•  
     

Astrônomo diz que Jesus pode ter nascido em junho

Uma pesquisa realizada por um astrônomo australiano sugere que Jesus Cristo teria nascido no dia 17 de junho e não em 25 de dezembro.

Jesus_PN_Aramaico.jpg
Jesus_PN_Aramaico.jpg (9.05 KiB) Visto 7545 vezes


De acordo com Dave Reneke, a "estrela de Natal" que, segundo a Bíblia, teria guiado os Três Reis Magos até a Manjedoura, em Belém, não apenas teria aparecido no céu seis meses mais cedo, como também dois anos antes do que se pensava.

Estudos anteriores já haviam levantado a hipótese de que o nascimento teria ocorrido entre os anos 3 a.C e 1 d.C.

O astrônomo explica que a conclusão é fruto do mapeamento dos corpos celestes da época em que Jesus nasceu. O rastreamento foi possível a partir de um software que permite rever o posicionamento de estrelas e planetas há milhares de anos.

Baseando-se no Evangelho de Mateus, que descreve a aparição de uma "estrela" como sinal do nascimento de Jesus, Reneke identificou a conjunção dos planetas Vênus e Júpiter, que teriam emitido uma forte luz que poderia ter sido confundida com uma estrela.

"Vênus e Júpiter chegaram muito perto no ano 2 a.C refletindo muita luz. Não podemos dizer com certeza que esta era a estrela de Natal descrita na Bíblia, mas até agora esta é a explicação mais plausível que já vi sobre isso", disse Reneke à BBC Brasil.

"A astronomia é uma ciência tão precisa, que podemos apontar exatamente onde os planetas estavam. E há uma grande probabilidade que esta conjunção possa ser a estrela descrita por Mateus no Evangelho".

O australiano diz que a pesquisa não é uma tentativa de contestar a religião.

"Quando misturamos ciência e religião há a sempre a chance de chatear as pessoas. Neste caso, esses resultados podem servir para reforçar a fé, porque mostra que realmente havia um grande objeto brilhante no céu no momento certo".

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/in ... 02,00.html
 
Vejam o que INRI CRISTO expoe sobre o natal:

INRI CRISTO: “Em primeiro lugar, o Natal é uma festividade falsa porque há dois mil anos não foi nesta data que reencarnei. De acordo com os Anais da História, no intuito de atrair adeptos ao Cristianismo, entre os séculos III e IV os usurpadores de minha antiga igreja, mentores da proscrita igreja romana, adaptaram muitas cerimônias e crenças pagãs aos rituais cristãos, dentre as quais incluiu-se a festa do Natalis Sollis Invicti, celebrada no solstício de inverno do hemisfério norte e oficializada em 25/12. Era uma festa de idolatria ao Sol no culto de Mitra, nada tendo a ver, portanto, com a comemoração dos cristãos. Estes, todavia, não têm culpa por haverem sido enganados na fé. Ademais, para mim o Natal sempre foi uma data muito triste, e assim é também para muitos, tanto devido ao seu aspecto puramente comercial como pelo fato de que os pobres são humilhados pelos ricos, sentem-se deprimidos face à incapacidade de atender ao pedido de um filho. Não tenho nada contra os ricos nem contra a riqueza material; já constatei muitos exemplos de pessoas bem intencionadas, movidas por sublimes sentimentos, que fazem obras de caridade. Mas de nada adianta tampar o sol com a peneira; os pobres continuarão pobres, as desigualdades sociais continuarão existindo. A realidade é cruel, salta aos olhos, e eu vivo com os pés no chão. O dia em que eu puder falar livremente ao meu povo, ensinarei meus filhos a pescar, a andar com suas próprias pernas e a viver com dignidade; apenas dar-lhes o pão e o peixe não irá resolver o problema”.
 
Visto que não há registro bíblico do dia específico desse extraordinário acontecimento: o verbo se fez carne (Jo 1.1;14), os cristãos escolheram por si mesmos uma data para celebrar o Natal. Poderiam escolher outra data qualquer, mas a escolha recaiu sobre o dia 25 de dezembro, que era uma ocasião já consagrada no calendário do Império Romano pela grande festividade do Natal do Sol Invicto. A festividade do Natal do Sol Invicto era celebrada pelos adoradores do Sol (normalmente identificado com Mitra). O mitraísmo era um culto que possuía algumas semelhanças com o cristianismo e, paradoxalmente, intransponíveis diferenças. Era uma religião de mistério, que concorria intensamente com o cristianismo na busca de fiéis. O cristianismo entrou em conflito com essa religião e, finalmente, venceu.
A escolha do dia 25 de dezembro como data do nascimento de Jesus ofuscou as festividades do Natal do Sol Invicto dos pagãos e consagrou o dia do nascimento do verdadeiro Sol da Justiça, que para os cristãos é Cristo:
Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria (Ml 4.2). Dessa maneira, os cristãos daquela época cristianizaram um dia festivo do calendário romano, argumentando que Jesus é a luz verdadeira. Pois o próprio Senhor Jesus disse, em João 8.12, que ele é a luz do mundo. Foi uma maneira que esses cristãos acharam de considerar o feriado romano e trocar o objeto de culto, já que não tinham uma data específica. Com isso, destruíram o culto pagão, condenando-o ao desaparecimento.
 
No mesmo dia que eu xD
 
Na verdade Jesus Cristo não nasceu em Dezembro como todos pensam, realmente é uma farsa! Ninguém sabe exatamente quando Ele nasceu... Porém acredita-se que foi em meados de Junho ou Julho.

Tópico interessante... :D