•  
     

Feliz aniversário

Feliz aniversário.jpg
Feliz aniversário
Feliz aniversário.jpg (6.59 KiB) Visto 208 vezes


O Telescópio Espacial Hubble está completando 19 anos de operações em órbita da Terra. Depois de um começo desanimador, quando nas primeiras imagens ficou evidente um defeito na fabricação do espelho, o Hubble sofreu um reparo bilionário, recebendo lentes corretoras, e a partir daí revolucionou a astronomia.

Não só pelas imagens fantásticas que produz, já que está fora da atmosfera e dos seus efeitos de degradação das imagens, mas também pela estratégia de divulgação dos seus resultados. Até então, não havia muito interesse em fazer com que os resultados científicos alcançados por um observatório chegassem ao grande público. Com o lançamento do Hubble, veio também toda uma infraestrutura especializada e voltada exclusivamente para a divulgação científica. Isso fez com que a astronomia se tornasse ainda mais popular. Hoje é difícil passar uma semana sem uma notícia ou pelo menos uma foto de astronomia nos jornais.

O melhor de tudo é que o Hubble faz aniversário, mas nós é que ganhamos o presente. A imagem acima, de uma complicada interação entre galáxias, foi escolhida como presente de aniversário. Ela mostra o grupo peculiar de galáxias Arp 194, onde três galáxias estão em interação e uma delas ainda parece estar vazando.

Na parte de cima da imagem, duas galáxias estão em processo de colisão. Mais do que isso, elas estão se fundindo para formar uma só galáxia no futuro. Os dois núcleos estão bem evidentes, cercados de muito gás. Mas o mais intrigante destas imagens é a faixa azul que se estende por 100 mil anos-luz na direção da terceira galáxia da imagem.

A incrível nitidez da imagem do Hubble mostra detalhes da estrutura desta faixa de gás, poeira e aglomerados de estrelas jovens e quentes. Mas, apesar de parecer que essa fonte cósmica está sendo puxada pela galáxia mais abaixo, na verdade ela passa na sua frente. Essa galáxia faz parte do trio, atuando gravitacionalmente nas outras duas, mas ela está um pouco mais atrás. Um dos objetivos desta pesquisa é saber o quanto é este pouco. O grupo em si está a 600 milhões de anos-luz de distância, na constelação de Cefeu. Ao que tudo indica, o grupo sofreu uma colisão anterior, de modo que as estruturas das três galáxias do grupo já aparecem bem deformadas.

O fato é que esse magnífico telescópio já fez mais de 880 mil observações de mais de 29 mil objetos, produzindo mais de 550 mil imagens, tão belas e importantes quanto esta. O Hubble deve passar pela última missão de manutenção nos próximos meses e permancer em operação por mais dois anos, pelo menos. Em 2013 está previsto o lançamento de seu sucessor, o telescópio espacial James Webb, com um espelho de 6,5 metros.

Fonte: http://colunas.g1.com.br/observatoriog1