•  
     

Emicida é preso após show em Belo Horizonte neste domingo

Rapper escreveu que prisão aconteceu 'por desacato a autoridade'.
PM diz que ele incitou público a fazer gestos obscenos contra policiais.
Imagem
O rapper paulistano Emicida foi preso na noite deste domingo (13) em Belo Horizonte depois de fazer uma apresentação na cidade. Ele comentou o episódio em seu perfil no Twitter, por volta das 20h: "Fui preso por desacato a autoridade após o show em BH por causa da música dedo na ferida". Ao G1, Evandro Fiote, que é produtor de Emicida e estava no local, disse que o músico chegou à delegacia às 19h30 e que a detenção aconteceu depois de o artista sair do palco. Ele havia se apresentado num evento chamado Palco Hip Hop, que acontecia no bairro Barreiro e tinha entrada gratuita.
Contata pelo G1, a assessoria de imprensa da Polícia Militar afirmou que Emicida foi detido, após o término da apresentação, por ter incitado o público a fazer gestos obscenos contra policiais militares do 41º Batalhão, que faziam o policiamento no evento, e contra políticos. A PM, no entanto, não soube informar que se havia políticos presentes.
Ainda de acordo com a corporação, Emicida foi levado algemado num carro de polícia até a 36ª Delegacia Seccional, onde a ocorrência deve ser registrada ainda na noite deste domingo. O cantor deve prestar depoimento sobre o caso.
Pinheirinho e Cracolândia
Cerca de uma hora após a publicação do post do rapper, o tópico "#LiberdadeEmicida" já ocupava o primeiro lugar nos trending topics (assuntos mais comentados) do Brasil no site.
Mais tarde, às 21h30, o seguinte relato foi publicado no perfil da Laboratório Fantasma, produtora do músico: "A todos que estão ligando pra saber o que aconteceu: Emicida está na delegacia e, assim que possível, daremos outras informações".
O single "Dedo na ferida" foi lançado por Emicida em seu blog no início de março. Com uma batida pesada, que remete à era mais politizada do rap, o músico critica a polícia e aborda as polêmicas em torno do despejo de moradores de Pinheirinho e da cracolândia de São Paulo, entre outras.
O rap é “dedicado às vítimas do [favela do] Moinho, Pinheirinho, Cracolândia, Rio dos Macacos, Alcântara e todas as quebradas devastadas pela ganância”, como o artista diz logo no início. Na letra, há frases fortes como "Auschwitz ou gueto? Índio ou preto?/ Mesmo jeito, extermínio".
"Dedo na ferida" foi produzida por Renan Samam, colaborador habitual do rapper, e o clipe foi dirigido por Nicolas Prado, parceiro de Emicida na produtora Laboratório Fantasma.
Imagem


Fonte: globo.com
 
ele foi liberado ontem de noite