•  
     

Google X Bing, a batalha por Michael Jackson

Na busca por resultados sobre Michael Jackson, quem leva a melhor? Google ou Bing? Para saber, fiz uma pesquisa simples e analisei dez itens.

Claro que esse tipo de avaliação é insuficiente para dizer qual dos dois serviços é o mais completo. Os algoritmos de ambos estão em constante evolução, com equipes atentas para o que pode ser melhorado. Em questão de algumas horas, uma correção aqui e um ajuste ali podem fazer toda a diferença e virar o jogo.

Por outro lado, esse tipo de busca funciona como uma fotografia, um registro de quem está mais preparado em um determinado momento. E os grandes acontecimentos do planeta são verdadeiros testes para qualquer ferramenta de pesquisa na web. Confira quem venceu cada categoria do tira-teima, feito nesta sexta-feira (26), às 10h30, com as versões em inglês dos dois serviços:

1) Notícias: Enquanto o Bing mostrou a comoção dos fãs em três reportagens e ainda mais quatro vídeos de emissoras de TV americanas, o Google trouxe três histórias: uma sobre o leilão de objetos do artista, outra sobre a reação de Madonna e outra sobre a reação de um profissional da indústria. Ponto para o Bing.

2) Vídeos do artista: O Google exibiu, bem no início da página dos resultados, os clipes de “Thriller” e “Beat It”. Já o Bing deixou os links para os vídeos no final dos resultados. Além disso, das quatro opções selecionadas pelo buscador, três eram de matérias de TV (de novo). Ponto para o Google.

3) Site oficial: O Google exibiu a URL da home page do cantor como segundo resultado, logo depois das notícias. O Bing deu o site oficial mais abaixo, com link para a loja virtual e não para a home page de entrada. Ponto do Google.

4) Biografia: O Bing trouxe seis páginas relevantes com informações sobre a vida do cantor. Já o Google mostrou apenas três. Ponto para o Bing.

5) Imagens: O Google exibiu uma seleção de quatro imagens do cantor no alto da página e o Bing, só no final dos resultados. Google marca ponto.

6) Letras das músicas: O Bing indicou dois sites para quem quer conhecer as letras do artista. O Google não indicou nenhum. Ponto do Bing.

7) Músicas para ouvir: O Google trouxe a página de Michael Jackson no MySpace, que permite escutar algumas das suas principais canções por streaming. Já o Bing indica três sites para baixar MP3 – dois fajutos, sem arquivos para download, e um muito pouco confiável, da Rússia. Ponto para o Google.

8) Termos relacionados: No pé da página, o Google indica oito pesquisas relacionadas que ajudam a encontrar informações mais aprofundadas. O Bing? Nada. Ponto do Google.

9) Textos de blogs: O Google apresenta três bons textos de blogs (Huffington Post, Michelle Malkin e Mashable!). Mais uma vez o Bing ficou devendo. Outro ponto do Google.

10) Compra de produtos: O Bing dá seis opções de lojas virtuais que vendem artigos relacionados a Michael Jackson. O Google não ajuda nisso. Ponto do Bing

Placar final: Google 6 X 4 Bing.


Fonte: http://info.abril.uol.com.br/blog/nalin ... tml?176972