•  
     

Operação na Rocinha termina com dois mortos

Júlia Moura, JB Online


RIO - A operação da Polícia Civil na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio terminou nesta terça-feira por volta das 11h30. em confronto com a polícia. Duas pessoas foram presas durante a operação que começou por volta das 6h desta terça-feira.

A ação teve o objetivo principal localizar o chefe do tráfico na Rocinha, Zona Sul do Rio. O suspeito, conhecido pelo apelido Nem, não foi encontrado. Cerca de 200 policiais do Core, DRFA, DRFC, Decod e DRAE foram recebidos a tiros e bombas por traficantes da favela. Na chegada, os policiais ficaram encurralados no túnel Zuzu Angel, após 20 minutos conseguiram avançar.

Os homens baleados chegaram a ser levados para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, mas morreram antes. As informações foram confirmadas pela sala de polícia do hospital. Os policiais apreenderam uma espada e roupas falsas da Polícia Civil e do Batalhão de Operação Especiais (Bope).

Os motoristas que passavam perto da Rocinha, em São Conrado, e moradores ficaram assustados com o intenso tiroteio. A rotina para os que vivem na comunidade foi mais uma vez alterada. Moradores que saiam para ir ao trabalho tiveram que aguardar o fim do tiroteio. Algumas lojas e comércio não abriram.

Cerca de 2.400 crianças de duas escolas e um Ciep ficaram sem aulas, por causa do tiroteio, de acordo com informações da Secretaria municipal de Educação.


Um helicóptero deu cobertura aos policiais. O túnel Zuzu Angel ficou fechado por cerca de 20 min, sentido Barra da Tijuca, mas já está liberado.