•  
     

O homem que vive de sol e água

O ucraniano Nikolay Dolgorukiy, 49 anos, é um daqueles tipos que possivelmente cairam de cabeça no nascimento, possui o recorde de mais horas olhando diretamente para o sol, 13 horas (impressiona que ainda enxergue alguma coisa) e entre uma ou outra excentricidade, Nikolay afirma que, desde 2003, só se alimenta da luz do sol e de alguns líquidos.

Nikolay_Dolgorukiy.jpg
Nikolay_Dolgorukiy.jpg (39.49 KiB) Visto 874 vezes


Seu café da manhã é tomar um solzinho muito temporão pela manhã. Diz que isto estimula muito mais que uma caneca de café. Segundo suas próprias palavras, agora só quer voar, cantar e rir. E o mais surpreendente é que não sente o menor apetite.

Entre os alimentos consumidos por Nikolay (além da luz do sol), estão o chá verde, caldo de vegetais, água fervente com um pouco de mel ou algum caldo preparado com algum peixe da temporada (mas só o caldo, diz ele). Também bebe leite, chocolate, sucos e chá com mel (ah, bom...).

Ele conta orgulhoso que um dia, na manhã do 25 de agosto do 2003, informou seus órgãos com voz firme que doravante se alimentariam só de luz solar. A princípio, recorda, sofreu muito. Tinha terríveis pesadelos (frangos enormes) e sentia grande debilidade, suava profusamente, mas que pouco a pouco foi se acostumando a sua nova dieta.

Durante a filmagem de um documentário japonês sobre ele, o russo se submeteu a numerosos exames médicos que apontam que ele goza de uma plena e surpreendente saúde. Segundo seu site, em 1993 graduou-se na universidade com uma especialidade em Bioenergética e em "Psychocorrection" (Psicocorreção? Mas que diabo é isso?).

Nikolay passa o dia todo construindo pirâmides e câmaras solares. Diz que os cientistas comprovarão um dia que os humanos poderão algum dia comer a energia do sol, que logo estarão preparados para o "Autotrofismo" (???).

Seu site está cheio de depoimentos, fotografias das pirâmides e câmaras que constrói. Ao que parece, organizou toda uma comunidade em torno desta filosofia-religião-clube-negócio.

E, como não poderia deixar de ser, também promove sessões de curas afirmando que ele é só um conduto mediante o qual a energia do cosmos é expressada.

Finalmente, pede doações (básico) para continuar com suas pesquisas.

Nikolay não está sozinho em suas sandices e inclusive existem por aqui grupos que defendem a mesma tese, mas a maioria prefere mesmo uma boa macarronada. Mas, de qualquer forma, não seria nada mal que as afirmações do ucraniano fossem verídicas, com aquele "solão" da África, o problema da fome estaria resolvido.

Fonte: http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=4901