•  
     

Dinossauro chinês carrega penas mais primitivas do mundo, di

Estruturas são filamentos simples, diferentes das achadas até hoje.
Descoberta confirma passos previstos para evolução das plumas.


Dinossauros penosos já viraram item fácil no mercado paleontológico, mas o que acaba de ser encontrado por paleontólogos chineses ainda deve ser capaz de deixar os cientistas boquiabertos. Ou melhor, aliviados: ele carrega as penas mais primitivas já encontradas no registro fóssil, formadas por meros filamentos compridos. E isso parece comprovar os vários estágios de evolução das penas previstos pelos cientistas, de estruturas simples às plumas sofisticadas que as aves voadoras de hoje ainda carregam.

Fóssil do dinossauro, com penas-filamentosas-marcadas-com-setas-amarelas.jpg
Fóssil do dinossauro, com penas filamentosas marcadas com setas amarelas


A descoberta está descrita na edição desta semana da revista científica "PNAS" , num artigo assinado por Xing Xu, da Academia Chinesa de Ciências, e dois colegas. Os pesquisadores encontraram as estruturas num exemplar de Beipiaosaurus, criatura de 125 milhões de anos pertencente a um dos mais estranhos grupos entre os dinos, o dos terizinossauros. Esses bichos bípedes e grandalhões eram herbívoros cujas patas da frente tinham enormes garras parecidas com foices.



As penas estão preservadas na cabeça, no pescoço, no tronco e na cauda do animal. Até hoje, os cientistas só tinham encontrado penas formadas por múltiplos filamentos em dinossauros. No entanto, faltava a "primeira fase" do desenvolvimento dessas estruturas -- era como se os bichos tivessem "pulado etapas" na formação das penas que legariam a seus descendentes, as aves.



Estudos com embriões de aves tinham previsto, no entanto, que essa primeira fase seria representada por filamentos únicos. É o que se vê no novo fóssil, cujas penas, com comprimento entre 10 e 15 mm, são relativamente grossas e duras, sendo provavelmente ocas em vida. É claro que elas não serviam para voar: os chineses especulam que sua função original pode ter sido a de demonstrações sociais, mais ou menos como as penas da cauda de um pavão atual.



Embora seja um primo relativamente próximo das aves, o Beipiaosaurus não é ancestral direto delas, já que a ave mais antiga encontrada até hoje, o Archaeopteryx, é um pouco mais "idosa", com cerca de 140 milhões de anos.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0, ... STUDO.html
 
lol ele e velho mesmo uhuahuahuahua