•  
     

PF prende dois deputados estaduais de Alagoas suspeitos de h

PF prende dois deputados estaduais de Alagoas suspeitos de homicídio


Os dois já estão afastados de seus cargos por acusação de corrupção.
Um terceiro deputado está sendo procurado pelos agentes.


A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira (11) dois deputados estaduais de Alagoas: Antonio Albuquerque (sem partido), ex-presidente da Assembléia Legislativa, e Cícero Ferro (PMN). Outro deputado, João Beltrão (PMN) ainda é procurado pelos agentes. Os três são suspeitos de homicídio.



A ação faz parte da Operação Ressugere, que, segundo a PF, significa ressurreição. Ao todo, foram expedidos 10 mandados de prisão, dos quais seis cumpridos, e 10 de busca e apreensão. Ainda não há um balanço dos mandados de busca que foram cumpridos.



Apesar de os deputados terem sido presos pela PF, os inquéritos que os acusam são da Polícia Civil, segundo a assessoria da PF. Todos se referem a crimes de pistolagem (morte encomendada).



Não há ligações com a Operação Taturana, na qual os três foram indiciados pela PF por corrupção, peculato e formação de quadrilha.



Cícero Ferro é acusado pela polícia de encomendar a morte do primo Jacó Ferro, em 2005. Antonio Albuquerque é suspeito de mandar matar um policial em 1996.



Os três deputados investigados na Operação Ressugere já estão afastados de seus cargos por decisão judicial porque foram acusados de participar de esquema de fraude na folha de pagamento da Assembléia e de pagarem empréstimos com recursos públicos.

As supostas fraudes teriam gerado um rombo de R$ 300 milhões aos cofres públicos e foram investigadas na Operação Taturana, deflagrada em dezembro do ano passado.


Além dos três, outros oito deputados também estão afastados de seus cargos em razão das supostas fraudes na Assembléia.



O advogado Welton Roberto, que defende Cícero Ferro, afirmou que a prisão é temporária e que ainda não sabe os motivos da prisão. "Tem um caso de 2005. Estamos primeiro avaliando a necessidade da prisão já que o caso é antigo. Devemos entrar com um habeas corpus."



Segundo ele, há um inquérito da Polícia Civil de 2005 em que Cícero Ferro é suspeito do assassinato de um primo. O advogado disse que o deputado nega essa acusação e atribui o crime a um outro primo.



O G1 entrou em contato com Adelmo Cabral, advogado de Antonio Albuquerque, e aguarda resposta. A reportagem tenta localizar a defesa de João Beltrão.

http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0 ... CIDIO.html