•  
     

Escolas de samba de SP apostam em temas históricos para a fo

[size=150][color=#000000]Agremiações da capital paulista já escolheram os sambas.
Confira a ordem das apresentações no Sambódromo e as letras.[/color][/size]

[attachment=0]Comissão de frente da Vai-Vai, campeã do carnaval 2008 em São Paulo.jpg[/attachment]

As escolas de samba de São Paulo já definiram as histórias que contarão durante a passagem pelo Sambódromo. Em 2009, os temas históricos, e até políticos, terão presença marcante nos enredos escolhidos pelas agremiações. Da prosperidade de Ouro Preto, passando pela luta do povo em Angola e destruição da Amazônia, até a história do dinheiro, alguns motivos parecem muito sérios para a festa, mas são cantados sempre com alegria e leveza, para animar as arquibancadas. Com todas as composições já selecionadas, a missão de cada folião agora é decorar a letra para não fazer feio no Sambódromo.

A Unidos de Vila Maria retoma o escambo na Antiguidade e chega até o capitalismo financeiro para contar a história do dinheiro. O samba da Tom Maior relata a luta e o sofrimento já vividos pelo povo angolano, e homenageia Martinho da Vila, a quem chama de “embaixador” do Brasil em Angola, enquanto a Mancha Verde reverencia a cultura de Pernambuco.

A Gaviões da Fiel retoma a história da roda, desde sua criação, chegando a máquinas modernas cujo desenvolvimento só foi permitido por causa da invenção humana. Mais adiante na História, o ciclo do ouro, a arte barroca e a Inconfidência Mineira estão na letra da Acadêmicos do Tucuruvi, que teve a cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais, como fonte de inspiração.

As belezas da Amazônia e a tristeza provocada pelo desmatamento serão cantadas pela X-9 Paulistana. A riqueza da terra também foi abordada pela Unidos do Peruche em forma de ouro e pedras preciosas. E a escola não deixa barato a cobiça e a vaidade despertadas no homem pelas peças valiosas.

[color=#000000]Misticismo [/color]

Se algumas escolas optaram por um conteúdo realista, houve quem buscasse mais leveza e fantasia nos assuntos cantados nos sambas. A Mocidade Alegre entra na avenida com o “Coração” como tema, e trata dele como a “máquina da vida”, mas também como o local onde residem “religião, mistério e segredo”. A Rosas de Ouro fugiu da dureza da realidade para falar de sonhos, ilusão e magia. A Pérola Negra também transcende as preocupações materiais e narra uma viagem até a Índia, em busca da “pérola sagrada, aliança entre o homem e o divino”.

Com o pé no chão, a Leandro de Itaquera presta homenagem à apresentadora e atriz Regina Case e exalta a trabalho nas periferias. A Vai-Vai, grande vencedora de 2008, aposta na saúde e nos bons hábitos para conseguir o bicampeonato, com o mote “mente sã, corpo são”. Já a Nenê de Vila Matilde e Império de Casa Verde convidam a comemorar os aniversários das agremiações. A Nenê celebra os 60 anos, e a Império, 15.

[color=#000000]Desfiles [/color]

A ordem dos desfiles também já está definida. Quem abre a série de desfiles é a Unidos do Peruche. A atual campeã Vai-Vai entrará na avenida já sob a luz do dia, é a penúltima escola do sábado. A segunda melhor colocada de 2008, Mocidade Alegre, também desfila no sábado e é a terceira a se apresentar.

Na sexta-feira, desfilam, por ordem de apresentação, Unidos do Peruche, Rosas de Ouro, Unidos de Vila Maria, Tom Maior, Mancha Verde, X-9 Paulistana e Nenê de Vila Matilde.

No sábado, a seqüência é: Leandro de Itaquera, Pérola Negra, Mocidade Alegre, Acadêmicos do Tucuruvi, Gaviões da Fiel, Vai-Vai e Império de Casa Verde.

