•  
     

Como começar a investir na bolsa de valores

Como investir na Bolsa: tenho alguns artigos que podem ajudar nos seus investimentos na Bovespa, aprender a comprar ações e aumentar a cotação do futuro de seu dinheiro. O ideal mesmo é fazer um investimento em um curso sobre a bolsa de valores ou mesmo dispender algum tempo em um simulador da bolsa antes de dar um passo mais comprometido. Em todo o caso, os artigos a seguir podem ajudar:

1. Política de responsabilidade (não leia os outros sem ler este)
2. 14 advertências aos novatos
3. 5 passos simples para começar
4. Vídeo sobre a Bolsa de Valores
5. Como escolher uma corretora
6. De quanto dinheiro preciso
7. Que dinheiro investir na bolsa

Política de Responsabilidade e de Privacidade

Ao ler e aplicar o conteúdo deste blog, o leitor ou visitante assume:

* que o mercado de ações tem riscos de lucro ou prejuízo.
* que quem quer que seja que nele entre deve estar consciente da possibilidade de lucro ou prejuízo.
* que o leitor ou visitante é responsável por suas atitudes e decisões relativas ao mercado de ações.
* que o autor destes textos, que integram o conteúdo deste blog, não tem responsabilidade por atos e decisões relativos a investimentos executados pelo leitor ou visitante.
* que os textos que integram o conteúdo deste blog dizem respeito apenas às minhas experiências.
* que os comentários que integram o conteúdo, de autoria do editor deste blog ou não, não devem ser usados como base para tomada de decisões.
* que se decidir seguir meus passos, deve fazê-lo de livre e espontânea vontade, consciente e sem a minha influência.
* que as decisões relativas a dinheiro sempre são suas, como leitor, visitante ou investidor.

Em suma, nenhuma decisão de investimento deve ser tomada baseda nas análises postadas neste blog. O investidor deve ter o conhecimento dos riscos envolvidos em operar nos mercados.

Lembre-se: eu sou um iniciante na bolsa de valores.

Política de comentários

* Comentários considerados inadequados serão apagados antes ou mesmo depois de sua moderação.
* O editor do blog não se responsabiliza por comentários emitidos por terceiros. No entanto, a política acerca de comentários considerados inadequados será atenta.

Política de Privacidade

* Se você enviar seu endereço de email, por formulário de contato ou formulário de comentários – nos campos designados – ele não será compartilhado com terceiros, sendo mantido em absoluta privacidade. Seu endereço de email será usado somente para que o editor possa entrar em contato com você, se for o caso.
* Se você fizer um comentário a algum dos artigos aqui publicados, ele poderá ficar exposto no site como parte do conteúdo do blog, bem como o nome fornecido. Antes disso, porém, passará pela aprovação do editor do site, sendo avaliado de acordo com as políticas editoriais adotadas, reprovando-se textos que possam ser por qualquer motivo ofensivos ao editor e aos outros leitores. Seu endereço de email jamais aparecerá, no entanto.
* Usamos empresas de publicidade de terceiros para veicular anúncios durante a sua visita ao nosso website. Essas empresas podem usar informações (que não incluem o seu nome, endereço, endereço de e-mail ou número de telefone) sobre suas visitas a este e a outros websites a fim de exibir anúncios relacionados a produtos e serviços de seu interesse. Para obter mais informações sobre essa prática e saber como impedir que as empresas utilizem esses dados, clique aqui.
 
14 advertências aos novatos

Parece uma contradição destacar um artigo em que se diz para não investir em ações justamente em um blog sobre a bolsa de valores.

Mas você verá que ele é muito importante para que, no futuro, você não cometa bobagens.

Depois de tantos anos com a Bovespa em alta, é natural que os iniciantes comecem a chegar à bolsa de valores. E com muita sede ao pote.

E, dizem, que o mais comum é que isso aconteça no final dos movimentos altistas, quando os preços voltam a cair.

