•  
     

Estudo indica que fóssil de 'hobbit' seria de humano com fal

Estudo indica que fóssil de 'hobbit' seria de humano com falta de iodo

Pesquisadores australianos disseram que as ossadas de um hominídeo pré-histórico descobertas em 2004, na Indonésia, não se tratam de fósseis de uma nova espécie, como se chegou a acreditar, mas de homens “com severa deficiência de iodo”.

Em estudo publicado na revista Proceedings of the Royal Society, os especialistas afirmam que recentes comparações com ossos do homem moderno sugerem que a pequena estatura e as feições peculiares dos hominídeos, apelidados de "hobbit" por causa de sua semelhança com os personagens homônimos de O Senhor dos Anéis, seriam atribuídas a uma condição de saúde relacionada à falta de iodo.

hobbit.jpg
hobbit.jpg (8.93 KiB) Visto 1243 vezes


descoberta dos fósseis numa caverna da ilha de Flores causou um alvoroço no meio científico diante das suspeitas de que as criaturas, que teriam vivido há cerca de 18 mil anos, poderiam ser representantes de uma espécie desconhecida, com características semelhantes as do Homo erectus, ancestral do Homo sapiens.

A espécie foi batizada de Homo floresiensis. Eles tinham cerca de um metro de altura, 25 quilos de peso e um crânio extremamente pequeno.

De acordo com o novo estudo, coordenado pelo pesquisador da Universidade de Melbourne Peter Oberndorf, as criaturas sofriam de cretinismo, uma deficiência mental provocada pela ausência da tiroxina, um dos hormônios da tireóide responsáveis pelo amadurecimento cerebral.

“O cretinismo pode provocar características físicas muito similares às das criaturas encontradas na ilha de Flores”, disse Obendorf.


Má-formação

Ainda segundo o pesquisador, essa forma extrema de cretinismo seria “o resultado de uma severa deficiência de iodo durante a gravidez, em combinação com um número de fatores, como uma dieta rica em alimentos que liberam cianeto (tipo de veneno) no organismo”.

“Nossa pesquisa sugere que esses fósseis não são uma nova espécie, mas os restos de humanos que sofriam desta condição”, reforçou o pesquisador.

O novo estudo é mais uma tese que reforça a teoria de que os fósseis eram de ancestrais humanos. Um estudo realizado recentemente por paleontólogos espanhóis sugeriu que Homo floresiensi sofria de má-formações, com deficiências nos órgãos sensoriais e motores, que dificultavam sua mobilidade.

Fonte: http://misteriosantigos.com/artigos/mod ... itemid=158