•  
     

O ESTADO, O ABORTO, O GAY E A RELIGIÃO

No Brasil existem coisas estapafúrdias como a tal bancada evangélica. Aqui no Acre, um estado desanimadoramente evangélico pentecostal, isso tem reflexos absurdos. Não bastasse a instauração do dia do evangélico, agora Henrique Afonso (PT) e CiA pretendem levar aos limites a doutrina cristã para dentro das votações dos projetos de lei. Melhor expressando-me, a doutrina cristã protestante. Numa entrevista recente, falou que aborto e direitos dos homossexuais estavam completamente fora de cogitação por serem questões absolutamente controversas e desagradáveis aos olhos de Deus, além de fora dos conformes bíblicos.

A República Federativa do Brasil é laica. O Acre é um ente federativo da República, portanto também é laico. Mas o que é ser laico? Simples: o Estado - administração pública - não deve de forma alguma governar por meio de alguma crença religiosa. Votar contra projetos de lei que visam à regulamentação do ato abortivo ou da união entre pessoas do mesmo sexo embasado em preceitos unicamente religiosos, sem levantamentos científicos objetivos e claros acerca do problema, não é só algo estúpido, é inconstitucional.

O deputado Henrique Afonso se vangloriava de haver numa sessão da Câmara dos Deputados mais parlamentares protestantes. Ora, ora, ele não está lá para satisfazer seu ego religioso fundamentalista, ele está lá como parte de um organismo abstrato e público, representando cada um dos acreanos, inclusive os que não são protestantes como ateus, sem religião, católicos, budistas, macumbeiros e todas as outras religiões ou posições filosóficas as quais permite a Constituição Federal de 1988.

Já deixei claro em outras ocasiões, que se os religiosos limitassem-se a professar suas crenças dentro de seus grupos sociais, de suas denominações ou de seus templos, eu nada teria contra. O que me enfurece é essa mania _______ de querer se meter em questões que devem estar o mais distante possível das conjecturas de natureza religiosa.

Outro dia eu estava voltando da faculdade no ônibus, quando entrou um desses doentes (porque eu chamo isso de doença) evangélicos que ficam pregando no meio das ruas e instituições públicas. Ele levantou, foi para frente do veículo, ergueu sua Bíblia e começou a bradar: “Boa noite, amados. Tenho uma mensagem hoje pra vocês...”. Começou calminho procurando a atenção e respeito dos passageiros, com seus erros grosseiros de português - típicos dos humildes mensageiros crentes - mas logo mostrou seu lado sombrio e viciado. Uma senhora horrorizada diante das asneiras ditas - pois o pobre diabo vociferava e condenava os não convertidos à sua crença ao quinto dos infernos - revidou baixinho: “Ave Maria”. Tadinha, a pobrezinha deve ter se arrependido amargamente por seu comentário, pois o louco ensandecido pregador protestante da palavra ouviu o resmungo da católica senhora e logo se descontrolou: “Ave Maria, nada! Isso são deuses vagabundos, minha senhora! Que Maria que nada, eles são enganadores, é o Satanás agindo. Esses deuses são feitos de barro: têm pés, mas não andam; têm olhos mas não vêem; têm ouvido mas não ouvem!”. Como se o Deus pentecostal do protestante andasse, enxergasse e ouvisse.

Vejam só a que ponto chega o desrespeito desse grupo de fundamentalistas bitolados. Deveria ser proibido e deveriam ser punidos aqueles que professam qualquer credo em lugares públicos, se nossa lei permite a pluralidade de crenças, estas devem ser respeitadas. Mas o que esperar desse Brasil de mentes colonizadas? De escravos executivos? De políticos pastores? A Igreja Católica me causa grande repulsa, mas tem algumas particularidades que me chateiam menos. Por exemplo: para ser padre, é preciso anos de estudos e reflexão. Uma discussão com um padre é incomparavelmente melhor e mais embasada que com um líder evangélico. Segundo: geralmente, padres não se envolvem diretamente com a política nacional, ou pelo menos, não tão descaradamente. Entretanto, ambas são religiões provenientes da fraqueza, perpetuadas sob as condições miseráveis e pela ignorância do povo ludibriado desde os tempos de Abraão. O cristianismo é a maior fraude da humanidade.

