•  
     

Bola de Ouro - Cristiano Ronaldo da Madeira para o Mundo

Quando, com 11 anos, o franzino Cristiano Ronaldo deixou a Madeira para tentar a sorte no Sporting, ninguém imaginaria que, pouco mais de uma década depois, faria capa na France Football com a Bola de Ouro nas mãos.

Porventura, nem mesmo Cristiano Ronaldo Santos Aveiro, nascido no Funchal a 05 de Fevereiro de 1985, sonhava com essa possibilidade, embora se amparasse na excelência do seu futebol para acreditar num futuro risonho, quando trocou o Nacional por um dos "grandes" da capital, depois do início no modesto Andorinha de Santo António.

O êxito do madeirense não reside só no talento, mas também no empenho que emprega para desenvolver as capacidades inatas. Sir Alex Ferguson e Carlos Queiroz, por exemplo, falam amiúde de momentos em que os jogadores do Manchester United recolhem aos balneários e apenas Ronaldo fica em campo para procurar ser cada vez melhor.

Lançado no Sporting pelo romeno Laszlo Boloni a 14 de Agosto de 2002, com apenas 17 anos, começou a aparecer e, quando do jogo de inauguração do novo Estádio José Alvalade, os jogadores do Manchester United ficaram impressionados e exigiram a sua contratação a Alex Ferguson, que o levou por "apenas" 15 milhões de euros.

"Senti, em relação a Ronaldo, que se não fosse o Manchester United seria o Chelsea, se não fosse o Real Madrid era certamente o AC Milan. E também senti que ele e Quaresma iriam dar muitas alegrias à seleção nacional, ao povo português, porque o talento afirma-se mais tarde ou mais cedo", disse recentemente o treinador romeno.

Desde aí, tem somado êxitos e prêmios. Campeão inglês e europeu, artilheiro em ambas as competições e com a Chuteira de Ouro que premia o maior goleador do continente, Cristiano Ronaldo, mesmo sem um título na seleção, alcançou o reconhecimento planetário com a Bola de Ouro, como Eusébio em 1965 e Luís Figo em 2000.

Cristiano Ronaldo, que Aurélio Pereira aceitou no Sporting, também não tem, como não teve, dúvidas sobre as qualidades do melhor jogador do Mundo: "Sei que não sou um mágico na descoberta de talentos como Cristiano Ronaldo, mas a experiência dizia-me que ele estava destinado a ser grande".

Não se enganou o eficaz "olheiro" leonino, que descobriu talentos como Futre, Figo, Simão ou Quaresma, porque Ronaldo atingiu uma dimensão só ao alcance dos predestinados e nada parece poder travar a ascensão do precoce capitão da seleção, que aos 23 anos, com 62 jogos e 21 gols com a camisa das "quinas", coleciona diversas distinções individuais. E a próxima pode chegar já no início de 2009, quando a FIFA anunciar o seu Jogador do Ano.

Herdeiro da camisa 7 que pertenceu a Charlton, Best, Cantona ou Beckham, em Manchester é um dos símbolos do United e os torcedores em Old Trafford voltaram a entoar "There's only one Ronaldo" (Ronaldo só há um), perdoando-lhe o namoro com o Real Madrid, que esteve disposto a desembolsar 90 milhões de euros pelo português.

Cristiano Ronaldo acabou por ficar em Manchester e prometeu dedicação total. Chegou aos 100 gols no United com a mesma naturalidade com que marcava no Andorinha e nos jogos de rua e com a mesma vontade com que posou para a capa da France Football com a Bola de Ouro.

Apesar de habituado a ser o centro das atenções, o jogador reagiu com cara de poucos amigos aos apupos do público da seleção portuguesa, durante o recente "nulo" frente à Albânia, em Braga, nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, tal como na cerimónia de consagração do melhor jogador do Mundo da FIFA de 2007.

Na altura, Cristiano Ronaldo não escondeu o "desagrado" em ficar na terceira posição, atrás do argentino Lionel Messi e do vencedor, o brasileiro Kaká, também ele Bola de Ouro de 2007.

Outro episódio recente de vedetismo registou-se na visita do Manchester United ao Aston Villa, na Liga inglesa, quando, depois de ser substituído, a estrela portuguesa fez questão de exclamar para as bancadas: "Sou o número um".

Estas e outras situações deram argumentos para os vários comentaristas que criticam a escolha do capitão da seleção nacional do craque que passou de um primeiro salário mensal de cerca de 50 euros até aos atuais 7,5 milhões de euros por ano, sem contabilizar os vários prêmios por participação e os contratos publicitários.

Os responsáveis dos "Red Devils" querem o seu "solista" feliz e estará em cima da mesa a renovação do vínculo até 2014, passando dos atuais 150 mil euros por semana para cerca de 200 mil euros, muito longe dos 1.500 euros por mês que ganhava no Sporting quando foi transferido para Manchester.

