•  
     

Google diz não prejudicar, e sim ajudar, lucros dos jornais

Afirmação em blog foi em resposta a anúncio da Associated Press.
Agência disse querer se proteger contra 'apropriação indevida na web'.


Google.jpg
Google diz levar leitores para sites de conteúdo jornalístico. (Foto: Reuters)



Em resposta à agência de notícias Associated Press, que anunciou interesse em proteger seu conteúdo contra “apropriação indevida na internet”, um executivo do Google defendeu sua empresa nesta terça-feira (7). “O Google ajuda os sites dos jornais a fazer dinheiro por meio de publicidade on-line e não utiliza seu conteúdo indevidamente”, afirmou Alexander Macgillivray, diretor jurídico associado de produtos e propriedade intelectual no Google, no blog oficial da empresa.

"Conduzimos tráfego aos sites e oferecemos publicidade em apoio a todos os modelos de negócios, quer as empresas de notícias optem por hospedar seus artigos conosco ou em seus sites", escreveu Macgillivray. "Usuários como eu são encaminhados de diferentes sites do Google para os sites dos jornais, em ritmo de mais de um bilhão de cliques ao mês", continuou.

O comentário foi publicado um dia depois do anúncio da Associated Press, criada 163 anos atrás e controlada por um grupo de jornais. A mensagem também surgiu no dia em que o diretor-executivo do Google, Eric Schmidt, planeja discursar na reunião anual da Newspaper Association of America.

"Alguns leitores, usuários e jornalistas perguntaram se o plano da AP se relaciona ao Google, já que hospedamos artigos completos da AP", escreveu Macgillivray. "A resposta é que aparentemente não se refere ao Google, porque hospedamos esses artigos em parceria com a AP".

Queda de receita

Empresas jornalísticas como a New York Times Co e a EW Scripps estão enfrentando uma queda de receita publicitária que ameaça a sobrevivência de alguns de seus jornais.

As companhias estão tentando descobrir maneiras de ganhar dinheiro on-line para compensar as perdas de receita em suas versões impressas, mas até agora isso não se provou possível.

Alguns jornalistas se queixaram de que os serviços de busca operados pelo Google e Yahoo faturam milhões com as notícias que os jornais veiculam, e que esse dinheiro deveria se destinar aos jornais.

Macgillivray contestou a idéia, declarando que o Google ajuda, e não prejudica, os jornais. "Em todos os casos de artigos noticiosos que indexamos sem hospedar, só mostramos aos usuários um trecho suficiente para que desejem continuar lendo --a manchete e um trecho do texto--, com um link que conduz ao site da publicação", escreveu.


Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia ... 74,00.html