Mas, voltando ao tema do início, as comunidades religiosas, organizadas por líderes muitas vezes mal intencionados pretendem infiltrar-se em todas os campos possíveis do poder. Isso é muito complicado, pois termos uma política regida por crenças de natureza religiosa nos faz regredir a um patamar de inferioridade inigualável. As decisões e mudanças na legislação no que concerne ao aborto ou aos direitos dos homossexuais devem ser embasadas e terem como foco pesquisas sérias de biólogos, pesquisadores, cientistas, sociólogos, filósofos e a sociedade como um todo. Imaginem, numa votação de lei, parlamentares armados com suas Bíblias debaixo dos braços gritando que a lei de Deus não permite. Sentiria-me de volta à Inquisição ou à Caça às Bruxas.

O aborto é uma questão séria de política pública, o evangélico não conhece ciência, eles não distinguem um feto de uma célula-ovo. Muitos desinformados ainda pensam no aborto como um ato homicida, onde a criança sairia aos pedaços da ________ da mulher, numa cena pior que qualquer uma do filme trash O massacre da Serra Elétrica. Os apelos usados pelos que são contra o aborto são de mau gosto, mostram fetos desmembrados, mal-formados, imagens chocantes de abortos mal-sucedidos feitos de maneira clandestina. O aborto legalizado não seria nada disso, pois o que seria eliminado corresponderia apenas a um amontoado de células que ainda não poderia ser considerado vida. Esse “aborto” acontece de forma espontânea com células descartadas naturalmente pelo organismo da mulher todos os meses.

Ao contrário do que muitos pensam o aborto, uma vez legalizado, não seria um tipo de método contraceptivo utilizado em demasia pelas mulheres, pois junto à aprovação do aborto deveriam ser planejadas políticas públicas de acompanhamento dessa mulher paralelamente a um pesado programa de incentivo ao planejo familiar. É simples, falta vontade política e coragem para enfrentar os arredios fundamentalistas cristãos que falam em vida e amor, mas desconhecem completamente o que significam.

Em países desenvolvidos e em desenvolvimento o aborto é permitido. Nos EUA, por exemplo, a Constituição americana legaliza o aborto até a 24ª semana de gestação; no Japão, até 21ª semana e na França, até a 12ª segunda semana. As francesas ainda dispõem de uma pílula do aborto que pode ser utilizada até 7ª semana de gestação. Se Deus existe, ele deveria estar mais preocupado em evitar os anencéfalos, os bebês com problemas congênitos e toda uma infinidade de possibilidades de desastres que poderiam ocorrer a uma mãe que queira realmente ter um filho e amá-lo maternalmente.

Os evangélicos, com sua lei mosaica originária do Velho Testamento, onde diz que os primeiros humanos foram Adão e Eva, que o firmamento se apóia em pilastras, que morcego é ave, que cobra fala, jumenta fala e que a terra tem pouco mais de 10 mil anos, deveriam retornar aos seus locais de culto e limitarem-se a falar a seus membros desinformados.

Quanto à homossexualidade considero que, descartados os fatores sociais e culturais – praticamente irrelevantes - ela é um estado. Assim como nascem homens e mulheres, nascem homossexuais em potencial que, com o passar do tempo e o amadurecimento, descobrem sua verdadeira natureza. A homossexualidade é o resultado de uma alteração no nível de hormônios recebidos pelo feto durante a gestação, isso não tem nada a ver com opção _____ e sim com uma condição natural. Homossexuais não são menos inteligentes ou capazes, muito pelo contrário, o que temos visto é um destaque desse grupo dentro das sociedades contemporâneas. Evangélicos patológicos têm verdadeiro asco pelos gays, consideram anormalidade e aberração aos olhos do senhor. Mas vejamos que coisa mais estranha, ao mesmo tempo que consideram uma conduta completamente antinatural e contrária à “vida saudável”, existem vários animais supostamente criados por Deus que praticam atos homossexuais! Estima-se que atos homossexuais ocorrem em cerca de 90% dos mamíferos. Ora, mas que Deus brincalhão, fez animais gays!?? Um animal é inconsciente, não tem “alma” e mesmo assim é gay. Por quê? Ele age por instinto, me responderão os mais espertos. Mais aí me vem outra dúvida: instinto dado por quem de acordo com a doutrina cristã? Por ele mesmo: Deus! O Senhor dá instintos gays às suas criações. O próprio Deus é um espírito bissexuado, já que até hoje não se sabe realmente qual seu sexo e já que ele nunca se pronunciou a respeito...