Independentemente de isso ser verdade ou não, este artigo tem o objetivo de esfriar um pouco os ânimos e colocar um pouco de prudência nas atitudes dos novatos.

Eu não investiria em ações…

1. … que não fossem integrantes do Índice Bovespa. Particularmente eu ficaria nas cinco primeiras maiores participações do índice. Melhor ainda, nas duas primeiras: VALE 5 e PETR4.
2. … que não estivessem em clara e absoluta tendência de alta
3. … se ainda não conseguisse identificar uma tendência primária, secundária e terciária
4. … se não soubesse identificar topos, fundos, suportes e resistências
5. … sem saber como dar ordens de stop e, sabendo, não compraria ações sem imediatamente dar ordens de stop
6. … se não tivesse conversado franca e pessoalmente com pelo menos duas pessoas que já têm uma boa experiência nos mercados.
7. … se já não tivesse lido pelo menos um bom livro sobre a bolsa se valores.
8. … se não lesse diariamente sobre a bolsa de valores em portais de notícias e em blogs especializados em finanças e bolsa de valores.
9. … se não tivesse a disciplina para acompanhar diariamente, ou ao menos semanalmente, as cotações daquelas em que eu estiver comprado.
10. … com todas as minhas economias.
11. … se não tivesse total responsabilidade sobre meus atos.
12. … com dinheiro emocionalmente comprometido.
13. … se não pudesse encarar possíveis e muito prováveis perdas
14. E mais importante: eu não investiria em ações se não tivesse entendido o motivo de absolutamente todos os itens desta lista.

E, claro, como esse artigo é destinado aos novatos como eu, eu não investiria em opções.
 
5 passos simples para começar a investir na bolsa de valores

Eu pincei esses passos da área de iniciantes da Bovespa. No entanto, procurei acrescentar links de artigos que já escrevi para enriquecer seu aprendizado. A facilidade de se começar a investir será um dos pontos em que baterei com freqüência pois é notável o número de pessoas que não investe na bolsa por achar isso algo inacessível e difícil.

1. O investidor procura uma Corretora Membro da Bovespa e preenche um cadastro contratando seus serviços. Este é um passo importante, pois a corretora além de cuidar de seu dinheiro vai orientar você principalmente em seus primeiros passos. Saiba mais sobre como escolher a sua corretora.
2. Com a assessoria da Corretora, o investidor escolhe a ação ou as ações que deseja comprar e dá a ordem para a Corretora. O seu corretor vai conversar com você e tentar descobrir qual o seu perfil de investidor, se mais arrojado ou alguém que busca mais segurança e lucros certos ainda que menores. Ele vai orientá-lo sobre que dinheiro é melhor investir na bolsa, qual é o valor mínimo para começar e que postura assumir no início enquanto aprende mais sobre o mercado de ações.
3. A Corretora executa a ordem dada pelo investidor, comprando a ação na Bovespa. É simples assim. Você faz uma ligação para o seu corretor e em menos de um minuto sua ordem é cumprida. Suas ações estão vendidas ou já foram compradas.
4. O cliente efetua o pagamento para a Corretora – com recursos previamente depositados. Antes de tudo, você deposita o valor a ser investido na sua conta na corretora. E só então as ações são compradas de acordo com suas ordens.
5. A Corretora credita as ações adquiridas pelo investidor em sua conta de custódia, na Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia. A CBLC nada mais é que a responsável pela compensação e liquidação de operações realizadas no mercado a vista da Bovespa.
 
Vídeo sobre como investir na bolsa de valores

Talvez a facilidade de se começar a investir na bolsa de valores ainda não tenha ficado clara.

Mas da mesma forma como o vídeo sobre o que são feeds tem ajudado milhares de pessoas a descobrir essa incrível ferramenta da informação, creio que este vídeo básico sobre investimentos de renda variável pode mostrar a você como é simples dar o primeiro passo para investir em ações.

Talvez a facilidade de se começar a investir na bolsa de valores ainda não tenha ficado clara.

