•  
     

Flow

FlowEPP.jpg
Flow
FlowEPP.jpg (13.08 KiB) Visto 92 vezes


No ano passado, um pequeno jogo chegou despercebido, através de download, e conquistou muitos donos do então recém-lançado Playstation 3, combinando uma grande beleza estética, sons hipnóticos e um sistema de controles que utilizava de maneira exemplar o sensor de movimento do novo controle Sixaxis da Sony. "Flow" foi um dos grandes sucessos da Playstation Network do ano passado e agora chega com poucas, mas fundamentais, mudanças no PSP.

Em busca da evolução

O abstrato conceito do jogo coloca você no comando de um microorganismo que precisa se alimentar de pequenas células para evoluir. Ao mesmo tempo, é preciso manter distância de criaturas mais complexas para não virar alimento delas. Como no famoso "Centipede", cada pequeno organismo ingerido resulta em uma nova parte para o corpo de sua criatura que, após atingir um certo tamanho, torna-se a caçadora daquelas que antes a caçavam.

Você controla a criatura em 2D, movendo-a horizontal e verticalmente em um espaço limitado. Cada plano é visto de cima e é preciso encostar nas criaturas com ícones vermelhos e azuis para trocar de níveis, passeando pelas camadas de profundidade para disputar células e amebas com as criaturas maiores - até ficar grande o suficiente para comê-las. O jogo começa na superfície, onde vivem apenas organismos menos evoluídos.

Os controles, originalmente, funcionavam de maneira extremamente leve e relaxada. Bastava inclinar o Sixaxis para direção desejada, sem muito esforço ou precisão. Em conjunto com a música, tudo parecia fluir como uma grande sessão de terapia. Infelizmente o PSP não é capaz de imitar os movimentos como o controle do Playstation 3, então a movimentação agora é feita pelo analógico, que nunca foi o ponto forte do design do console. Assim, "Flow" fica mais rígido e preciso, perdendo boa parte de sua espontaneidade.


Perdendo a leveza

Um dos mais belos jogos da geração atual, "Flow" teve que adequar às restrições do portátil da Sony. Em menor resolução, ele continua belo, mantendo seus vários efeitos de luzes e cores, mas há sérios problemas de lentidão que atrapalham bastante a fluidez da ação. Já o áudio continua forte, com músicas sutis e feitos sonoros que pontuam a ação de forma genial, e pedem um bom par de fones de ouvido para funcionar em sua melhor forma.

Há um modo multiplayer local que, infelizmente, parece pouco prático e um tanto quebrado. É difícil sincronizar os aparelhos para iniciar as partidas, sujeito a todo tipo de problema de desconexão, e ainda é perceptível uma grande lentidão de comunicação entre os aparelhos.

Fonte: http://pspy8.blogspot.com/2008_09_01_archive.html