Religião e política não combinam. A história já se encarregou de demonstrar os resultados explosivos e terríveis dessa mistura. Pastores, líderes religiosos, obreiros do Salvador, por favor, deixem a administração pública para àqueles que não têm de prestar contas a nenhum deus e a nenhuma religião, pois assim estarão servindo a toda coletividade e a todos os credos. Voltem às suas igrejas e trabalhem em algo mais despretensioso, o deus de vocês ficaria bem mais orgulhoso, afinal, o próprio Jesus já dizia: “a César o que é de César, a Deus o que é de Deus”.
 
Bom, a Bíblia Sagrada, que é a Palavra de Deus, é bem clara em relação ao homossexualismo>
"Varão não se deitará com varão, como se fosse mulher; é abominação." Levítico 18 verso 22.
"Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza;
semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro.
E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm;" Romanos 1 versos 26 ao 28.
"Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,
nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus." I a Coríntios 6 versos 9 ao 10,
Portanto, segundo a eterna lei de Deus o homossexualismo ou homossexualidade é pecado, e quem pratica tais atos não herdará o reino de Deus, pois Deus não muda a sua palavra.
Todo cristão evangélico ama o pecador que é o homossexuall, mas não pode amar o pecado que é o homossexualismo, que é a homossexualidade. O homossexualismo, a homossexualidade sempre foram e sempre serão pecado.
Agora, me dirão que sou fundamentalista. Não nego pois me é um elogio, pois me faz lembrar dos fundamentos da fé Cristã, da doutrina Cristã, me faz lembrar de seguir as pegadas do meu Senhor Jesus, que estando eu em pecados veio e me salvou, me libertou e me deu vida nova, pois não posso negar os fundamentos da minha fé cristã que me ensina a amar o pecador e aborrecer o pecado. Amo o mentiroso mas odeio a mentira, amo o homossexual mas odeio o homossexualismo, que é uma prática abominável diante de Deus, amo os meus inimigos mas odeio a inimizade.
Não nego ser fundamentalista, pois o meu fundamentalismo cristão me ensina a amar ao meu próximo, aos meus inimigos, aos meus adversários, a aqueles que me aborrecem, a perdoar aqueles que me ofendem, que me xingam, que me difamam, que me tratam mal, que me injuriam, e que fazem falsas acusações contra mim injustamente.
Sou fundamentalista, pois o meu fundamentalismo me ensina a andar nas veredas da justiça, praticando a justiça, abominando o pecado mas não o pecador, me mostra o quanto eu dependo exclusivamente de Deus, e necessito da graça de Deus.
 
CHX Escreveu:Portanto, segundo a eterna lei de Deus o homossexualismo ou homossexualidade é pecado, e quem pratica tais atos não herdará o reino de Deus, pois Deus não muda a sua palavra.


Então na sua opinião os gays vão para o inferno?
 
Não é minha opinião, Anderson, mas é o que diz a Bíblia, que em Romanos 6 versos 9 ao 10 nos diz: "Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,
nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus."
Portanto, quem declara isto é o próprio Deus, é a própria Palavra de Deus que assim o declara, e não posso negar um ensinamento claríssimo da Bíblia Sagrada, mas creio firmemente naquilo que a Bíblia Sagrada diz.
 
Sim, mais e a sua opinião, você acha que os gays vão para o inferno?
 
Sim, Anderson, pois a minha opinião é a mesma da Bíblia, a qual creio firmemente ser a Palavra de Deus.
 
Autor : Prof. João Flávio Martinez Publicado em : Quarta, 01/08/2007


Não se enganem, não herdarão o reino de Deus os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os difamadores, os marginais. Alguns de vocês eram assim. Mas foram lavados do pecado, separados para pertencerem a Deus e aceitos por ele por meio do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito do nosso Deus" (Apóstolo Paulo em 1 Co 6.9 a 11 – BLH)
CONTRADIÇÕES TEOLÓGICAS

Para validar seu comportamento, os militantes homossexuais recorrem a todo tipo de argumentação. À primeira vista, as pessoas menos informadas podem achar que as declarações dos ícones do movimento gay fazem sentido e se baseiam em fatos incontestáveis. Puro engano. Na verdade, esses argumentos não resistem a uma análise mais acurada e desprovida das motivações que estão por trás da maioria das afirmações dos mentores do movimento gay, incluindo sua teologia.

