•  
     

Placa-mãe Gigabyte EP45C-DS3R

Demos uma olhada na EP45C-DS3R, placa-mãe da Gigabyte para processadores Intel soquete 775, voltada principalmente para os processadores Core 2 Duo e Core 2 Quad.

Essa placa-mãe é baseada no chipset Intel P45, que entrou no mercado para substituir o P35. Ambos são voltados às placas-mãe intermediárias. Atualmente o chipset tipo de linha da Intel para processadores soquete 775 é o X48, enquanto para os processadores Core i7 (soquete 1.366) o chipset X58 é o mais completo.

Apesar de não ser "topo de linha", essa placa é dotada de vários recursos avançados, como o fato de todos os capacitores serem sólidos de alumínio, ter bobinas de ferrite, possuir gerenciamento avançado de energia, suporte a barramento externo (FSB) de 1.600 MHz (apesar de o chipset P45 suportar, oficialmente, apenas barramento até 1.333 MHz) e poder funcinar com memórias DDR2 ou DDR3.

Ela também tem recursos que claramente a diferenciam de placas simples, como duas portas Gigabit Ethernet, suporte a eSATA e RAID, entre outros que veremos com mais detalhes nas próximas páginas.

A propósito, é interessante termos uma idéia do porquê da Gigabyte colocar em suas placas-mãe nomes tão complexos como "EP45C-DS3R". O que parece um nome complicado escolhido aleatoriamente na verdade faz parte de um código interno do fabricante. O "E" inicial a presença da arquitetura de gerenciamento dinâmico de energia da Gigabyte. Logo após, o "P45", obviamente, representa o chipset usado pela placa. O "C" significa "combo", ou seja, que a placa é capaz de usar memórias DDR2 ou DDR3 (um "T" nesse local significa compatibilidade apenas com DDR3). Após o hífen, o "D" significa que todos os capacitores são sólidos. O "S3" significa "smart, save, speed", que significa "inteligente, econômica e rápida". Outras placas desse fabricante usam sufixos "S2" (smart, save) ou "S4" (smart, save, speed, SLI). Finalmente, o "R" identifica placas-mãe com recurso de RAID. Em algumas placas ainda há um "H" para a presença de uma saída de vídeo HDMI.

embalagem.JPG

placa-mae.JPG


Slots
A primeira coisa que notamos na Gigabyte EP45C-DS3R é a presença de dois slots PCI Express x16 2.0. Esses slots são compatíveis com o CrossFireX da ATI. Se você tiver duas placas de vídeo com chipsets da nVidia, poderá utilizá-las em saídas independentes, mas não em modo SLI, que não suportado pelo chipset Intel P45.

Note, porém, que apenas um dos slots PCI Express X16 (o azul) realmente funciona na velocidade x16, enquanto o outro (laranja) é na verdade um PCI Express x8. A placa ainda possui três slots PCI Express x1 e dois slots PCI. Não há conectores de alimentação extra para os slots

slots.JPG


Uma coisa que podemos notar na Figura 3 são os conectores para porta serial e paralela. Esses conectores não existem no painel traseiro (veja mais adiante), mas você pode adquirir conectores e instalá-los para poder usar essas portas

Memória
Na Figura 4 você pode ver os soquetes para instalação dos módulos de memória. A EP45C-DS3R é capaz de funcionar com memórias DDR2 até 1.066 MHz ou DDR3 até 1.600 MHz. Note que não há como trabalhar com os dois tipos de memória ao mesmo tempo. Se a placa for ligada com os dois tipos de memórias instalados, você pode queimar as memórias e a placa-mãe.

Como todas as placas-mãe baseadas em chipsets Intel atuais, ela é capaz de acesso à memória em dois canais. Para habilitar esse recurso, basta instalar dois (ou quatro) módulos idênticos, em pares, nos soquetes de mesma cor.

