•  
     

Lucro da Colgate-Palmolive cresceu 10,4% nos 9 primeiros mes

Lucro da Colgate-Palmolive cresceu 10,4% nos 9 primeiros meses do ano

Nova York, 30 out (EFE) - A companhia americana Colgate-Palmolive informou hoje que lucrou US$ 1,46 bilhão nos nove primeiros meses do ano, o que representa um aumento de 10,4% frente ao mesmo período do exercício anterior.



A empresa, que fabrica artigos para cuidados bucais, higiene pessoal e para o lar, informou também que o faturamento cresceu 1,14%, até US$ 11,665 bilhões.



O lucro líquido por ação da firma passou de US$ 2,72 a US$ 2,43, o que representa uma queda de 10,6%, segundo explicou a companhia, que atribuiu uma redução de US$ 0,15 por título aos custos do processo de reestruturação no qual está envolvida.



A firma assegurou que se fossem excluídos os custos de reestruturação, o lucro líquido teria alcançado os US$ 1,542 bilhão entre janeiro e setembro de 2008.



Só no terceiro trimestre do ano, a companhia lucrou US$ 499,9 milhões, o equivalente a US$ 0,94 por ação e um aumento de 18,9% frente a um ano antes. O valor, no entanto, está um pouco abaixo do previsto pelos analistas.



Se forem excluídos os gastos com a reestruturação, o resultado líquido trimestral teria sido de US$ 531,1 milhões (US$ 0,99 por ação).



As vendas entre esses dois trimestres comparados passaram de US$ 3,528 bilhões para US$ 3,988 bilhões, uma alta de 13%.



"Dado o forte momento em que nos encontramos e as excelentes iniciativas de poupança adotadas, estamos confortáveis com as previsões de resultados feitas para nossa firma, tanto para o quarto trimestre quanto para o conjunto do ano", disse hoje na apresentação dos resultados o responsável executivo da firma, Ian Cook.



Por áreas geográficas, no terceiro trimestre o faturamento na América do Norte aumentou 4,5%, apesar da desaceleração da economia dos Estados Unidos, devido, em parte, a um aumento de 1% das vendas medidas em unidades, assim como ao encarecimento dos produtos. Neste ano, foi de 5,9%.



Na América Latina, uma das regiões que melhores resultados tiveram, junto com Ásia e África, as vendas trimestrais aumentaram 21%, até US$ 1,081 bilhão, enquanto nos nove primeiros meses o crescimento foi de 21,5%, até os US$ 3,091 bilhões. EFE

mgl/db


|K:ECO:ECONOMIA ECO:ECONOMIA,AREAS-EMPRESAS,INDUSTRIAS|


|Q:ECO:pt-BR:04016038:Economia, negócios e finanças:Informação para empresas:Balanços ECO:pt-BR:04016055:Economia, negócios e finanças:Informação para empresas:Consumidores ECO:pt-BR:04002000:Economia, negócios e finanças:Produtos químicos e farmacêuticos|

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,M ... 02,00.html