Tentando neutralizar os escritos paulinos contra o comportamento homossexual, os militantes argumentam que as palavras afeminados e sodomitas empregadas em 1 Coríntios 6.9-11 foram mal traduzidas. Entretanto, as palavras gregas malakoi e arsenokoitai têm significados específicos. Malakoi significa "macio ao tato". Arsenokoitai é composta de duas outras palavras arsen (macho) e koitai (cama). Em outras palavras, esse termo se refere aos homens que vão para a cama com outros homens. Mas homossexualismo não é o único pecado _____ condenado na passagem em questão. Pornoi (fornicadores) e moichoi (adúlteros) mostram que não é só o homossexualismo que exclui pessoas do reino de Deus. Em contrapartida, o texto deixa claro que ninguém precisa permanecer excluído do reino, pois na igreja que estava em Corinto (cidade extremamente libertina onde o homossexualismo e a pedofilia eram considerados normais) havia alguns que deixaram o homossexualismo, bem como os outros pecados.
 
Autor : Prof. João Flávio Martinez Publicado em : Domingo, 18/11/2007


“Sou a favor do direito de escolha da mulher. Sou a favor do aborto, sim. A Bíblia também é.” (Bispo Edir Macedo)
O Bispo Macedo costuma usar essa passagem de Eclesiastes 6.3 para dizer que a tese da liberalização do aborto tem algum respaldo bíblico, vejamos esse texto em algumas versões:

“Se o homem gerar cem filhos, e viver muitos anos, e os dias dos seus anos forem muitos, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é melhor do que ele”. (Almeida)

Mesmo que um home tem cem filhos e filhas, mesmo que viva muitos anos, se não aproveitou do que ganhou, nem deixou dinheiro suficiente para que seus filhos lhe dêem um enterro decente – acho que teria sido melhor para esse homem ter nascido morto. (Bíblia Viva – Ed. Mudo Cristão)

Veja o texto na Bíblia Linguagem de Hoje: "que adianta um homem viver muitos anos e ter cem filhos se não aproveitar as coisas boas da vida e não tiver um enterro decente? Eu digo que uma criança que nasce morta tem mais sorte que ele".

O livro de Eclesiastes é repleto de pensamentos alegóricos em que o homem é levado a pensar em seu fim, que é estar junto a seu Criador. Neste caminho, o homem é confrontado com pensamentos melancólicos sobre o suor gasto no seu dia-a-dia, em seu trabalho, na vaidade de tantas ações humanas e que muitas vezes mais nos afastam que nos aproximam do Altíssimo. O dia-a-dia pode ser sufocante e é necessário que o homem, esta criatura amada infinitamente por Deus, tenha sempre à sua frente seu destino, seu rumo, seu Deus. O belíssimo texto em questão mostra o quanto à vida pode ser improdutiva mesmo que tantas vezes pareça a muitos que ela é bem-sucedida. Uma vida vazia é uma vida sem Deus, e o Eclesiastes mostra que quem não encontra a verdadeira felicidade - Deus – por mais que tenha trabalhado e lutado, sua existencialidade foi nula, como alguém que não viveu, como uma pessoa que nasceu morta.
 
Eu Acho que SIM, porque se DEUS fosse a favor do OMOSEXUALISMO, ele tinha feito

ADÃO e ÍVO .. :lol: :lol: :lol:

UAHUAUAHUAHUAHUAUAHUAHUAHUAHUAHUA :lol: :lol: :lol:
UAHUAHAHAUHAUAHUAHUAUAHUAHUAHAUHA :lol: :lol: :lol:
 