[color=#000000]Confira as letras dos sambas:[/color]

[color=#000000]Mocidade alegre [/color]
Chegou mocidade o grande dia
Avante nossa família
Que traz a chama da razão
E faz brilhar nesta avenida
A luz que ilumina cada ser
É a fonte do saber
Na religião, mistério e segredo... É o coração!!!
O renascimento desperta a ciência
Fazendo o homem conhecer
Sua própria existência

Máquina da vida eu sou
Com saúde e mais amor
Quem doa renova a vida em outro ser
Sou ritmo puro que te faz viver

Entre tantas emoções
Amores revelam cenário de paixões
Enamorados ao luar, o cupido me flechou
Gostoso é o amor materno
Puro e eterno pra me acalentar
Sou inspiração na poesia
O grito de gol no ar
São tantos sambistas imortais
Inesquecíveis carnavais
Por ti darei a minha vida escola querida!!!

É mais uma emoção
Batendo forte no meu peito
Eu sou morada e não tem jeito
Faz pulsar o coração
O sonho de ser campeão

[color=#000000]Unidos de Vila Maria [/color]
Na antiguidade a arte sdo escambo comecou
Para suprir suas necessidades
O homem de tudo trocou
Na lídia surgiu o capitalismo,
A moeda floresceu
Imagens reluziram em suas faces
O metal prevaleceu
O tempo deixou,
Tesouros que fascinam a memória
Nasceu o cifrão,
Também na religião, o dinheiro fez história

Peguei o talismã da sorte
Contra o mau-olhado, meu patuá
Joguei, a moeda na fonte
Pro meu desejo se realizar

Arrisquei nos jogos de azar
Sonhando em me dar bem
Pois neste mundo desigual
Poucos tem muito, e muitos nada tem
Brilhou na modernidade, o sistema mundial
No meu país, esta novidade
Chegou com a família real
Meu capital não é dolar nem é euro
Mas tem o seu valor
Lutando contra a inflação
Sou batalhador, brasileiro
E na era virtual, meu dinheiro é real

É sonho, é alucinação
Faz a diferença social
Mito, história e realidade
Na Vila Maria virou carnaval

[color=#000000]Rosas de ouro [/color]
Eu sou operário da ilusão
Vou pintar meu coração
De azul e rosa

Criando sonhos pra vida inteira
Lá vem roseira

Atravessei o portal da magia
No jardim da folia, vi guardiões
Desfilei entre “fadas rainhas”
Pierrôs, colombinas, arlequins embalavam foliões
Tem arte e cultura em meu mundo encantado
Foi tudo criado com amor e paixão
O meu sonho é o retrato
Do trabalho em união

Sonhar é sair do papel
Viver a fantasia
Brilha uma estrela, caiu do céu
Pra fazer do ano uma grande dia

Alô arquibancada!
Galera ligada, com muita emoção
Sou paulistano sambista
O sonho do artista, na televisão
Vou me inspirar
Nessa saudade sem fim
De quem transformou essa rosa
Na majestade do jardim

Meu sonho vale ouro
Vai conquistar geral
Só quero acordar, pra te confirmar
Deu rosas nesse carnaval

[color=#000000]Tom Maior [/color]
É nova Angola com mais amor
Seus ideais, de independência e libertação
Chega de guerra e opressão
Buscando o caminho da paz
Um povo que tanto sofreu... renasceu
E brilha o sol da nova era
Reconstruindo a sua história
Rainha Nzinga guerreira
Com seu exemplo, rompeu fronteiras
Entre correntes e lamentos
A negritude atravessou o mar
Fazendo desse chão seu gueto
O Brasil é negro, e hoje vem sambar

Oi deixa a gira girar... Vamos girar
A proteção Zambi nos dá
Vem na ginga d’Angola
E deixa o corpo balançar

Mais tarde o filho volta, ao lugar que o concebeu
Levando a sabedoria que aprendeu
Axé para quem estendeu a mão
Firmando aliança com nosso irmão
Reconhecendo essa nação
Angola tão cheia de luz !
Conquistada por um sonhador
Terra de seus ancestrais
Exalta seu "embaixador" !
É Martinho, é José, partideiro, escritor
É da Vila Isabel, que fez Kizomba lá no bairro de Noel

Bate tambor batuqueiro
O canto do negro ecoou
É tempo de liberdade, e felicidade!
Em Tom Maior é negra a cor

