•  
     

Egiptólogos acham múmia de rainha egípcia

Hatshepsut foi a rainha mais famosa do Egito antigo.
Descoberta é mais importante no vale dos Reis desde a do rei Tutankhamon.


Estátua-de-Hatshepsut-no-Egito.jpg
Estátua de Hatshepsut, no Egito
Estátua-de-Hatshepsut-no-Egito.jpg (5.69 KiB) Visto 1543 vezes


Egiptólogos acreditam ter identificado a múmia de Hatshepsut, a rainha mais famosa do Egito antigo. Ela teria sido encontrada num túmulo humilde no vale dos Reis, disse um arqueólogo na segunda-feira.



O arqueólogo-chefe do Egito, Zahi Hawass, vai conceder uma entrevista coletiva no Cairo na quarta-feira. O Discovery Channel disse que ele vai anunciar a descoberta mais importante no vale dos Reis desde a do rei Tutankhamon.



O arqueólogo, que pediu para não ser identificado, disse que a suposta múmia de Hatshepsut foi encontrada em 1903, junto com outro corpo de mulher, num pequeno túmulo que seria da ama-de-leite de Hatshepsut, Sitre In.



Vários egiptólogos especularam ao longo dos anos se uma das duas múmias não era a da rainha, que governou entre 1503 e 1482 a.C., no auge da civilização do Egito antigo.

O arqueólogo disse que Hawass vai apresentar novas provas para a identificação, mas que nem todos os egiptólogos estão convencidos de que ele vai conseguir provar sua tese. "Baseia-se nos dentes e em partes do corpo. É um exemplar interessante de dedução científica, que pode indicar a verdade", disse o arqueólogo.



A egiptóloga Elizabeth Thomas especulou há muitos anos que uma das múmias poderia ser de Hatshepsut, já que a posição do braço direito sobre o peito sugeria realeza. A múmia pode ter sido escondida no túmulo porque o enteado e sucessor da rainha, Tutmés 3º, tentou ofuscar a memória dela.



Donald Ryan, um egiptólogo que redescobriu o túmulo em 1989, disse num fórum de discussão na Internet este mês que existem muitas identidades possíveis para as duas múmias de mulheres encontradas no local. "Zahi Hawass recentemente fez grandes avanços nessa questão. As duas múmias estão no Cairo sendo examinadas de formas muito inteligentes, que podem bem esclarecer essas dúvidas", afirmou.



Num artigo sem data publicado em sua página na Internet, Hawass disse duvidar que a múmia com o braço direito dobrado fosse a da rainha. "Ela tem um corpo grande, gordo, com enormes seios pendurados, e a posição do braço direito não é prova convincente de realeza", escreveu.



Ele estava mais otimista quanto à múmia encontrada no caixão da ama-de-leite, normalmente identificada como a da criada. Essa múmia está no Museu Egípcio, no Cairo.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0, ... 03,00.html