•  
     

Historia - As Casas desceram como pudins diz morador

Sou de Blumenau, moro no Garcia um dos bairros mais atingidos da cidade, inclusive com várias vítimas fatais. O dia 22 para 23 nunca irei esquecer. Acordei com barulho de casas cedendo como pudim, muitos gritos desespero, e a cada instante a chuva engrossava mais, sem dar trégua. Nunca vi algo assim.
Amanheceu chovendo forte. Quando foi 11 h o temporal aumentou ainda mais. Neste momento, a cidade derreteu. Não ouvia mais nada, só barulho de chuva e gritos de desespero de pessoas perdendo tudo, outras indo embora pra sempre.
Aqueles dois dias foram de terror, ficarão pra sempre na memória. Até hoje eu acordo no meio da noite com reflexo de lanterna na cara e gritos. Cada barulho eu pulo da cama assustado.
Mas vamos levantar esse Estado com ajuda do povo brasileiro que tem dado exemplo de País de primeiro mundo. Muitas doações chegam, muitas pessoas dando a própria vida. Um exemplo é o bombeiro gaúcho que respira por aparelhos devido a queda de uma residência, matando mãe e filha em Luis Alves. Agradeço desde já a todo brasileiro empenhado nesta luta. Voltaremos a ser forte e juntos faremos do Brasil um grande País, abençoado por Deus, amém.
Ivoney de Souza/ Blumenau - SC


Fonte: http://www.terra.com.br