•  
     

Baterista do U2 critica Bono por andar em 'más companhias'

Larry Mullen Jr. disse não aprovar amizade de cantor com Tony Blair.
Entrevista estará nas páginas da próxima edição da revista 'Q'.


bono.jpg
Bono (à direita) cumprimenta George W. Bush (à esquerda) em encontro do G8 (Foto: AFP)
bono.jpg (15.21 KiB) Visto 293 vezes


O baterista do U2 Larry Mullen Jr. criticou o vocalista da banda, Bono, por andar em "más companhias". A declaração, que tem endereço certo, o ex-primeiro ministro britânico Tony Blair, foi dada em entrevista que será publicada na próxima edição da revista de música britânica "Q", que chega às bancas em 31 de dezembro.

"Meu maior problema realmente é com as companhias que ele mantém às vezes. Mais as pessoas da política do que do mundo financeiro. Em particular, Tony Blair - quer dizer, eu acho que o Tony Blair é um criminoso de guerra. E eu acho que ele deveria ser julgado como um criminoso de guerra. E aí eu vejo Bono e ele como colegas, e penso: 'Eu não gosto disso'," afirmou Mullen à revista.

O músico, porém, deu um desconto para o relacionamento de Bono com o presidente George W. Bush, a quem Blair se aliou nos conflitos recentes no Oriente Médio. "George Bush tem sido muito generoso com a causa [de caridade do Bono]... a diferença entre ele e Tony Blair é que Blair é inteligente. Portanto ele não tem desculpa para o que fez. Ao passo que George Bush, creio, poderia encontrar algumas desculpas para o seu comportamento", ironizou.

Na mesma reportagem, Bono se justifica dizendo que "foi embaraçoso para a banda. [O guitarrista] Edge sempre me diz 'você é um artista, se lembre disso. Não é um político'. Mas se você olhasse a face de uma mãe ou de um filho que tenha morrido nos seus braços sem um bom motivo, veria que eles não se importam quem é o presidente dos Estados Unidos. É algo que, uma vez que você testemunha, não consegue tirar da sua cabeça."

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,, ... NHIAS.html