•  
     

Novo chip da Intel para Celulares

Muita gente não sabe, mas a Intel, além da sua atuação na área de processadores, também produz inúmeros outros chips para uso em computação e comunicação de dados. Seu mais novo lançamento é o PXA800F, um chip que integra todas as funções necessárias à produção de telefones celulares de última geração. Os modernos telefones celulares incluem cada vez mais funções, como reconhecimento de voz, acesso à Internet, jogos, câmeras digitais integradas e displays LCD coloridos. Usando chips convencionais, são necessários dois, três ou mais componentes para integrar todas essas funções em um aparelho. O resultado é um celular maior, mais caro e com menor duração da bateria. O PXA800F é um único chip que reúne todas essas funções, permitindo a criação de celulares mais sofisticados, de menor custo e maior autonomia.

celular.jpg


O PXA800F: um só chip permite criar celulares de última geração mais baratos e compactos.

Fazendo uma comparação simplificada com os computadores, o PXA800F é um duplo processador integrado com memória RAM e ROM, controlador de vídeo, som, e diversas interfaces, tudo em um só chip. A tecnologia de fabricação é a mesma utilizada no Pentium 4. O chip é formado por milhões de transistores de 0,13 micron (lembrando que 1 micron é igual a 0,001 mm). Dentro do chip existem dois processadores independentes. Um deles opera com 312 MHz e tem 4 MB de Flash ROM e 512 kB de RAM para uso geral. O outro é dedicado a processamento de sinais, opera com clock de 104 MHz e tem 512 kB de Flash ROM e 64 kB de RAM. Esses dois processadores integrados em um só chip fornecem toda a capacidade de processamento necessária aos celulares de última geração.


celular.jpg


Os celulares modernos são como pequenos computadores, similares aos que usávamos há poucos anos atrás.

Notável é o grande número de interfaces integradas neste chip. Entre elas está um controlador de display LCD com resolução de até 120x240 pixels e 16 bits (64.536 cores). Levando em conta o tamanho do display dos celulares, a resolução é similar à obtida em uma tela de computador, respeitadas as dimensões reduzidas – em outras palavras, os pixels têm tamanho semelhante aos de um monitor. Existem também várias interfaces integradas, como BlueThoot e USB. Sendo um cliente USB, o celular pode ser ligado diretamente ao computador para upload e download de dados. Tudo depende do software a ser implementado pelo fabricante do celular. Aliás por falar em software, a Intel fornece a esses fabricantes, todo o software básico pronto, uma espécie de “BIOS” do celular, e um compilador C++ próprio para este processador, permitindo a fabricantes de celulares desenvolver produtos mais rapidamente. Várias outras interfaces são integradas ao chip, como a interface para o teclado, interface IRDA (para comunicação por raios infravermelhos, sem fio), GPS, cartão flash, etc.

O baixo consumo do PXA800F resulta em uma autonomia de 250 a 300 horas em modo standby, usando baterias típicas. Suas tensões de alimentação são 1,8 volts externos e 1,2 volts internos. O custo de cada chip é 35 dólares em lotes de 1000 peças, porém com a escala de produção, o preço tende a cair bastante, assim como ocorre com os processadores e outros chips.

Celulares modernos são como pequenos computadores. Não são avançados como os computadores modernos, nem como os notebooks atuais, mas são são avançados quanto notebooks de meados dos anos 90, exceto pela capacidade de armazenamento dos discos. O celular não armazena processadores de texto e planilhas, mas tem inúmeras aplicações úteis obtidas por acesso à Internet, além de alguns jogos embutidos. São mais avançados no que diz respeito às imagens. Muitos funcionam como câmeras digitais integradas, e logo serão comuns os modelos que permitem comunicação com voz e imagem – você conversa e vê no display a pessoa com quem está falando. O lançamento de chips avançados como o PXA800F traça o caminho para a criação desses celulares cada vez mais avançados e compactos.


intel.jpg






Fonte: http://www.laercio.com.br/artigos/colun ... ol_003.htm