•  
     

Empresa italiana processa Google e YouTube em US$ 780 milhõe

Mediaset é controlada pelo primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi.
Companhia diz que site do Google exibe mais de 4,6 mil vídeos protegidos.


A companhia italiana de mídia Mediaset processou o Google e a unidade YouTube em 500 milhões de euros (US$ 780 milhões) por uso ilegal de seu conteúdo.

A Mediaset, controlada pelo primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, une-se desta forma a outras companhias de conteúdo que buscam compensações do site de vídeos YouTube por infração de direitos autorais.

Um porta-voz da página informou que a empresa não vê a necessidade de abertura de um processo. "O YouTube respeita os detentores e leva muito a sério a questão de direitos autorais", disse o porta-voz em Londres. O Google comprou o YouTube em 2006.

"Não há necessidade para uma ação legal. Nós proibimos os usuários de mandarem material com infração de direitos e cooperamos com todos os detentores de direitos para identificar e remover prontamente conteúdo ilegal assim que é oficialmente denunciado", informou o Google em comunicado.

A Mediaset afirma que uma análise do YouTube em 10 de junho revelou "pelo menos 4.643 vídeos e clipes dos quais somos donos, equivalentes a mais de 325 horas de transmissão". A companhia informou que isso equivale à perda de 315,6 mil dias de transmissão por parte de seus três canais de televisão.

O YouTube enfrenta ainda um processo por infração de direitos autorais por parte do grupo norte-americano de entretenimento Viacom e da empresa francesa.



Viacom
No começo do mês, a Justiça dos Estados Unidos determinou que o Google entregasse à Viacom o histórico de navegação no YouTube e a identificação dos computadores de todos que assistiram a vídeos publicados sem o pagamento de direitos autorais.

A decisão de um juiz federal de Nova York faz parte da ação de US$ 1 bilhão movida pela empresa, dona da rede de TV americana MTV e dos estúdios de cinema Paramount e DreamWorks. O Youtube é acusado de permitir a veiculação de 160 mil trechos de programas produzidos pela Viacom, sem pagar por isso.

O Google conseguiu, no entanto, fechar um acordo para proteger dados pessoais desses milhões de usuários: o gigante da internet poderá manter anônimas as informações e endereços IP que identificam esses usuários antes de entregar os dados à Viacom, como determinou a Justiça.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia ... LHOES.html
 
oloko muito diheiro