INRI CRISTO elucida a questão do aborto


Sr. Inri Cristo, estou lendo a sessão "300 perguntas sem censura" de seu site e fiquei positivamente impressionado com a profundidade e clareza das respostas. Embora ainda não tenha lido todas as perguntas e respostas, um dos temas chamou muito a minha atenção. Em uma das questões, questionado sobre o aborto, o Sr. explica que a vida propriamente dita (união da matéria com o espírito) só se dá quando o recém nascido aspira o ar pela primeira vez. Esta resposta me deixou em dúvida, pois sempre acreditei que a união do espírito reencarnante com a matéria se dá no momento da fecundação, quando passa a existir um ser diferente da mãe e do pai, com um novo DNA. Fiquei também pensativo pois, a prevalecer o entendimento do Sr., então o aborto, ainda que no final da gravidez, não seria tão culpável como imaginamos, pois apenas teríamos a expulsão de matéria orgânica "viva", mas sem vida, já que ainda sem espírito.
No entanto, Sr. Inri Cristo, a ciência nos demonstra que o feto humano é passível de emoções como alegria, medo e até mesmo "stress". Experiências demonstram que com alguns meses de gestação, depois de formado o aparelho auditivo, o feto é capaz de reconhecer a voz da mãe, que lhe funciona como acalento. Por seu turno, em sessões de regressão é possível fazer as pessoas lembrarem-se de fatos que aconteceram enquanto ainda estavam na barriga de suas mães. Como justificar sua resposta (de que a vida só surge quando o recém nascido aspira o ar pela primeira vez) quando confrontados com estes dados, todos conseguidos com base em pesquisas científicas sérias? Uma massa orgânica, se não tiver um espírito, é incapaz de emoções e, menos ainda, de possuir recordações e reconhecer a voz de sua mãe...
Aguardo uma resposta do Sr. Deus nos abençoe a todos,
William Magalhães.


Em resposta à indagação do internauta William Magalhães, eis o pronunciamento de INRI CRISTO:

“É mister salientar que o feto só pode ser considerado uma criança quando é passível de ser criado independente do corpo da gestante, ou seja, quando sobrevive desvinculado do cordão umbilical. Enquanto o feto depende do corpo da gestante, ele existe como mais um membro do corpo da mulher, é meramente um conjunto de células em multiplicação. A partir do momento em que o feto tem condições de ser criado independente do corpo da gestante, só então é possível lhe atribuir o status de criança, e neste caso, torna-se ilícito recorrer ao aborto. É preferível abortar do que jogar crianças em latas de lixo, em riachos, abandoná-las nas ruas, como tem sido noticiado sistematicamente nos meios de comunicação; mais um dos sinais do fim dos tempos.
A Ciência já comprovou que o feto tem todos os seus órgãos formados desde o segundo mês (incluindo as impressões digitais), seu cérebro produz ondas desde as 6 semanas (um mês e meio), seu coração funciona a partir dos 21 dias (menos de um mês após a concepção). Mas ocorre que a vida do feto é somente a vida física, a vida que a gestante lhe dá, não é vida emanada do espírito, do sopro divino; se a genitora sente emoções de medo, alegria, stress, e libera hormônios na corrente sanguínea, ela automaticamente transmite essas emoções ao feto uma vez que ele está diretamente vinculado ao corpo dela, mas não é o espírito do feto que origina as sensações, posto que o espírito ainda não habita a corrente sanguínea (tendo em vista que o sangue é a morada do espírito e é no sangue que o espírito permanece acoplado durante a vida terrena). A partir do momento em que o feto tem nervos, e os nervos recebem estímulos, é natural, completamente normal que ele responda a esses estímulos e até registre as impressões exteriores na região do cérebro concernente à memória (assim é possível compreender por que os que se submetem ao processo de regressão adentram nas lembranças do período intra-uterino).
Reitero uma vez mais que o espírito só é acoplado ao corpo físico quando o nascituro aspira o primeiro hausto de ar vivificante; após aguardar durante toda a gestação o momento de reencarnar, o espírito se apossa do corpo no preciso momento em que a criança enche de ar os pulmões. E ainda assim, o espírito só adquire a individualidade quando é cortado o cordão umbilical. Isso é o que o SENHOR, meu PAI, me mostrou e não se aprende nas academias dos homens.

