•  
     

Múmia de Nova Guiné

Múmia de Nova Guiné

Outras múmias antigas
Embora os antigos egípcios sejam os fabricantes de múmias mais famosos, não foram a única civilização antiga (e nem a primeira) a preservar seus mortos. O povo de Chinchorro, no nordeste do Chile, desenvolveu o processo de mumificação por vota de 5.000 a.C, cerca de 2 mil anos antes dos egípcios. As múmias deles, as mais antigas do mundo, não têm nada de parecido com as famosas figuras egípcias. Os chinchorros desmembravam e destripavam o corpo completamente e então grudavam os pedaços de volta usando palha, fibras de plantas e espetos. Depois, cobriam esse molde com lama negra, que era esculpida na forma humana, com um rosto e outros ornamentos.

As múmias que saíam desse processo eram um estranho híbrido de cadáver e estátua. Além disso, ainda não se sabe ao certo a motivação dessa prática, mas muitos pesquisadores acreditam que não havia nenhuma relação com um conceito de vida após a morte. Essas múmias mostram sinais de desgaste e até de novas pinturas, o que indica que eram guardadas como estátuas por algum tempo antes de serem enterradas. Essa prática indica que as múmias eram criadas pelo interesse da família e amigos do falecido, em vez de por algum motivo que pudesse ajudar o falecido. O povo de Chinchorro provavelmente mantinha as múmias por perto como uma forma de honrar e lembrar os mortos, auxiliando-os a lamentar a perda.


Múmia de Nova Guiné.jpg


Algumas culturas posteriores da América do Sul também produziram suas múmias, tanto por meios artificiais como por meios naturais. Nas montanhas do Peru, cientistas encontraram vários corpos incas preservados pela atmosfera seca e por temperaturas extremamente frias. Mesmo que o agente causador da mumificação seja completamente natural, essas múmias foram, de certa maneira, feitas pelo homem: elas foram levadas a lugares remotos deliberadamente, pois já se sabia que os corpos seriam preservados nesses locais. Os incas sacrificavam crianças e levavam seus corpos a pontos altos como oferendas para os deuses.

Você sabia que algumas das múmias mais fantásticas foram encontradas na China? Madame Cheng, uma aristocrata chinesa que viveu há mais de 2 mil anos, é a múmia antiga mais bem preservada do mundo. Ela foi imersa em um líquido de embalsamamento especial que manteve seus tecidos relativamente macios e seu corpo e algumas de suas posses foram protegidas em uma série de caixões abrigados dentro de um túmulo totalmente lacrado. Os cientistas chineses ainda não a estudaram detalhadamente e ainda não sabem exatamente como ela foi preservada. Mas observações iniciais sugerem que os líquidos de embalsamamento parecem ter algum componente de mercúrio, que pode ter sido um dos segredos de seu bom estado de preservação.

É engraçado, mas quando pensamos em múmias, normalmente imaginamos corpos preservados desde tempos antigos. No entanto, a próxima seção vai mostrar que essa prática continua até hoje. Algumas das múmias mais incríveis foram produzidas nos últimos séculos.


Fonte: http://ciencia.hsw.uol.com.br/mumias5.htm