•  
     

Dente biológico pode virar realidade no Brasil

Dente biológico pode virar realidade no Brasil


Não é ficção científica. Menos ainda um sonho de uma noite de verão. O Brasil pode ser o primeiro País do mundo a criar dentes biológicos, produzidos a partir de células troncos adultas. Estudos iniciados em 2001 por cientistas brasileiros e estadunidenses indicam que, no máximo em dois anos, já será possível substituir um dente humano por outro, mantendo as mesmas características do anterior e sem risco de ser rejeitado pelo organismo.

A façanha, que permite o desenvolvimento de um substituto biológico de dentes humanos, já foi testada com êxito, inúmeras vezes, em ratos - dentes primitivos foram gerados na mandíbula desses mamíferos através da engenharia de tecidos. Testes em humanos começam a ser feitos até o final do ano, máximo no primeiro trimestre de 2008, segundo garantem os especialistas. Um banco de voluntários já está sendo formado para as primeiras experimentações, que imaginam-se vitoriosas.

Trata-se de uma verdadeira rev olução no campo odontológico - o desenvolvimento de um dente completo, com osso e cartilagem, gerados a partir de tecidos e órgãos biologicamente iguais e compatíveis com os seres humanos. O Journal of Dental Research, considerado uma bíblia para os odontólogos em todo o mundo, relata que os bons resultados obtidos com o processo também em outros tipos de mamíferos - porcos, especialmente - indicam que haverá sucesso similar com dentes humanos.

No Brasil, na linha de ponta, está o casal Monica e Silvio Dualibi, da Universidade Federal de São Paulo - que, juntamente com a pesquisadora Pamela Yelick, do Fosyuth Institute, ligado a Universidade de Harvard, nos EUA, iniciaram os estudos, há cerca de seis anos, para gerar dentes a partir de células troncos. A não opção dos estudiosos por células embrionárias agilizou as pesquisas. Evitou-se, assim, questões de ordem ética e religiosa, que poderiam empacar as experimentações. Mais: o uso de células adultas, preferencialment e do próprio receptor, reduz a quase zero um dos principais ! riscos d os implantes: a rejeição que poderia advir pela reação do sistema imunológico.

No Brasil, a experimentação em seres humanos, se bem sucedida, como se espera em meio a sociedade científica, será de fundamental valia na questão da saúde pública. O Brasil, como se sabe, lidera o ranking mundial de desdentados - são 50 milhões de edêntulos, segundo a Organização Mundial de Saúde. As opções atualmente existentes para suprir a ausência de dentição - as populares dentaduras, com efeitos danosos, já que provocam atrofia óssea maxilar, ou o sofisticado método de implante, inacessível a maioria da população - realçam a importância da regeneração dentária via célula tronco.

Os especialistas brasileiros surpreenderam a comunidade científica internacional por conta dos avanços no desenvolvimento da técnica para o uso em pessoas. Mesmo com verbas precárias, inicialmente, conseguiram agora, com incentivo de agência internacional de fomento - comenta-se que cerca de US$ 3,5 mi lhões teriam sido injetados no projeto - entender como se dá o processo que permite construir um dente completo. Aí entendido, além da coroa, a geração de estruturas de suporte - ligamentos, osso alveolar e o cemento radicular, uma espécie de tecido mineralizado, que garante a sustentação do dente no lugar.

É o Brasil em primeiro lugar no quesito da nova e revolucionária dentição.



Fonte: http://www.portalodontologia.com.br/odo ... p?id=14686
 
Orra q loko ; )
 
bom saber, eu trabalho com isso :)
 
trabalhaaa nadaa ehauh
 
Eu acho que vai ser bom , mais sei la
 
Como posso me cadastrar no bsnco de voluntários par dentes biológicos? Favor enviar resposta.Obrigada.