[color=#000000]X-9 Paulistana [/color]
Amazônia,
meu braço forte é a sua proteção
sou um valente guerreiro
eu sou x-9, sou caboclo brasileiro.
Feito pajé entrei na mata
onde o meu canto ecoou
evoco energias encantadas
neste santuário de amor
abrindo os portais da imaginação
eu vou na barca de dom sebastião
por mares dourados naveguei
mistérios e magias encontrei
Vou bater o meu tambor... Auê!
Um delírio de felicidade
em cada gota de borracha
o luxo e o esplendor...
No eldorado que tupã abençoou
Porém nem tudo é beleza
vejo o corvo da ambição.
O silêncio toma conta da floresta
lágrimas de destruição.
Ao som... Dos maracás vou convocar
o guerreiro de anhangá
e outros seres imortais...
Pra expulsar, toda maldade desta terra
a nossa tribo vence a guerra
chegou a hora! Vamos juntos festejar
e hoje... Meu gesto de amor e paz
vai coroar a protetora dos mananciais
Nenê de Vila Matilde
Num show brilhou a inspiração
iluminou o coração de um menino
e a minha águia faz, seu vôo traz
a sua história, seu presente, seu destino...
Falar de amor, encontrar a canção
aplausos ao meu pavilhão
quilombo do samba a nascer
foi lá na casa grande a senzala a se erguer
a negra herança que balança a poesia
no culugundum da bateria

em Sampa ecoa meu cantar
das mãos do cacique vi brotar
semente do samba, valente guerreira
a minha escola não é brincadeira

Sambas que marcaram sua história, vila matilde
A benção portela, valeu verde e rosa
sou da negritude o fruto e a raiz
corinthiano, coração bate feliz...
Sabe porque?
O samba é o nome e o sobrenome é nenê
a zona leste refazendo o carnaval
Do largo do peixe ao espaço sideral
mais que sessenta, muito mais!... A eternidade
agora agüenta que é só felicidade

Samba aí que eu quero ver você sambar
vem comigo festejar
alô! Você que todo ano me espera
sessenta anos!... Sou nenê com a galera

[color=#000000]Acadêmicos Do Tucuruvi [/color]
Nascida Em Noite De São João
Abençoada Pela Virgem Do Pilar
Cresceu Vila Rica, Mineira Singela
Dividindo O Coração, Do Explorador Ô Ô
Entre A Fé E A Ambição
Despertou Cobiça, Devoção E Arte
Das Diferenças Raciais, Camadas Sociais
Surge O Barroco De Artistas Geniais

Mostrando Arte Minha Escola Vem Aí
Bate Na Palma Da Mão Ô Ô Ô
Com A Morenice No Olhar Se Fez Pioneiro
O Talento Brasileiro

Sonhou, Com A Liberdade Ainda Que Tardia
No Alvorocer De Um Novo Dia, “Alforria”
Eis Um Herói
Que Deu A Vida Por Um Ideal
És Patrimonio Nacional, E Da Humanidade
E Hoje És Meu Carnaval
Teu Povo Teus Encantos Culturais
Quem Te Conhece Não Esquece Nunca Mais

Vem Amor Que A Hora É Essa
Canta Forte Tira O Pé Do Chão
Ouro Preto É Meu Tesouro
Tucuruvi Minha Paixão

[color=#000000]Leandro de Itaquera [/color]
Sou leandro , sou guerreiro da periferia
Tenho garra, vou a luta...sou leão
Meu pavilhão é a luz que irradia
A vermelho e branco do meu coração
Povo forte, sonhador ô ô
Valente, cheio de esperança
Oh! Solidário sertão, sofrimento ilusão
Adeus asa branca
Gente que sobe o morro
Constrói sua vida com dignidade
Favela, a nossa raiz... Carente, mas sempre feliz
De raças, culturas tão lindas, patrimonio nacional
O samba que desce a ladeira
E traz a cidade inteira pra brincar o carnaval

É a fé, muito axé, a benção meus orixás
Gira aí, diz no pé, energia...saravá
Ah! Seu zé, mas quanta alegria
Swinga majestosa bateria

Assim é o nosso dia a dia, do sonho à realidade
Com educação e cidadania
Trabalho, esporte pra comunidade
Notícia boa é assim, vem em tom de igualdade

Se liga no som, é rap, é baião,
É funk, é brega, pagode na palma da mão

Estrela a brilhar no teatro, cinema e tv
Põe a boca no trombone para alertar
Em prol dos direitos de viver
Eu, tú eles a sambar na central da periferia
Hoje vamos coroar um exemplo de mulher
Salve, salve Regina Casé!
Salve, salve Regina Casé!

