•  
     

Peru: Universidade de Yale tem 40 mil peças de Machu Picchu

Peru: Universidade de Yale tem 40 mil peças de Machu Picchu

O governo do Peru revelou hoje que a universidade americana de Yale tem em seu poder mais de 40 mil peças da cidade inca Machu Picchu, cerca de 36 mil a mais do que se acreditava inicialmente, segundo um inventário realizado pelo Instituto Nacional de Cultura (INC) do país andino.

"O relatório do INC declara a existência de mais de 40 mil peças e fragmentos arqueológicos agrupados em mais de 5 mil lotes. Cabe revelar que até o momento se falava somente de um inventário de pouco mais de 4 mil itens", revela Hernán Garrido Lecca, comissário especial do presidente peruano, Alan García, no caso da repatriação dos tesouros de Machu Picchu.

machu.jpg
machu.jpg (16.08 KiB) Visto 545 vezes


O Peru afirma que os objetos arqueológicos de ouro, prata, madeira, osso, pedra e cerâmica que Yale possui foram levados temporariamente em 1912 a esse centro de estudos pelo descobridor do santuário, o americano Hiram Bingham, e nunca foram devolvidos.

Em setembro de 2007, a Universidade de Yale - que até pouco tempo negava que as peças fossem de propriedade peruana - e o Governo do Peru anunciaram a devolução de parte da coleção, o que motivou críticas de políticos e intelectuais do país sul-americano que exigiam a repatriação total do tesouro.

No início de março, o governo enviou uma delegação de especialistas do INC aos Estados Unidos para realizar o primeiro inventário "in situ" das peças da coleção de Hiram Bingham e elaborar uma contra proposta.

A universidade americana reconheceu que a propriedade dos restos arqueológicos que Bingham retirou de Machu Picchu era do Estado peruano, mas afirmou que só pretendia devolver ao país andino 384 peças, em um prazo de dois anos.

Yale exige que os objetos que voltarão ao Peru sejam os mais adequados para serem exibidos em um museu, que deverá ser construído em Cuzco, cidade mais próxima das ruínas, sob especificações ditadas pela prestigiosa instituição educativa.

As peças restantes permaneceriam em Yale para futuras pesquisas, e poderão retornar ao Peru em um futuro ainda não determinado. Ao serem anunciadas hoje as conclusões do INC, Garrido Lecca, que também é titular da pasta de Saúde, afirmou que o Governo peruano "deseja o retorno ao país da totalidade das peças depositadas atualmente na Universidade de Yale".

Bingham, professor de Yale, chegou à montanha que abriga Machu Picchu - recentemente eleita nova maravilha do mundo - em 1911, guiado por habitantes locais e no ano seguinte levou as peças.

Recentes investigações, no entanto, afirmaram que Machu Picchu foi descoberta pelo fazendeiro peruano Agustín Lizárraga, em uma viagem que fez pelo Peru no dia 14 de julho de 1902, nove anos antes que Bingham.

Fonte: http://misteriosantigos.com/artigos/mod ... itemid=161
 
Rox !