•  
     

Entenda o que é NetBeui e o IPX/SPX

O TCP/IP tornou-se um protocolo onipresente. Ele é usado desde servidores de grande porte até palmtops e celulares, permitindo que dispositivos de plataformas completamente diferentes possam conversar entre si.

Entenda o que e NetBeui e o IPX SPX.jpg


Entretanto, antes do TCP/IP, os protocolos mais usados eram o NetBEUI e o IPX/SPX. Eles ainda são utilizados em algumas redes, por isso é interessante saber um pouco sobre eles:

O NetBEUI é uma espécie de “vovô protocolo”, pois foi lançado pela IBM no início da década de 1980, para ser usado junto com o IBM PC Network, um micro com configuração semelhante à do PC XT, mas que podia ser ligado em rede. Naquela época, o protocolo possuía bem menos recursos e era chamado de NetBIOS. O nome NetBEUI passou a ser usado quando a IBM estendeu os recursos do NetBIOS, formando a versão final do protocolo.

No jargão técnico atual, usamos o termo “NetBEUI” quando nos referimos ao protocolo de rede em si e o termo “NetBIOS” quando queremos nos referir aos comandos deste mesmo protocolo usado pelos programas para acessar a rede.

Ao contrário do IPX/SPX e do TPC/IP, o NetBEUI foi concebido para ser usado apenas em pequenas redes e por isso sempre foi um protocolo extremamente simples. Para ter uma idéia, no NetBEUI não existe configuração de endereços, pois os micros conversam diretamente usando os endereços MAC.

Por um lado, isto fez que ele se tornasse bastante rápido e fosse considerado o mais rápido protocolo de rede durante muito tempo. Para você ter uma idéia, apenas as versões mais recentes do IPX/SPX e TCP/IP conseguiram superar o NetBEUI em velocidade.

Mas, esta simplicidade toda tem um custo: devido ao método simples de endereçamento usado pelo NetBEUI, podemos usá-lo em redes de no máximo 255 micros. Além disso, o NetBEUI não suporta enumeração de redes (para ele todos os micros estão ligados na mesma rede). Isto significa que, se você tiver uma grande Intranet, composta por várias redes interligadas por roteadores, os micros que usarem o NetBEUI simplesmente não serão capazes de enxergar micros conectados às outras redes, enxergarão apenas os micros a que estiverem conectados diretamente. Devido a esta limitação, dizemos que o NetBEUI é um protocolo “não-roteável”.

Apesar de suas limitações, o NetBEUI ainda é usado em algumas redes Windows, por ser rápido, fácil de instalar e usar. Você não pode usá-lo para acessar a Internet, acessar outras máquinas da rede via SSH nem nenhum outro dos serviços que vimos até aqui, mas ele permite que as máquinas Windows compartilhem arquivos entre si. Outra limitação é que o Samba não é compatível com o NetBEUI (apenas com o TPC/IP), por isso uma estação que tivesse apenas o protocolo NetBEUI ativo, não seria capaz de acessar compartilhamentos em um servidor Samba, mesmo que as demais configurações estivessem corretas.

Versões antigas do Windows, incluindo o Windows 95 e o Windows NT 4.0 utilizavam o NetBEUI como protocolo padrão. Nelas, era necessário ativar o TCP/IP manualmente na configuração da rede para acessar a web ou utilizar outros recursos de rede não suportados pelo NetBEUI, o que fazia com que a maioria simplesmente deixasse os dois protocolos ativos, o que prejudicava a navegação entre os compartilhamentos da rede, já que o sistema era obrigado a fazer as pesquisas utilizando os dois protocolos. Eram comuns delays de até 30 segundos ao abrir o ambiente de redes ou tentar visualizar os compartilhamentos disponíveis em uma máquina da rede, problema que era resolvido ao migrar completamente a rede para o TCP/IP e desinstalar o NetBEUI em todas as máquinas.

Devido às suas muitas limitações, não é recomendável utilizar o NetBEUI nos dias de hoje, de forma que a própria Microsoft descontinuou o suporte ao NetBEUI a partir do Windows XP. Apesar disso, foi preservado um método de instalação manual, com o propósito de manter compatibilidade com redes antigas, onde ele ainda seja usado.

O IPX/SPX é o protocolo desenvolvido pela Novell para uso no Novell NetWare. Ele foi o protocolo usado por padrão até o NetWare 5.0, quando deu lugar ao TCP/IP como protocolo default. Apesar disso, o IPX/SPX já foi um protocolo bastante popular e ainda continua sendo usado até os dias de hoje em algumas redes.

O NetWare não é um sistema operacional dentro do conceito tradicional, mas sim um NOS (Network Operating System). Ele roda sobre outro sistema operacional (Windows ou DOS, dependendo da versão), utilizando as rotinas de acesso ao hardware, drivers e outros componentes do sistema hospedeiro e oferecendo a estrutura de rede, incluindo compartilhamento de arquivos e impressoras, autenticação, controle de acesso e outros recursos.

No início da década de 1990, o NetWare chegou a dominar o mercado, mas passou a perder espaço para os servidores Windows e em seguida também para o Linux. Como o NetWare era uma solução cara, muitas empresas optavam por utilizar os próprios recursos de compartilhamento de arquivos e impressoras incluídos no Windows 95/98 ou utilizavam servidores Windows NT, cuja implantação era mais barata (sobretudo pela questão da mão de obra, que era muito mais cara no caso do NetWare). Com o lançamento do Windows 2000 Server e do 2003 Server e a popularização dos servidores Linux, o movimento se intensificou, fazendo com que o NetWare ficasse restrito a nichos cada vez menores.

Atualmente é muito comum utilizar servidores Linux, rodando o Samba, substituindo servidores Windows NT, 2000 ou 2003 Server. No início de 2003, a Novell comprou a SuSE, uma das maiores distribuições Linux na Europa e, em seguida, a Ximian (que entre outras coisas desenvolve soluções de interoperabilidade entre servidores Linux e Windows) e passou a investir pesado em soluções baseadas em Linux, tentando reconquistar o terreno perdido.






Fonte: http://www.redescomputadores.com/redes/ ... pxspx.html