O chipset Intel P45 suporta até 16 GB de memória DDR2 ou até 8 GB de memória DDR3. Porém, como a EP45C-DS3R tem apenas dois soquetes para memórias DDR3, ela aceita apenas até 4 GB de memória DDR3. Se você usar memória DDR2, porém, poderá instalar os 16 GB suportados pelo chipset.

memorias.JPG


Periféricos On-board
A Gigabyte EP45C-DS3R usa o chip ponte sul Intel ICH10R, que suporta seis portas SATA-300 com RAID 0, 1, 10 e 5. Você ainda pode transformar uma das portas SATA em uma eSATA usando um adaptador que acompanha a placa (veja na próxima página). Outra vantagem desta placa-mãe da Gigabyte é a presença de uma porta ATA-133 controlada por um chip JMicron JMB368, já que o chipset Intel P45 não oferece uma.

periferico.JPG


Este placa-mãe tem portas duas Gigabit Ethernet controladas por dois chips Realtek RTL8111C, que são conectados ao micro usando pistas PCI Express e por essa razão são capazes de obter os seus desempenhos máximos.

O áudio desta placa-mãe é 7.1 produzido pelo chip ponte sul com ajuda de um codec Realtek ALC889A, um dos melhores do mercado, com uma relação sinal/ruído de de 108 dB em suas saídas analógicas e 104 dB em suas entradas analógicas. Esta placa-mãe oferece saídas independentes de áudio analógico no formato 7.1, o que é excelente. Ela também tem saídas SPDIF coaxial e ótica on-board.

Esta placa-mãe tem 12 portas USB 2.0, sendo que oito delas estão soldadas no painel traseiro. A propósito, o chip ICH10 tem um recurso chamado “Desabilitar Porta USB” (“USB Port Disable”) que permite a você desabilitar portas USB individuais. Este é um recurso muito interessante para ter em micros que são usados por várias pessoas para evitar que usuários instalem dispositivos USB (por exemplo, um disco rígido externo ou uma memória flash USB, que pode conter vírus e também para evitar que as pessoas copiem dados).

Esta placa-mãe tem ainda três portas Firewire (IEEE1394) controladas por um chip Texas Instruments TSB43AB23, duas soldadas no painel traseiro e uma disponível através de um adaptador externo.

Na Figura 6 você pode ver o painel traseiro da placa-mãe: conectores PS/2, oito portas USB 2.0, saídas SPDIF coaxial e óptica, duas portas Firewire, duas portas Gigabit Ethernet e saídas independentes de áudio analógico 7.1.

entradas.JPG


Outros Recursos

A Gigabyte EP45C-DS3R vem com outros recursos importantes. Como mencionamos anteriormente, todos os capacitores eletrolíticos usados nesta placa-mãe são sólidos de um fabricante japonês, o que evita o infame problema do vazamento dos capacitores. Quanto ao circuito regulador de tensão, ele é equipado com bobinas de ferrite, que oferecem 25% a menos de perda de energia se comparada com bobinas de ferro, e transistores MOSFET com baixo RDS(on), ou seja, baixa corrente de fuga, que consomem menos e esquentam menos. Além disso, esse circuito usa um projeto com seis fases, que gera menos calor, tem uma maior vida útil e oferece tensões mais limpas para o processador do que as placas "comuns" que usam reguladores de três fases. Para uma maior compreensão da importância de uma implementação deste tipo, leia nosso tutorial Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre o Circuito Regulador de Tensão da Placa-mãe.

outros-recursos.JPG


O conjunto de acessórios que acompanha essa placa-mãe é relativamente simples: além do manual, guia de instalação, CD com drivers, cabos SATA, IDE e de disquete, espelho traseiro do gabinete e um par de adesivos, a única coisa que realmente se destaca é um adaptador que permite que você utilize uma porta SATA comum em uma porta eSATA, bem como um par de cabos que você pode utilizar para ligar um disco rígido SATA comum no seu computador sem precisar abrir o gabinete

URL: http://www.clubedohardware.com.br/
 
Tópico muito bem montado! Parabéns! :D