Mas da mesma forma como o vídeo sobre o que são feeds tem ajudado milhares de pessoas a descobrir essa incrível ferramenta da informação, creio que este vídeo básico sobre investimentos de renda variável pode mostrar a você como é simples dar o primeiro passo para investir em ações.



Eu o encontrei graças a um post do blog Sucesso Financeiro. Ele faz parte do conteúdo do site Portal do Investidor, mantido pelo Ministério da Fazenda, mas na verdade foi produzido pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

No Portal do Investidor, você ainda poderá ver outros vídeos básicos sobre finanças pessoais e investimentos. O site inteiro, aliás, é visita obrigatória para quem está começando na bolsa. Eu mesmo devo fazer uma imersão e trazer para você o que de mais interessante encontrar ali.

Neste vídeo que aqui disponibilizo, a repórter Adriana Souza e Silva dá um panorama sobre:

* fundos de investimento
* ações
* títulos da dívida pública

Chamo a atenção para o momento em que ela fala sobre o que é a CBLC (Companhia Brasileira Liquidação e Custódia) e quais as suas funções, pois ajuda a entender melhor alguns mecanismos da bolsa de valores. Fique atento também quando o assunto for taxas e corretagem.

Por uma questão de facilidade para meu leitor, tomei a liberdade de colocar o vídeo no YouTube. Se – apesar de eu dar os devidos créditos e acreditar que trata-se de um material de divulgação gratuita – eu estiver violando algum direito autoral, peço que os responsáveis me avisem para que, desta forma, eu apenas faça um link para o site original.
 
Como escolher uma corretora para investir na bolsa

Escolher a corretora é a primeira decisão que você vai tomar depois de resolver entrar na bolsa de valores. É ela quem vai fazer o meio de campo entre você e a Bovespa. Você transmite a ordem de compra e venda e a empresa – mais especificamente seu corretor – executa. Por isso, essa escolha pode influenciar toda a sua experiência a seguir, a curto e a médio prazo.

Ela é membro da Bovespa?

Procure uma corretora entre as diversas que são membro da Bovespa. Se alguma empresa o procurar, verifique antes se ela faz parte da lista.

Qual o valor mínimo para se cadastrar?

Nem todas corretoras operam com valores baixos e certamente todas operam com valores altos. Mas, também certamente, com um pouco de pesquisa, você encontrará uma de qualidade perfeita para seu perfil.

Quais são os custos?

Cada corretora tem uma política de custos diferente. Procure uma que se adeque ao seu perfil. A que eu escolhi cobra 2% sobre a movimentação de venda de valores até R$ 498,62 e essa taxa cai até o limite de 0,5% na medida em que os valores se aproximam de R$ 3029.

Essas porcentagens são importantes, afinal se – no meu caso- eu tiver um lucro abaixo de 2% em algum momento, isso não é suficiente para que valha a pena eu vender as ações que os proporcionaram.

Um exemplo fictício:

Em determinado momento, algumas ações minhas no valor de R$ 100 subiram 2%. Agora eu tenho R$ 102. Se eu vendê-las, a corretora ficará com R$ 2,04.

Ei! Esse era o meu lucro!

Entendeu?

Fique atento, pois algumas corretoras abrem mão da porcentagem e mantém um valor fixo muito baixo que pode parecer vantajoso em um primeiro momento, mas cobram uma taxa mensal fixa, uma taxa de custódia das ações ou uma taxa de conta inativa – que para quem pretende investir a longo prazo é pouco vantajosa. O barato pode sair caro. Para saber mais sobre isso, leia o artigo sobre taxas de corretoras no blog Dinheirama.
Qual a burocracia do cadastro em uma corretora?
É muito mais fácil e rápido que abrir uma conta em um banco (Porém, é claro que você já vai ter que ter uma conta em banco). Na verdade, é tão fácil que você vai se perguntar porque não fez isso antes e continua com juros de menos de 12% ao ano na Caderneta de Poupança e tendo que enfrentar fila.