[color=#000000]Unidos do Peruche[/color]
Nasce de uma grande explosão
Uma história de cobiça e ambição
Riqueza que ao mundo encantou
Do ventre da terra germinou
Foi primitiva a criação o adorno da sedução surgiu
E assim se espalharam entre os povos
Preciosidades o homem produziu
Com formas e cores lapidou e evoluiu
No Egito imortalizou o faraó
Na antiguidade encantou a realeza
O ornamento nas igrejas imperou
Na mais sublime forma de beleza

Fonte mais linda de inspiração, sedução
Reflete no olhar
Desperta o amor
Dádiva do criador

Brasil, o reino encantado
Brasil, gigante explorado
A esmeralda conduz a obra de um grande poeta
Aos olhos de oxum, no canto do negro, o ouro luziu
E no caminho das águas, o diamante brotou
Existe a consciência, que a natureza implora
É tempo de preservar, essa é a hora!

A peruche é jóia rara
Brilha e reluz meu pavilhão
A escola mais preciosa
Vai conquistar seu coração.

[color=#000000]Gaviões da Fiel [/color]
Roda… sublime criação
Embalou os sonhos da humanidade
Arquitetando a divina inspiração
Avançar no tempo…
Ao soprar do vento, a evolução
Vem meu amor entra em cena
Nos moinhos da vida, se entregue a paixão
Quero delirar, voar nas asas do Gaviões.
Sou uma criança a brincar, um anjo!
No cata-vento da ilusão

Lá vem a Maria fumaça
Trazendo a massa, alvinegra nação
Trilhando progresso, construindo o sucesso
Bem-vindos a nossa estação

E assim… em manobras radicais
Vou curtindo a liberdade
De braços dados com a emoção
É lindo, faz pulsar o coração
Quando chega o domingo na tela da televisão
” De volta em volta ” adrenalina… explosão!
Entre tantas constelações, uma estrela lá no céu!
Ao lado de São Jorge padroeiro
Ayrton Senna da fiel

Meu sangue é gavião ô ô ô
Sou o herói guerreiro
Vou na velocidade
Conquistando o mundo inteiro

[color=#000000]Vai-Vai [/color]
De corpo, alma e mente pura
sou da saracura, treze vezes campeã

Vai meu samba tirando onda, ”Vai-Vai” vai mostrar
A história da saúde mundial. Acorda meu Brasil,
a coisa por aqui já vai pra lá de mal

Nos velhos tempos das grandes navegações
a peste vinha impregnada em seus porões
e a terra se afundou num poço de lama
a globalização microbiana (chegou)

No balanço do mar, um bando de imundos
veio macular o chão do novo mundo
eu vivo a indagar, se o mais civilizado
era o Peró peludo ou tupi pelado
arde o rio! É febre na cidade inteira
a vacinação trouxe a salvação
salve a ciência brasileira

O mundo tem que cultuar o corpo
e consumir o que é natural
dizer não às drogas do mal
se liga no meu carnaval

A luz que purifica a alma, reluz e nos conduz
buscar alternativas pra curar tantas feridas,
que essa louca vida faz,
somente a força da fé, para nos guiar
pedir às deusas serpentes para abençoar
a nossa saúde, minha escola vem brindar

Superação, a bela vista é tradição
traz no DNA a raiz do samba pé no chão

Mancha Verde
A coragem raiou no horizonte
Vem de lá na embarcação
O mar se arrebenta em seu nome
Batizando a sua formação
O cultivo desperta a cobiça
Entre Holanda e Portugal
Maurício de Nassau, moderna capital
A arte se transforma em pintura
Miscigenações, manifestações
Do folclore, da fé e da cultura

Tem frevo de bamba, no samba
Vem amor, forrozear
Sou Pernambuco, em festa de São João
Eu sou a arte e vou tocar seu coração

