•  
     

Fusão entre bancos fortalece sistema em época de crise, diz

Fusão entre bancos fortalece sistema em época de crise, diz Meirelles

Banco Central lembra que também tem que aprovar a operação.
Antes, Mantega já havia dito que fusão 'solidifica' instituições.



O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, avaliou nesta segunda-feira (3) que a fusão entre o Unibanco e Itaú fortalece o sistema bancário do país.



"O BC entende que se trata de uma iniciativa que contribui para o fortalecimento do sistema financeiro nacional na atual conjuntura do mercado financeiro internacional", disse Meirelles, por meio de sua assessoria de imprensa.



Mais cedo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que "solidifica" as duas instituições financeiras. "São dois bancos tradicionais, bancos sólidos, que têm uma atuação importante para a atividade econômica. Eu acredito que é um fato importante nesse momento que eles se unam, de modo a continuar cumprindo o papel de liberar crédito", disse a jornalistas.



O Banco Central lembrou ainda que a operação ainda tem de ser aprovada pela autoridade monetária. Além do BC, o Cade também tem de dar a sua palavra sobre o assunto.

Gigante



A fusão das operações do Itaú e do Unibanco devem formar o maior conglomerado financeiro o maior do hemisfério sul e com valor de mercado entre os 20 maiores do mundo.



O novo banco resultante da fusão terá R$ 575 bilhões em ativos e patrimônio líquido de cerca de R$ 51,7 bilhões. Contará com aproximadamente 4,8 mil agências, representando 18% da rede bancária; e 14,5 milhões de clientes de conta corrente, ou 18% do mercado.

O anúncio da fusão dos dois bancos garantiou a alta da Bovespa nesta segunda-feira. Às 16h41, o Ibovespa, principal indicador do mercado brasileiro, subia 2,93%, aos 38.347 pontos.

Os papéis preferenciais do Itaú são o destaque de valorização no dia, com alta de 16,93% no mesmo horário, enquanto as units do Unibanco subiam 9,38%. Também demonstrando força estavam os papéis da holding do Itaú, com ganhos de 14,3% às 16h31.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Economia_N ... 56,00.html