No afã de ilustrar o que vos acabo de afirmar, visito as catacumbas dos séculos e concedo uma homenagem póstuma ao René Descartes, um cientista inspirado por DEUS que se dedicou ao estudo das ciências independente das academias. Quando dissecava cadáveres em seus estudos, no século XVII, ele chegou à conclusão de que a vida do feto depende da gestante; o feto não tem vida própria uma vez que seus pulmões não funcionam, não aspiram o ar vital. Ele escreveu no seu Discurso do Método: “(...) Comprova-se isto nos animais sem pulmões, que têm apenas uma concavidade no coração, e nas crianças, que, não os podendo usar enquanto estão dentro do ventre materno, têm uma abertura por onde escoa sangue da veia cava para a concavidade esquerda do coração, e num conduto por onde o sangue vem da veia arteriosa para a grande artéria, sem passar pelos pulmões (...)”.
Enquanto o espírito não se apossou do corpo, o feto não tem status de criança. Aproximadamente a partir dos cinco meses de gestação, enfim, a partir do momento em que ele consiga sobreviver fora do ventre da gestante, seja na incubadora, não importa por que meio, ele adquire então o status de criança. Aí cabe aos cientistas determinar, calcular a partir de que momento o feto estará apto a sobreviver fora do ventre da gestante. Melhor não ter que abortar, mas na necessidade de recorrer ao aborto, então que se faça já nas primeiras semanas, de preferência até o terceiro mês de gestação.
O espírito que aguarda o momento de acoplar é apenas um candidato a reencarnar, mas ele ainda não está conectado ao corpo no ventre da mulher. Acontece que, se uma mulher consegue abortar, aquele espírito terá que esperar uma próxima oportunidade, e como meu PAI é o SENHOR da vida e o SENHOR do destino, se a mulher consegue abortar, significa que aquele corpo não estava destinado para aquele espírito; se estivesse, a mulher não conseguiria abortar, haveria um impedimento. Conheci o caso de uma mulher que saiu da mesa do ginecologista na última hora e não abortou.
Conforme eu já disse e repito, não sou a favor do aborto, mas, como enxergo a realidade crua e nua, sou racionalmente a favor da vida, todavia vida com dignidade. Já que o ato _____ degenerado é um hábito instituído e a explosão demográfica salta aos olhos, então é necessário, imperativo que se recorra ao controle da natalidade, primeiramente pelo incentivo de métodos contraceptivos (de preferência os menos agressivos à saúde) e, em última instância, ao aborto como paliativo nas situações socialmente extremas (dentre os males, que prevaleça o menor). Antes recorrer ao aborto do que despejar (isso mesmo, meus filhos, despejar) no mundo milhares de crianças que dificilmente se escaparão da miséria, da fome e do descaso, tendo que pedir esmolas nas ruas, isso quando não se tornam menores delinqüentes, os futuros “bandidos” discriminados pela sociedade, mas que a própria sociedade hipócrita e falsamente moralista ajudou a formar. Já que todos estão à mercê das tentações, dos pecados da carne, da parte de meu PAI eu vos revelo que o aborto é um pecado menor (que a mulher já purga ao se submeter ao constrangimento, à tortura na ocasião da curetagem efetuada pelo ginecologista) comparado ao gravíssimo pecado de pôr no mundo mais um ser indefeso, impotente, sem as devidas condições de educá-lo e fazê-lo crescer com dignidade.
É necessário que a humanidade saiba disso para acabar de vez com essa abominável chantagem, essas ameaças, essa maldição imposta sobre as indefesas mulheres pelos pseudo-religiosos que vilipendiam, desprezam, atropelam por motivos sórdidos o que eu falei há dois mil anos: “Se um membro de teu corpo for motivo para escândalo, arranca-o fora e atira-o para longe de ti” (Mateus c.5 v.29). Não existe nada mais escandaloso do que uma mulher carregar no ventre o feto produzido pelo estuprador e, depois de colocar mais um ser indesejado no mundo, ter que ficar odiando-o e culpando-o pelo resto da vida. Deixemos a hipocrisia de lado e sejamos realistas. A humanidade tem que se acordar, despertar deste torpor, deste sono letárgico; creiam ou não, eu estou aqui, voltei à Terra com a missão de esclarecer a lei de DEUS para que os meus filhos sejam verdadeiramente livres em suas consciências.
Convém lembrar uma vez mais: tudo o que fizeres que faz mal a ti ou a outrem é pecado; tudo que fizeres que não faz mal a ti nem aos outros não é pecado. A coerência, a lógica e a verdade são indissociáveis da lei divina. Os sensatos meditam e conscientizam-se”.
Última edição por Assinoê em 14 dez 2008 14:10, editado 1 vez no total.