morte no Funeral", daqueles filmes passados em um só dia onde acontece mil coisas.

Outra grata surpresa são os filmes do ator inglês Simon Pegg. Ele agora ficou famoso e está sendo o "queridinho" de Hollywood, o que pode estragar seu humor, ao ir para os EUA. Mas aproveitem para apreciar os filmes ingleses em que ele participa, são muito bons e engraçados. "Todo Mundo Morto" é hilário, não o leve a sério. Sim, é um filme de terror, mas apenas divirta-se. Depois veio Chumbo Grosso, uma paródia a filmes policiais com a mesma dupla do filme anterior. "Maratona do Amor", uma comédia romântica, engraçada, inteligente, sem piadas grotescas, dirigida por David Schwimmer, o "Ross" de Friends. Quem pratica running vai se identificar com o personagem principal.

Para finalizar, esta semana está chegando às locadoras o primeiro filme do Simon Pegg rodado nos EUA. Como eu já sabia, o humor apurado do ator se perde com o humor americano, mas ainda assim é um filme engraçado, baseado em fato real, sobre um jornalista inglês que odeia celebridades, ironiza a mídia obcecada pelas estrelas e que vai para os EUA trabalhar justamente na maior revista americana do tipo "Caras".

Com tanta tragédia no mundo, é bom ter uma boa comédia para açucarar nossas vidas.


Fonte: http://msn.bolsademulher.com/estilo/mat ... ir/82947/1