•  
     

Os computadores do futuro

O futuro já começou nos computadores
O novo mundo da informática mudou hábitos e costumes. Na última reportagem da série sobre tecnologia da comunicação, nossos repórteres mostram as novidades que vão revolucionar a vida de todos nós.


A que ponto chegamos: o computador e o homem se comunicando por telepatia? É quase isso.





Com uma câmera, uma máquina enxerga os nossos movimentos e responde. Seja pra informar a previsão do tempo ou fazer propaganda. A relação entre homens e máquinas é cada vez mais natural, mais inteligente.


O fabricante diz que até o incômodo controle remoto vai acabar.

"As televisões vão ser comandadas por gestos. A mão para cima muda o volume.



Para a direita, avança um canal. E assim por diante", explica ele.

A tecnologia muda os nossos gestos, se infiltra em nossa rotina e ajuda até a espantar a solidão de quem vive hoje como muitos viverão no futuro.

Com internet sem-fio, de graça, em um restaurante todo mundo trocou o silêncio de casa ou da empresa pela agitação. Tem salada de informações, chá com pesquisa e reunião de trabalho com café expresso.

A empresa de Cristina, por exemplo, decidiu poupar dinheiro com escritório. Ela leva o computador, o celular e esquece da vida.

"Almoço e janto aqui, é chato trabalhar de casa e eu faço isso duas ou três vezes por semana”, conta ela.

Do outro lado da rua, uma escritora deu uma paradinha para conversar pela internet.

Em um café, a mesa-computador quer substituir o jornal de papel. Quase 50% dos americanos já acessam a rede em alta velocidade. Mais de 300 cidades, como São Francisco, oferecem ou estão instalando o serviço de internet sem-fio, de graça, para todo a população.


Em breve, em alguns lugares, esse acesso vai ser oferecido também para quem estiver em ônibus e metrôs. Mas, afinal, agora que o futuro se aproxima, como organizar essas informações? Quem vai guardar os nossos segredos digitais?

Centros de dados são lugares extremamente protegidos e sombrios. Ventania para esfriar o cérebro quente de milhares de máquinas. Jaula e cadeado para proteger os tesouros digitais.

São os servidores, computadores, que processam os dados que a gente manda pela internet. Neles podem estar, por exemplo, o site com as informações do seu banco, da sua conta corrente. As torres de supercomputadores armazenam uma infinidade de dados.

Medidos não mais em giga ou megabytes: entramos na era do terabyte. E para gerenciar informações aos trilhões, pesquisadores da Intel trabalham no projeto de um computador que não precisa de nada além de chips e um cabo de fibra ótica.

O pesquisador explica que tudo será integrado num computador que poderá ser do tamanho de uma caixa de fósforos. E esse equipamento vai estar ligado à internet em uma velocidade muito superior a que temos hoje.

O computador do futuro não precisará de disco rígido, será como um cérebro conectado à rede. É o que especialistas chamam de computação nas nuvens. Células nas casas, nos escritórios, ou mesmo móveis, estarão ligadas a milhões de computadores que oferecem todo tipo de serviço. É a chamada nuvem da internet. Se tudo acontecer como previsto, os computadores serão muito mais baratos do que hoje e cada vez mais populares.

No meio dessa imensa nuvem, só mesmo um mapa do planeta para organizar e encontrar exatamente o que a gente precisa saber.

"Nosso objetivo é que qualquer pessoa possa acessar as informações através do mapa e compartilhar seus dados com o mundo inteiro”, acrescenta Bernardo Hernandez, diretor de marketing do Google.

Imagens de satélite mostram qualquer ponto da terra e informam, por exemplo, sobre os restaurantes daquela região.

Olhando mais de perto, dá pra ver os detalhes de grandes cidades americanas, em três dimensões.

"Há dez anos era impensável organizar tudo isso por causa da quantidade de computadores que seriam necessários e principalmente por causa da velocidade de transmissão da internet naquela época. Tudo isso só está sendo possível graças a mudanças profundas na tecnologia", diz Bernardo Hernandez.

Se as máquinas não se rebelarem contra nós, não tem problema.



Carregá-las para cima e para baixo, almoçar, jantar com elas e, quando chegar em casa, fazer apenas um gesto paradizer, boa noite, companheira, nos vemos no futuro, amanhã de manhã
Última edição por saulo-moises em 20 jan 2009 17:35, editado 1 vez no total.
 
nossa ele tava mexendo no pc com o pé encima sauhsua legal
 
uahuhahuahuahuahua... dahora.