•  
     

Exército confirma morte de mais um militar brasileiro no tre

Exército confirma morte de mais um militar brasileiro no tremor no Haiti
Tenente-coronel estava desaparecido desde o terremoto do dia 12.
Número de militares mortos chega a 16; 2 civis também morreram.

Do G1, em Brasília
Tamanho da letra
A- A+


O Comando do Exército informou nesta segunda-feira (18) que foi identificado o corpo do tenente-coronel Marcus Vinicius Macêdo Cysneiros, que se encontrava desaparecido na cidade de Porto Príncipe, capital do Haiti, desde o terremoto que devastou o país em 12 de janeiro.



Outos dois militares brasileiros ainda são considerados como desaparecidos..

Cobertura completa: terremoto no Haiti



Veja lista de vítimas brasileiras

Segundo o Exército, o tenente-coronel Cysneiros desempenhava no Haiti as funções de observador militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti, a Minustah.

Com isso, sobe para 18 o número de brasileiros mortos na tragédia. Entre as vítimas do Brasil, estão também o diplomata Luiz Carlos da Costa, que ocupava o segundo cargo mais importante da ONU no Haiti, e a médica sanitarista e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns.



O terremoto no Haiti deixou um número ainda não determinado de mortos, na cada de dezenas de milhares, e arrasou a infraestrutura da capital, Porto Príncipe, deixando 10% do prédios destruídos e milhares de desabrigados.



A situação humanitária na cidade é grave, e o mundo tenta acelerar a ajuda humanitária ao país para evitar o colapso. Falta água e comida, os mortos são enterrados em valas comuns.



O governo local já relatou saques, episódios de violência e a volta à ação de gangues armadas.



Saúde dos militares feridos


O Comando do Exército também informou neste domingo que os 16 militares feridos provenientes do Haiti permanecem internados no Hospital Geral de São Paulo. "O quadro clínico de todos é bom e estável, alguns inclusive com condições de alta hospitalar", informou o Exército.

De acordo com a instituição, todos militares permanecerão internados até o término do período de quarentena, para a realização de "exames complementares previstos para os militares que participam da Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH)".

"Nenhum militar necessitou transferência para a Unidade de Terapia Intensiva.
A maioria apresenta pequenas lesões sem gravidade (fraturas, entorses e escoriações) e todos estão recebendo cuidados de equipe multidisciplinar, visando um período de recuperação mais curto", concluiu o Exército, por meio de nota à imprensa.
 
esse terremoto ja é considerado um dos maiores desastres naturais dos ultimos tempos :(