•  
     

Jogadora do Santos, filha de Roberto Carlos entrega: ‘Ele ve

0,,21790863-IN,00.jpg
0,,21790863-IN,00.jpg (12.87 KiB) Visto 590 vezes
Roberta Pinheiro da Silva deve ajudar o Santos a contratar o lateral-esquerdo Roberto Carlos. Filha do jogador do Fenerbahçe, a adolescente de 16 anos já treina no Santos há uma semana e está animada com a possibilidade de ser colega de clube do pai.

- Ele sempre quis jogar aqui, meu avô e ele são santistas. Ele vem. Agora está tentando rescindir o contrato lá na Turquia, mas não sei direito como está. Parece que não estão querendo liberar. Só que ele vem, sim, se não for agora vai ser no fim do ano - entrega a meia Roberta, de 16 anos.

E a garota já começou a fazer campanha para Roberto Carlos se transferir o mais rapidamente para o Santos. O lateral, que nesta sexta garantiu que segue até o fim da temporada na Europa, também tem como incentivo para voltar ao Brasil a concorrência de André Santos, ex-Corinthians, contratado recentemente pelo Fener.

- Já falei para ele que aqui é mais legal, bem diferente da Turquia. O meu pai sempre falou que tem vontade de jogar aqui e disse que, se não for agora, no fim do ano vem - reforçou a jovem, ansiosa para o pai se transferir para o Peixe.

Roberta garante que o Roberto Carlos nunca a pressionou a seguir seus passos, mas ela diz que foi um caminho natural, já que sempre o acompanhou de perto.

- Morei em Madrid, onde eu jogava com uns meninos, em clube pequeno de lá. Na Turquia já era um clube feminino mesmo, o Marmará, de Istambul, mas agora eu estou no Santos, o clube do coração do meu avô e onde meu pai sempre falou que quer jogar - disse Roberta, toda orgulhosa. O Real e o Fenerbahçe não possuem equipe de futebol feminino.

A adolescente disse que começou a acompanhar e torcer mesmo pelo Santos desde 2002, quando a geração liderada por Robinho e Diego levou o clube à conquista do Brasileiro. Santista há bem menos tempo que o pai, ela pode se gabar de ostentar a camisa do Peixe antes do que Roberto Carlos, que já atuou por clubes de ponta do futebol mundial, como Internazionale e Real Madrid.



- Ele veio me falar: ‘Pô, você vestiu o manto sagrado antes de mim’ - brincou Roberta.

Com 16 anos de idade, Roberta ainda mora em São Paulo e desce para Santos todos os dias para treinar. A jovem não vê a hora de Roberto Carlos acertar com o Peixe. A jogadora falou que não atua como o pai, mas tem vontade de aprender a cobrar faltas como ele.

- Ele me ajuda, dá umas dicas e tal, mas acho que não tem como chutar como ele. Um dia quem sabe eu não bato falta também, com fora e rapidez... Em campo eu jogo como meia, sou destra e não tem como jogar na mesma posição dele. Também não sou de fazer graça e driblar como o Robinho, sou mais séria. Um jogador que me inspira é o Kaká. Mas agora ainda preciso entrar em forma. Nesses dias está doendo até para ficar sentada - comentou a jogadora, que pela primeira vez encara uma rotina parecida com a do pai.