Hoje eu vou pintar
E vou bordar minha raiz
Erudito popular
Sou poeta arretado desse meu país
Artistas de consagração
Pessoas de grande expressão
Assim meu povo se destacou
Meu verde e branco a brilhar
Antes da quarta feira, eu vou festejar
Com devoção, meu pavilhão em primeiro lugar

É garra, é amor, respeito
É força, é vida, é emoção
É com orgulho que sou
E levo por onde for
A Mancha Verde no meu coração

[color=#000000]Nenê de Vila Matilde [/color]
Num show brilhou a inspiração
iluminou o coração de um menino
e a minha águia faz, seu vôo traz
a sua história, seu presente, seu destino...
Falar de amor, encontrar a canção
aplausos ao meu pavilhão
quilombo do samba a nascer
foi lá na casa grande a senzala a se erguer
a negra herança que balança a poesia
no culugundum da bateria

Em Sampa ecoa meu cantar
das mãos do cacique vi brotar
semente do samba, valente guerreira
a minha escola não é brincadeira

Sambas, marcaram sua história, vila matilde
a benção portela, valeu verde e rosa
sou da negritude o fruto e a raiz
corinthiano, coração bate feliz...
Sabe porque?
O samba é o nome e o sobrenome é nenê
a Zona Leste refazendo o carnaval
Do Largo do Peixe ao espaço sideral
mais que sessenta, muito mais!... A eternidade
agora agüenta que é só felicidade

Samba aí que eu quero ver você sambar
vem comigo festejar
Alô! Você que todo ano me espera
sessenta anos!... Sou nenê com a galera

Império da Casa Verde

Vem comemorar mantendo viva as tradições
Deste povo brasileiro misto de varias nações
Do calendário cristão vou fazer meu carnaval
Festa de ramos para abrir semana Santa
E pra findar o coelhinho entregador
Faz da páscoa colorida doce sabor
Tem Santo Antonio tem São Pedro e São João
Bota lenha na fogueira deixa queimar
Tem romaria pra saudar a padroeira
Nossa Senhora Aparecida
Luz que reluz e ilumina
A Casa Verde na avenida


São Cosme Damião abençoai nossas crianças
Peço paz e um feliz Natal
São os votos da família Imperial

Em 22 de Abril amor a primeira vista
Ó Pátria amada de heróis imortais
Independência escravos nunca mais
Agradeço ao céu por ter você mamãe querida
Por ter você papai meu grande herói
Nossa família é mais que unida´
Trabalhando em união
Sem tirar do índio seu quinhão
Vamos plantar a esperança pra colher a paz
Poder brindar com nosso povo
Saúde amor feliz Ano Novo


É Carnaval
Mais uma vez o astro rei nos ilumina
Meu tigre guerreiro é lindo a sua trajetória
São 15 anos de história
Que emoção...

Pérola Negra

O vento soprou... Aroma
No sonho tão lindo, um jardim de alegria
Uma voz soberana me fez viajar
Paraiso de encanto e magia
São os caminhos da índia, vou trilhar
A pérola sagrada hei de encontrar
O símbolo mais puro do amor
Aliança entre o homem e o divino
Trouxe paz, sabedoria
Surya é a luz... Luz que me guia
Mistério da fé milenar
Cultura pra enriquecer, vou desvendar
Em "goa" respirei felicidade
De corpo e alma a saga vai continuar
E passo a passo eu vou
O sol me orientou
Cheguei ao templo do imperador
Senti a mesma paixão
Mas não vi brilhar minha jóia rara
Voltei ao jardim
Aquela voz disse pra mim:
O carnaval vale ouro
E a índia é inspiração
Encontrei você (pérola negra) no meu coração
Meu batuque faz a vila madalena despertar
A comunidade abraçou
Pérola negra o meu grande amor

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL858222-5605,00-ESCOLAS+DE+SAMBA+DE+SP+APOSTAM+EM+TEMAS+HISTORICOS+PARA+A+FOLIA+DE.html
Anexos
Comissão de frente da Vai-Vai, campeã do carnaval 2008 em São Paulo.jpg
Comissão de frente da Vai-Vai, campeã do carnaval 2008 em São Paulo