•  
     

Garoto de 17 anos põe Susan Boyle para dançar o ‘bole-bole’

André Paste mistura sensação britânica com Exaltasamba no YouTube.
Adolescente ganhou fama na internet fazendo mash ups.


menino-graffite.jpg
menino-graffite.jpg (16.05 KiB) Visto 267 vezes


Os frequentadores do site YouTube podem se deparar com uma cena inusitada: Susan Boyle rebolando ao som do grupo de pagode Exaltasamba. Na verdade, o vídeo que traz a escocesa “cantando” e dançando ao som da música “Dança do bole-bole” é obra do garoto capixaba André Paste, de 17 anos.

“Eu estava com a música na minha cabeça durante toda a manhã, enquanto estava na aula. Cheguei em casa, vi uma matéria sobre ela e resolvi fazer o vídeo – demorou só 50 minutos”, conta Paste em entrevista ao G1. Mas André tem outros projetos musicais já prontos: ele é produtor de mash ups, músicas feitas apenas a partir de samples de duas ou mais composições originais.

Ainda no colegial (está no terceiro ano do ensino médio, e vai fazer vestibular para Publicidade e Propaganda), Paste já tem milhares de acessos em seu perfil no MySpace, onde divulga seus mash ups que misturam os mais diferentes estilos – uma única música mistura Mika, MC Cidinho, Beatles, Madonna, Perlla e New Kids on the Block, por exemplo.

Choque cultural

“Eu gosto de todos os estilos, do mais brega ao erudito”, confessa Paste, que diz estar ouvindo recentemente o DJ francês Pilooski, a dupla sertaneja César Menotti e Fabiano, o punk cigano do Gogol Bordello e os Racionais MCs. “O mais bacana de misturar é pop com brega, funk carioca e MPB, total choque cultural”, define.

André conta que começou a produzir depois de ouvir o disco “Big forbidden dance”, álbum de mash ups do carioca João Brasil(que ele considera um “ídolo”), apesar de já conhecer o gênero pelo YouTube e por discos do norte-americano Girl Talk. “Eu fiz um curso de produção musical há uns três anos, quando aprendi a usar o programa Ableton Live. Não tenho nenhum padrão, faço tudo na tentativa. Ouço uma música no iPod e depois vou pro computador experimentar o que combina”.

Apesar de ter muita vontade de se apresentar ao vivo, não acha que vai viver de música: “É um hobby, quando cansar eu paro, mas agora eu não quero não. E nem consigo ter outros projetos, neste ano eu estou me dedicando ao vestibular, depois eu penso nisso tudo”. E enquanto ele pensa, Susan Boyle vai rebolando.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,, ... EBOLE.html