Para executar esse passo eu precisei de:

* Documento de identidade
* CPF
* Comprovante de endereço
* Uma conta corrente.
* Preenchimento de um cadastro.
* Assinatura de contrato.

Você foi bem tratado?

Essa é óbvia até se você pretende comprar um liqüidificador. Se a loja não o trata bem você não volta mais. Se o corretor – a pessoa que estará em contato com você – não o tratar bem, esqueça.

Eu e minha namorada marcamos uma hora na corretora e tivemos uma reunião de aproximadamente 45 minutos com nosso corretor que pretendia esclarecer alguns pontos sobre a bolsa e nos conhecer melhor para saber quais os investimentos mais indicados para nosso perfil. Atendimento altamente personalizado, principalmente considerando que o montante inicial de nosso investimento não é alto.

Todas as vezes em que ligamos para ele, para tirar dúvidas ou para dar ordens de compra, foi muito atencioso e paciente apesar de nossa inexperiência.

Dias depois de preencher o cadastro, recebemos os contratos para assinar em casa acompanhado de um envelope selado para devolvê-lo, evitando assim um deslocamento desnecessário.

Como posso saber mais sobre a escolha de uma corretora?

* Como escolher uma corretora – algumas informações sobre isso ainda mais detalhadas.
* Escolhendo um corretor e abrindo uma conta – parte de um artigo mais longo que trata sobre compra e venda de ações online.
* Como escolher a melhor corretora – matéria da revista Exame.
* Lista de corretoras membro da Bovespa – Não aceite imitações.
 
De quanto dinheiro preciso para começar a investir na bolsa

Segundo a área para iniciantes do site da Bovespa, pode-se começar com qualquer valor.

Não existe um valor mínimo exigido para investir na Bolsa. Isso varia em função do preço das ações que se deseja comprar e até mesmo da Corretora que você escolher.

Eu mesmo estou começando com apenas R$ 500, o que hoje equivale a pouco mais de US$ 250 pela atual cotação. Encontrei um corretor e uma empresa disposta a trabalhar a partir desse valor. Para iniciar está bom.

Foi o suficiente para, no momento, comprar 5 ações da Petrobrás e 3 da Vale do Rio Doce.

Você achou pouco? Pois saiba que alguns bons investidores começam com ainda menos.
 
Que dinheiro investir na bolsa de valores

Posso usar o dinheiro que economizei para comprar minha casa para investir na bolsa e completar o que falta, certo?

Errado.

O melhor é investir um montante que não esteja comprometido de nenhuma forma.

O dinheiro para comprar a casa, para a faculdade dos filhos ou para quitar alguma dívida não deve ser investido na bolsa de valores.

O mercado de ações é extremamente emocional e funciona de maneira emocional. Quanto mais racional você puder ser, maior vantagem você terá. E, se você está ligado emocionalmente de alguma forma ao dinheiro investido, isso é mais difícil.

Imagine a situação hipotética:

Em 2001, você tinha R$ 30 mil investidos em ações. Em setembro daquele ano aconteceu uma tragédia com impacto global e as bolsas do mundo se desestabilizaram. Muito possivelmente você viu seus R$ 30 mil se transformarem em R$ 10 mil.

Se esse dinheiro era para ser usado no financiamento de sua casa, você pode ter se assustado e vendido todas as suas ações antes que as coisas piorassem. Mas, se não, você conseguiu ser racional e esperou.

Meses depois as bolsas se recuperaram e, mais, atingiram patamares muito mais altos. Quem manteve a calma saiu ganhando. Agora seus R$ 10 mil talvez fossem R$ 90 mil.

Então, antes de colocar o dinheiro na bolsa de valores, faça a pergunta: eu preciso muito desse dinheiro?

Precisar de dinheiro todo o mundo precisa. Mas o quanto, não é mesmo?

Autor: Alessandro Martins
Fonte: http://iniciantenabolsa.com/como-comeca ... e-valores/