•  
     

Figura de Hitler gera polêmica em museu de cera em Berlim

Figura de Hitler gera polêmica em museu de cera em Berlim

BERLIM, 4 Jul 2008 (AFP) - Adolf Hitler é a polêmica atração do museu Madame Tussauds, que abre suas portas sábado em Berlim, entre cerca de 70 outras figuras de cera de personagens importantes da história alemã e mundial.



Para não dar a impressão de que glorifica o ditador, os criadores do museu representaram o líder nazista como um "homem acabado", em uma reconstituição do bunker onde passou seus últimos dias e se matou no dia 30 de abril de 1945.



Com ar derrotado, o "Führer" do museu berlinense tem um aspecto degradado em comparação a sua cópia mais jovial apresentada no museu Madame Tussauds de Londres.



Mesmo exibida atrás de uma mesa, para impedir que os visitantes tirem fotos ao seu lado ou danifiquem-na, a estátua suscita polêmica e indignação entre algumas autoridades políticas.



"Temo que a exposição se torne uma espécie de local de peregrinação para a extrema direita", declarou Friedbert Pflüger, líder do grupo parlamentar do Partido Conservador (CDU, no poder) ao tablóide Bild, que destaca a "cólera na Alemanha".



Para o número dois do Partido Liberal Rainer Brüderle (___, oposição), "fazer de uma figura de Hitler uma atração nas imediações do Memorial do Holocausto é insensível e de mau gosto".



"Hitler não deveria se tornar uma atração turística", afirmou Stephen Kramer, secretário-geral do Conselho Central de Judeus da Alemanha.



"Mas se essa exposição ajuda, de alguma forma, a normalizar a maneira como o consideramos, a desmistificá-lo, então vamos tentar", havia declarado no final de maio à AFP.



A porta-voz do museu berlinense, Natalie Ruoss, defendeu a decisão: "está claro que queremos representar a história alemã. Seria difícil para nós excluí-lo. Queremos mostrar a realidade".



"Ao preparar a exposição, realizamos enquetes perguntando aos berlinenses e aos turistas nas ruas, e o resultado claro foi que Hitler fazia parte dos personagens que as pessoas queriam ver".



Os 74 outros personagens de cera do museu situado na avenida Unter den Linden, próximo à Porta de Brandeburgo e ao Memorial do Holocausto estão menos sujeitas a controvérsia.



Os visitantes estrangeiros não terão dificuldades para reconhecer o sábio Albert Einstein, o compositor Ludwig van Beethoven, o chanceler Otto von Bismarck, o ex-goleiro da seleção alemã Oliver Kahn, o papa Bento XVI ou a atual chanceler alemã Angela Merkel.



Terão mais problemas com o escritor alemão Günter Grass, o dramaturgo Bertolt Brecht, o ex-chanceler Konrad Adenauer ou a resistente Sophie Scholl, executada pelos nazistas.



"Quem são eles todos?", pergunta Sammy, uma britânica de 24 anos. Além de Hitler, Bismarck, Karl Marx, Beethoven e Bach, a jovem turista, que se detém diante das ruínas do Muro de Berlim da Potsdamer Platz, afirma que a única outra personalidade alemã do museu que ela conheça é a modelo Heidi Klum.



Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/PopArte/0, ... 84,00.html