•  
     

'Campistas' chegam à maratona da tecnologia em SP

Campus Party terá atividades de games, astronomia, robótica e software livre.
Participantes ficarão acampados durante uma semana no prédio da Bienal, em São Paulo.


róbo.jpg
róbo
róbo.jpg (13.43 KiB) Visto 79 vezes


O primeiro dos sete dias da Campus Party Brasil começou com filas na manhã desta segunda-feira (11), quando os “campuseiros” -- como eles mesmos se chamam -- já esperavam ao lado de fora do prédio da Bienal, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

Carregando suas mochilas, malas e as bagagens principais (monitores, computadores, joysticks, fones de ouvido, toca-MP3), os inscritos começaram a se cadastrar ao meio-dia para terem acesso ao acampamento em que passarão a semana. A cerimônia oficial de abertura está marcada para 0h de terça-feira (12).

Até o dia 17, o prédio da Bienal será a casa de cerca de três mil pessoas que se inscreveram na primeira edição brasileira do Campus Party, criado há dez anos na Espanha e que é referência para os "geeks" (fãs de tecnologia) no verão Europeu. A versão brasileira do evento terá cobertura completa do G1.

Evento deve reunir cerca de três mil pessoas; participantes começaram a chegar nesta segunda..jpg
Evento deve reunir cerca de três mil pessoas; participantes começaram a chegar nesta segunda.


Os visitantes inscritos, que podem levar computador e ficar acampados em barracas disponibilizadas pela organização do evento, vão participar de competições de games, oficinas de astronomia e música e palestras sobre software livre e internet.

Em sua estréia no Brasil, o evento será dividido em duas partes: exposição e arena. A exposição será aberta ao público e terá palestras, mas não dará acesso à arena, onde o evento realmente "acontece".

É na arena que vai ficar o participante que se inscreveu pelo site do evento e pagou a taxa de R$ 100. Ele poderá acampar na Bienal durante a semana, levando computador e itens pessoais para "sobreviver" entre as atividades e competições on-line. A programação da Campus Party está disponível no site oficial em formato PDF.

Estão confirmadas palestras de Steven Johnson, que lançará livros sobre comunicação digital, Jon "Maddog" Hall, célebre programador de Linux, e de Marcos Pontes, o astronauta brasileiro. Nicholas Negroponte, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), e o físico Stephen Hawking são outros "padrinhos" que já participaram do evento em anos anteriores, mas não virão para o Brasil.

Lan-house gigante

Participante cuida do equipamento (esq) enquanto aguarda início do evento..jpg
Participante cuida do equipamento (esq) enquanto aguarda início do evento.


A arena de games da Campus Party vai oferecer oficinas, campeonatos e atividades envolvendo jogos como "BioShock", "Crysis" e "Fifa 08". As oficinas vão dar instruções práticas de como "ajustar o computador para jogos" e até "criar uma tela LCD para monitorar atividades do micro".

As competições que acontecem durante a semana vão reunir os participantes em 12 jogos, de "Call of duty 4" a "Need for speed pro street". O torneio de "Counter-Strike", segundo comentários nas comunidades de jogadores, seria cancelado devido à proibição da venda do jogo no Brasil. A organização do Campus Party, porém, não se pronunciou oficialmente.

Marco Quesada é o responsável pela organização da "lan-house" gigante, que promete três mil tomadas e entradas de internet para os prováveis três mil inscritos. Quem preferir deixar o computador em casa vai poder alugar uma máquina quando chegar ao "acampamento".

Marco organiza essas reuniões (em inglês, "lan party") desde 2000, e já participou de eventos como a World Cyber Games (WCG), uma das referências do ciberesporte mundial. O alcance da balada "tech" que nasceu na Espanha, porém, é maior. "A WCG caberia dentro da Campus Party", compara Marco.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia ... EM+SP.html