O talento trouxe-lhe o êxito, mas se, por um lado, as vistosas fintas lhe dão proveitos mil, por outro, o "showbiz" tem um preço a pagar. Além da "pressão alta" dos adversários, Ronaldo passa a vida a "driblar" repórteres de tablóides, a quem não escapam das suas aventuras amorosas, e outros interessados em lucrar com a sua fama.

Porque "CR7", mais que um futebolista, é uma marca e vende.

Veja tambem:


2008

1° (935)
2° (678)
3° (203) Cristiano Ronaldo(PORT)
Lionel Messi (Argentina)
Fernando Torres Manchester United/ING


2007

1° (1047)
2° (504)
3° (426) Kaká (Brasil)
Lionel Messi (Argentina)
Cristiano Ronaldo (PORT) Milan/ITA
Barcelona/ESP
Manchester United/ING
2006

1° (498)
2° (454)
3° (380) Fabio Cannavaro (Italia)
Zinedine Zidane (França)
Ronaldinho Gaúcho (Brasil) Juventus/ITA e Real Madrid/ESP
Real Madrid/ESP
Barcelona/ESP
2005

1° (956)
2° (306)
3° (190) Ronaldinho Gaúcho (Brasil)
Frank Lampard (Inglaterra)
Samuel Eto'o (Camarões) Barcelona/ESP
Chelsea/ING
Barcelona/ESP
2004

1° (620)
2° (552)
3° (253) Ronaldinho Gaúcho (Brasil)
Thierry Henry (França)
Andriy Shevchenko (UCR) Barcelona/ESP
Arsenal/ING
Milan/ITA
2003

1° (264)
2° (186)
3° (176) Zinedine Zidane (França)
Thierry Henry (França)
Ronaldo (Brasil) Real Madrid/ESP
Arsenal/ING
Real Madrid/ESP
2002

1° (387)
2° (171)
3° (148) Ronaldo (Brasil)
Oliver Khan (Alemanha)
Zinedine Zidane (França) Inter Milão/ITA e Real Madrid
Bayern Munchen/ALE
Real Madrid/ESP
2001

1° (250)
2° (238)
3° (96) Luis Figo (Portugal)
David Beckham (Inglaterra)
Raúl (Espanha) Real Madrid/ESP
Manchester United/ING
Real Madrid/ESP
2000

1° (370)
2° (329)
3° (263) Zinedine Zidane (França)
Luis Figo (Portugal)
Rivaldo (Brasil) Juventus/ITA
Real Madrid/ESP
Barcelona/ESP
1999

1° (538)
2° (194)
3° (79) Rivaldo (Brasil)
David Beckham (Inglaterra)
Gabriel Batistuta (ARG) Barcelona/ESP
Manchester United/ING
Fiorentina/ITA
1998

1° (518)
2° (164)
3° (108) Zinedine Zidane (França)
Ronaldo (Brasil)
Davor Suker (Croácia) Juventus/ITA
Inter Milão/ITA
Real Madrid/ESP
1997


1° (480)
2° (85)
3° (62)
3° (62) Ronaldo (Brasil)
Roberto Carlos (Brasil)
Dennis Bergkamp (HOL)
Zinene Zidane (França) Inter Milão/ITA
Real Madrid/ESP
Arsenal/ING
Juventus/ITA
1996

1° (329)
2° (140)
3° (123) Ronaldo (Brasil)
George Weah (Libéria)
Alan Shearer (Inglaterra) Barcelona/ESP
Milan/ITA
Newcastle/ING
1995

1° (170)
2° (80)
3° (58) George Weah (Libéria)
Paulo Maldini (Itália)
Jurgen Klinsmann (ALE) Milan/ITA
Milan/ITA
Bayern Munchen/ALE
1994

1° (346)
2° (100)
3° (80) Romário (Brasil)
Hristo Stoichkov (Bulgária)
Roberto Baggio (Itália) Barcelona/ESP
Barcelona/ESP
Juventus/ITA
1993

1° (152)
2° (84)
3° (58) Roberto Baggio (Itália)
Romário (Brasil)
Dennis Bergkamp (HOL) Juventus/ITA
Barcelona/ESP
Ajax Amsterdam/HOL
1992

1° (161)
2° (88)
3° (61) Marco Van Basten (Holanda)
Hristo Stoichkov (Bulgária)
Thomas Hassler (ALE) Milan/ITA
Barcelona/ESP
Roma/ITA
1991

1° (128)
2° (113)
3° (40) Lothar Matthaus (ALE)
Jean Pierre Papin (França)
Gary Lineker (Inglaterra) Inter Milão/ITA
Olimpique Marseille/FRA
Tottenham Hotspur/ING



link: http://www.campeoesdofutebol.com.br/mel ... mundo.html