•  
     

é possivel viajar no tempo?

Sim, é possível viajar no tempo!

O que parecia ficção científica pode se tornar realidade.
Entenda como conseguiremos viajar no tempo

Nada de apelar para as artes da adivinhação como a bola de cristal, a quiromancia ou as runas. Imagine se fosse possível conferir o futuro com os próprios olhos. Melhor, se pudesse voltar ao passado para corrigir os erros... Apenas uma máquina do tempo para oferecer tamanha facilidade. Mas qual é a real probabilidade de se viajar no tempo? Os físicos possuem resposta imediata: “Teoricamente, é possível ir para o futuro. Voltar para o passado, seria improvável”.

Aliás, os cientistas já conseguiram enviar partículas para o futuro! Os testes são feitos nos aceleradores de partículas, como o LHC. Para testar a idéia, os pesquisadores usaram duas partículas idênticas e instáveis - que se desintegram em segundos. Eles deixaram uma parada. Enquanto a outra foi colocada em movimento. A partícula que ficou parada se desintegrou primeiro.
Segundo a Teoria da Relatividade, do físico Albert Einstein, quanto maior for a velocidade de um objeto, menor é a passagem do tempo para ele. Por isso, a partícula que ficou parada desapareceu antes. Do mesmo modo, se um humano fosse enviado para o futuro, o tempo para ele passaria mais devagar do que para os seres humanos que ficassem no presente. “O tempo é relativo”, diz a sabedoria popular. Após esse experimento, logo uma pergunta apareceu. Se os cientistas conseguiram enviar partículas, por que não mandaram humanos?
Conceitualmente, todos os seres vivos estão “viajando” para o futuro. Envelhecer é uma maneira, biológica, mais simples de sair de uma época e ir para outra. Acelerar essa viagem ou transitar para o futuro e, em seguida, voltar ao tempo de onde partiu a expedição é possível. Mas não uma tarefa simples. Demandaria tecnologia que ainda não foi desenvolvida. Afinal, a massa - quantidade de matéria de um corpo - de uma partícula é menor do que a do ser humano.
Para que as pessoas viajassem no tempo, seria necessário construir um veículo que alcançasse uma velocidade muito alta. Próxima a velocidade da luz que é de 300 mil quilômetros por segundo. Mesmo assim, se esse veículo fosse construído, dois problemas deveriam ser solucionados. O material do qual seria feito esse meio de transporte teria que suportar o calor e o impacto da viagem. Outro detalhe é que, para atingir tamanha velocidade, o veículo precisaria de uma quantidade imensurável de combustível.

Qual o problema de voltar ao passado

Segundo a Teoria da Relatividade, seria provável viajar para o passado. Porém os físicos teriam que enfrentar dois problemas. O primeiro é filosófico. O que aconteceria se, em uma dessas viagens, a pessoa matasse os seus antepassados antes mesmo dela ter nascido? Seria um paradoxo que tornaria o universo inconsistente - que não pode gerar duas realidades diferentes. Essa resposta a ciência não tem. Outro detalhe é que, a física quântica - o estudo dos sistemas físicos cujas dimensões são próximas ou abaixo da medida do tamanho de um átomo - descarta a possibilidade de volta ao tempo.
Supondo-se que fosse criado um veículo para voltar ao tempo. De acordo com a física quântica, ao ser colocado em funcionamento, ele seria destruído antes mesmo de fazer a viagem. Isso porque o efeito “colateral” do veículo criaria um vácuo quântico - composto por partículas que aparecem e “morrem” rapidamente. Esse vácuo teria uma energia tão grande que não daria suporte para o funcionamento do veículo. Ao entrar em funcionamento o veículo seria destruído por essa força.

A viagem ao tempo faz parte do cotidiano

Os cientistas ainda não têm tecnologia suficiente para colocar uma geringonça para viajar no tempo. Também, não possuem respostas para as questões filosóficas que envolveriam um passeio desses. Apesar disso, a teoria da viagem no tempo é usada atualmente no dia-a-dia por todas as pessoas.
Um dos aparelhos eletrônicos que empregam a idéia de viagem ao tempo é o Global Positioning System (GPS) ou sistema de posição global, em português. O aparelho, que virou moda no Brasil, possui uma antena para trocar informações com o satélite que órbita fora da Terra. Para mandar a localização precisa ao GPS, o sistema empregado usa as fórmulas matemáticas da Teoria da Relatividade. O invento é tão funcional e lógico que a margem de erro dos satélites americanos é de 10 cm.
“Para se ter uma idéia da importância do tema no mundo, 30% da economia dos Estados Unidos está relacionada à física quântica”, conta a professora do Instituto de Física Teórica da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Maria Cristina Batoni Abdalla. Mesmo assim, atualmente, a viagem ao tempo está descartada. As pessoas devem incentivar as pesquisas e, por enquanto, se contentar com a bola de cristal e afins.
 
Acredito depois que alguem fizer testes com humanos!
 
WoooW , quero voltar em : 10/07/91 , quero ver se o medico me bateu quando eu nasci ¬¬. daew eu vo bate nele tb.
huahuahuahua.

Brincadeiras a parte.
Gostei do tópico =)...