•  
     

Consumidor deve pagar contas mesmo com greve dos Correios, a

Consumidor deve pagar contas mesmo com greve dos Correios, alerta Procon

Segundo instituto, não-recebimento não exime consumidor do pagamentos.
Orientação é que se solicite segunda via das contas junto às empresas.

É obrigação dos consumidores pagar suas contas até a data de vencimento, mesmo que elas não cheguem em casa devido à greve dos Correios. Quem faz o alerta é a Fundação Procon de São Paulo: segundo a organização, a legislação brasileira impede que o não-recebimento das contas seja válido como base para reclamação piosterior.

“Presume-se que os consumidores sabem quando é a data de vencimento de suas contas”, informa Valéria Cunha, assistente de direção do órgão. “O fato da conta não chegar não livra uma pessoa da obrigação de pagá-la”. Essa obrigatoriedade vale para todos os tipos de contas – água, luz, carnês, cartões de crédito e outras.



Orientação
Assim , a orientação do Procon é que os consumidores procurem as empresas para procurar a data de vencimento e o valor devido. Segundo a funcionária, é obrigação das companhias fornecerem opções de pagamento que não dependam do Correio, como débito em conta provisório, boleto bancário enviado por fax ou e-mail.

Segundo Valéria, existem diversas opções para o consumidor. “As pessoas podem buscar a segunda via de suas contas nas páginas das empresas na internet. Também é possível pedir o envio do boleto via fax, ou mesmo solicitar por telefone o número do código de barras.”



Segundo ela, de posse dessas informações, o consumidor pode se dirigir às agências bancárias ou outras instituições credenciadas para fazer o pagamento. Para pagar carnês e prestações do comércio, a orientação é que o consumidor procure a respectiva loja, que precisa disponibilizar caixas para receber o pagamento.



De acordo com o Procon, quem pode solicitar ressarcimento são as pessoas que contrataram serviços dos correios – como a entrega de encomendas via Sedex - e que não foram tiveram o trabalho prestados devido à greve. Nesse caso, segundo a assistente, o consumidor pode procurar os órgãos de defesa do consumidor caso tenha obtido prejuízo com a falta do serviço.



Paralisação
Os funcionários dos Correios completam nessa sexta-feira (4) quatro dias de greve. Segundo a empresa, os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Amapá não participam da paralisação. Já de acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresa de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), apenas Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins não aderiram à greve.




Os trabalhadores pedem o cumprimento de um acordo firmado em novembro do ano passado, que prevê o pagamento de adicional de periculosidade, além da revisão do plano de carreira e do pagamento da participação dos lucros e resultados.



Os serviços considerados de "hora marcada" estão suspensos pelos Correios. São eles: Sedex 10, Sedex Hoje e Disque Coleta. A empresa afirma que está pagando adicional para carteiros e para quem trabalha em agências.



Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Economia_N ... 56,00.html