•  
     

Mormonismo // Racismo

Autor : Matéria extraída de uma ou mais obras literárias. Publicado em : Domingo, 10/06/2007
Morte da Doutrina Anti-Negro
por Jerald e Sandra Tanner
(Este artigo apareceu originalmente em O Mensageiro da Cidade do Lago Salgado 41, dezembro de 1979 ) revisado e traduzido pela equipe do CACP.
________________________________________

David Briscoe e George Buck recorrem a 9 de junho de 1978 como " sexta-feira Preta” porque este foi o dia que os líderes mórmons anunciaram a morte da doutrina anti-preta . Antes dessa época não foram permitidos negros da linhagem africana celebrar o Sacerdócio nem passar pelo templo embora eles vivessem vidas exemplares. A posição mórmon relativo aos negros foi declarada em uma carta escrita pela Primeira Presidência no dia 17 de julho de 1947:
" Desde os dias do profeta Smith até agora, a doutrina da Igreja nunca foi questionada por quaisquer dos líderes da Igreja de que os Negros não são dignos às bênçãos do Evangelho ". (Carta da Primeira Presidência, citada em Mormonismo e o Negro, por John J. Stewart e William E. Berrett, pp.46-47)
Bruce R. McConkie foi apóstolo na Igreja mórmon escreveu em um livro publicado em 1958 o seguinte:
É negados aos negros nesta vida o sacerdócio; de modo algum podem eles mudar esta declaração delegada pela autoridade do Todo-poderoso. A mensagem de salvação do evangelho não é levada afirmativamente a eles...

Afirmativamente os líderes mórmons do passado ensinaram que a doutrina não podia ser mudada. Por exemplo, o presidente Brigham Young afirmou enfaticamente que os negros não poderiam celebrar o Sacerdócio até DEPOIS DA RESSURREIÇÃO: " Caim matou o irmão dele... e Deus pôs uma marca nele que é o nariz chato e pele preta.. ..Até quando essa raça vai suportar essa maldição terrível que está neles? Essa maldição permanecerá neles, e eles nunca poderão celebrar o Sacerdócio ou poderão compartilhar disto até que todos os outros descendentes de Adão recebam as promessas e desfrutam as bênçãos do Sacerdócio... Até o último descendente dos filhos de Adão for trazido até aquela posição de favorecer, os filhos de Caim, não podem receber as primeiras ordenações do Sacerdócio ". (Diário de Discursos, Vol.7, pp. 290-291)

" Quando todas os outros filhos de Adão tiveram o privilégio de receber o Sacerdócio, na vinda do reino de Deus, e de ser arrebatados dos quatro cantos da terra, e receber a ressurreição dentre os mortos, então será removida a maldição de Caim e de sua descendência... ele é o último em compartilhar as alegrias do reino de Deus ". (Ibid., Vol. 2, página 143)
A Primeira Presidência da Igreja reafirmou os ensinos de Brigham Young em 1949

" A igreja não tem nenhuma intenção de mudar sua doutrina no tocante ao negro”, “Ao longo da história da igreja Cristã original, o negro nunca celebrou o sacerdócio. Realmente não há nada que nós podemos fazer para mudar isto. É uma lei de Deus. '" (Revista de Seattle, Dezembro de 1967, pág., 60)

O apologista mórmon John L. Lund escreveu o seguinte: " Brigham Young revelou que o negros não receberá o Sacerdócio até o grande tempo depois do segundo advento de Jesus Cristo,.. nossos profetas atuais estão de pleno acordo com Brigham Young e os outros líderes do passado quanto a questão do Negro e o Sacerdócio....

... toda a pressão social no mundo não mudará o que Deus decretou....
A NOVA REVELAÇÃO QUESTIONADA

Por volta de julho de 1978 “O Mensageiro da Cidade do Lago Salgado” trouxe a seguinte notícia: " Uma coisa que deveria ser notada sobre a nova revelação é que a Igreja não tem produzido uma cópia dela. Tudo que nós temos é uma declaração pela Primeira Presidência que diz que uma revelação foi recebida ".

