•  
     

Novas tecnologias francesas são reveladas com o robô humanói

[8/6/2009] Mostrar as novas tecnologias desenvolvidas na França e as tendências europeias para robôs domésticos foi o objetivo principal da apresentação realizada pela empresa Aldebaran Robotics do robô humanóide NAO. Hoje, no auditório ID-2, na Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM), Romain Daros, gerente de vendas da Aldebaran demonstrou as funcionalidades do NAO para um público de alunos de graduação e pós, fazendo o pequeno robô de 58 cm, caminhar e dançar. Daros descreveu também as tecnologias integradas como reconhecimento de voz e sensor de emoções, além de uma demonstração do ambiente de programação Chorégraphe, responsável pelo funcionamento do robô. [Vídeo]

FEM__Robo_NAO____290x240_.jpg
FEM__Robo_NAO____290x240_.jpg (26.66 KiB) Visto 640 vezes


Para o professor João Maurício Rosário, do departamento de Projeto Mecânico da FEM e responsável pela vinda do robô à Unicamp, esse tipo de intercâmbio é muito importante porque dá aos países a chance de mostrar como está o nível de avanço tecnológico. João Maurício fez uma comparação desse tipo de avanço com o que ocorre, por exemplo, na Fórmula 1. Segundo o professor, as melhorias conquistadas no laboratório da Fórmula 1 são repassadas aos carros de passeio. “No caso do robô isso pode ter um impacto direto na medicina, como o aperfeiçoamento de novas próteses”, exemplificou. Além disso, academicamente falando, motiva os alunos, sedimentando conceitos que antes eram apenas teóricos. “Isso mostra que é possível”, argumenta João Maurício.

FEM__Joao_Mauricio____290x240_.jpg
FEM__Joao_Mauricio____290x240_.jpg (26.25 KiB) Visto 640 vezes


Sobre o nível de tecnologia existente atualmente no Brasil, o professor da FEM foi categórico ao afirmar que o país possui as tecnologias mais avançadas, no entanto, entraves principalmente de protecionismo prejudicam o pleno desenvolvimento e aplicação. O professor João Maurício é, atualmente, o responsável no governo brasileiro para estudos prospectivos de automação para os próximos 25 anos.

Fonte: http://www.unicamp.br/unicamp/divulgaca ... -francesas