•  
     

O cadáver que voltou sózinho para casa.

Esta é uma daquelas histórias inexplicáveis, que a gente demora a acreditar. E como se existisse alguém manipulando os cordões ou mexendo os pauzinhos. Uma história digna de figurar entre as mais mais do inesquecível "Acredite se quiser" apresentado por Jack Palance. Verdade ou mentira?



Em novembro de 1899 o ator canadense Charles Francis Coghlan adoeceu em Galveston no Texas (EUA) e faleceu. Como estava muito distante da ilha onde nascera, Ilha do Príncipe Eduardo, foi enterrado ali mesmo.

Em setembro de 1900 um furacão assolou Galveston matando 6 mil pessoas e inundando o povoado e o cemitério local. O caixão de Coghlan flutuou até o golfo do México. Lentamente, derivou pela costa da Flórida para o Atlântico, onde a corrente do Golfo arrastou-o para o Norte.

Oito anos depois, em um dia de outubro de 1908, pescadores da Ilha do Príncipe Eduardo viram um caixão alongado e surrado pela intempérie flutuando próximo costa.

Coghlan tinha voltado para casa.

Fonte: http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=5099