•  
     

Hamas rejeita exigências de Israel para o fim da guerra

edição do dia 16/01/2009 RSS O Portal de Notícias da Globo

Hamas rejeita exigências de Israel para o fim da guerra
O chefe do Hamas exilado na Síria não aceitou as exigências feitas por Israel para um cessar-fogo imediato na Faixa de Gaza.



Nesta sexta-feira, os dois lados sinalizavam uma expectativa de paz, mas nada aconteceu. Para suspender a ofensiva militar, o governo israelense afirma que os palestinos precisam se comprometer com o fim dos ataques a Israel.

Mas quem seriam esses palestinos? Nos militantes do Hamas, como já se sabe, Israel não confia; e a Autoridade Palestina, liderada pelo moderado Mahmoud Abbas, tem pouca influência na Faixa de Gaza.

No Qatar, o presidente da Síria, Bashar Al-Assad, pregou que todos os países árabes deveriam cortar qualquer tipo de relação com Israel. Foi durante o encontro especial para discutir o conflito em Gaza. Esse tipo de discurso só acrescenta mais pólvora no barril chamado Oriente Médio.

A ofensiva israelense completa três semanas. Na Faixa de Gaza, já são mais de 1.100 mortos.

Nesta sexta-feira, tradicional dia de orações para os muçulmanos, Israel fechou as fronteiras com o outro território palestino, a Cisjordânia, para evitar eventuais confrontos com simpatizantes do Hamas. Na cidade de Hebron, um palestino foi morto durante uma manifestação.

Tudo isso aconteceu no dia em que o secretário geral da ONU, Ban Ki Moon, passou pela Cisjordânia. Ele disse às autoridades palestinas que não vai desistir de lutar pela paz na região.

A questão é saber se a diplomacia internacional vai ter força para transformar a intolerância e a indignação recíprocas numa uma ação de verdade, para que vidas sejam poupadas.