Nós acreditamos piamente que o presidente Kimball ou qualquer outro líder mórmon não produzirá uma escrita desta nova revelação sobre a liberação do sacerdócio aos negros. O que provavelmente aconteceu foi que os líderes da Igreja perceberam finalmente que eles já não podiam reter mais a doutrina anti-preta sem danificar a Igreja. Dado estas circunstâncias eles foram pressionados pelas circunstâncias, e por isso a doutrina teve de ser mudada e esta pressão eles chamaram de “revelação de Deus”. Em uma carta ao Editor da Tribuna de Lago Salgado, 24 de junho de 1978, Eugene Wagner observou “... esta mudança na doutrina realmente era uma revelação de Deus, ou os líderes da igreja agiram por conta própria? Por que eles não publicam aquela revelação e deixaram que Deus falasse nas próprias palavras Dele? Tudo que nós vimos foi uma declaração da Primeira Presidência, e isso não é como uma revelação. Quando Deus fala, o começo da revelação vem com as palavras: " Assim diz o Senhor... Parece que quando Deus decide mudar uma doutrina de tão grande importância é óbvio que ele falará também com as pessoas da igreja Dele. Se tal revelação não pode ser apresentada aos membros é óbvio que a primeira presidência agiu por conta própria, provavelmente debaixo do medo da pressão pública, para evitar problemas de conseqüências sérias e manter a paz e a popularidade com o mundo. '"
Na 148ª Conferência Semi-anual da Igreja mórmon, foi pedido aos membros da igreja que aceitassem esta revelação como a “palavra de Deus, " mas o único documento apresentado às pessoas foi a carta da Primeira Presidência, datado em 8 de junho de 1978 (veja A Bandeira, Nov. 1978, pág., 16).
No dia 2 de junho de 1979 a Seção de notícias da Igreja informou que a declaração da Primeira Presidência contando a revelação que estende o sacerdócio para os membros masculinos dignos da Igreja também seria acrescentado em Doutrina e Convênios . O leitor notará que é só a " declaração.. contando a revelação " que será acrescentado à Doutrina e Convênios. Alguns mórmons disseram que o poder de Deus foi manifestado como no dia de Pentecostes quando o Presidente Kimball deu a " revelação ". No entanto o próprio Kimball parece dispersar esta idéia. " Durante algum tempo depois que a doutrina anti-preta foi mudada, os líderes mórmons eram ainda relutantes em informar as próprias pessoas dos detalhes que cercaram a " revelação ". Finalmente, seis meses depois do evento, o pessoal de “Notícias da Igreja “perguntou ao Presidente Kimball se ele se preocupava em compartilhar com os leitores sobre as notícias da igreja ou mais qualquer informação sobre as circunstâncias debaixo da qual ocorreu. A resposta do presidente Kimball é muito reveladora. Ele não faz nenhuma referência a uma voz ou qualquer revelação escrita. Na realidade, a declaração dele dá a impressão que era só um sentimento ou uma “garantia” que ele recebeu: " Presidente:.... Nós celebramos uma reunião regular do Conselho dos Doze no templo. Nós consideramos isto com muita seriedade e meditando em oração. " Eu pedi aos Doze para não irem para casa. Eu disse, ' agora vocês estariam dispostos a permanecer no templo conosco? Eu ofereci a oração final e falei para Deus se não estivesse correto, se Ele não quisesse esta mudança na Igreja que eu iria ser fiel a Ele o resto de minha vida, e eu lutaria contra todo mundo se fosse isso que Ele queria. " Nós tivemos este círculo de oração especial, então soube que o tempo tinha vindo. Claro que eu tive que lutar em grande parte contra isso , porque tinha crescido com este pensamento de que negros não deveriam ter o sacerdócio e eu estava disposto a ir até a morte por isso. Mas esta revelação e garantia vieram tão claramente a mim que não houve nenhuma pergunta sobre isto. (Notícias de Deseret, Seção de Igreja, 6 de janeiro de 1979, página 19)

O apóstolo Bruce. McConkie contou como a " revelação " foi recebida. A descrição dele indica que não houve nenhuma revelação falada ou escrita, só um sentimento " muito bom ": " O resultado foi que o Presidente Kimball soube, e cada um de nós soubemos, independente de qualquer outra pessoa, por revelação pessoal , que o tempo tinha vindo e o evangelho estenderia todas as suas bênçãos agora... para todas essas nação,... inclusive a raça negra.... era uma revelação de tal importância; que inverteria a direção inteira da Igreja... Deus poderia ter enviado os mensageiros do outro lado para entregar isto, mas ele não fez. Ele deu a revelação pelo poder do Espírito Santo. Muitos santos desejam aumentar e reconstruir o que aconteceu e eles se encantam em pensar em coisas milagrosas.Talvez alguns deles gostariam de acreditar que Deus estivesse lá, ou que o Profeta Joseph Smith veio entregar a revelação... que era uma possibilidade. Bem, estas coisas não aconteceram. As histórias ao contrário não são com efeito realísticas... Eu não posso descrever em palavras o que aconteceu; eu só posso dizer que aconteceu e que pode ser conhecido e só pode ser entendido pelo sentimento que pode entrar no coração do homem. Você não pode descrever um testemunho a alguém ". (Tudo é semelhante a Deus)
Por causa das circunstâncias das quais a revelação sobre os negros veio muitas pessoas recorreram a explicação disto como “uma revelação de conveniência”. Nós nunca poderemos saber todos os detalhes que levaram o Presidente Kimball a buscar esta revelação, mas é óbvio que era o resultado de muitas pressões de diversas partes. Por exemplo, a Igreja no Brasil estava em sérios apuros pois a diversidade racial era imensa pois a maioria dos membros da Igreja neste país era de sangue negro. Também há fontes de dentro da igreja que dizia que os lideres estavam preocupados pois iriam perder sua isenção de imposto sobre suas propriedades que possuíam nos Estados Unidos por causa desta discriminação racial. Estes foram provavelmente alguns de muitos fatores que pesaram na decisão para admitir negros no sacerdócio.