•  
     

Diretor afastado da Abin é exonerado

O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, foi exonerado do cargo nesta segunda-feira (29). A saída dele do órgão foi publicada nesta segunda no Diário Oficial da União.

Lacerda estava fora do comando da Abin desde 1º de setembro deste ano, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu afastar toda cúpula do órgão depois das denúncias de que agentes participaram sem autorização da Operação Satiagraha, a pedido do delegado Protógenes Queiroz.

Segundo o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Lacerda pediu para sair depois que recebeu o convite para assumir o cargo de adido policial na embaixada brasileira em Portugal.

Segundo o Ministério da Justiça, o cargo foi criado na semana passada, quando o convite foi feito ao ex-diretor-geral da Polícia Federal. Antes de formalizar o convite à Lacerda, o ministro da Justiça, Tarso Genro, consultou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que concordou com a mudança.

O adido policial é responsável por todas as negociações que envolvam forças ou ações policiais do Brasil. O Brasil já tem adidos policiais na Argentina, no Paraguai, no Uruguai, na Colômbia, na França, na Bolívia e no Suriname. Também foram criados os cargos de adidos policiais na França e nos Estados Unidos, mas ainda não foram indicados os titulares.

Lacerda vai receber em dólares, e seu salário será maior do que o que recebia para chefiar a Abin.

A avaliação do Ministério da Justiça é que Lacerda é o nome mais adequado para assumir o cargo porque tem muitos anos de serviço na Polícia Federal e trabalhou no setor de inteligência do governo. Portugal é considerado um posto-chave para o governo porque há um combate intenso ao tráfico de pessoas e à imigração ilegal.

Segundo o GSI, a Abin continurá sob o comando interino de Wilson Roberto Trezza até que seja nomeado um novo diretor-geral.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0 ... ERADO.html